Jogos Paralímpicos: com crescente sucesso do Brasil nas últimas edições, o que esperar do Rio?

Em 9° lugar em Pequim e 7° em Londres, Comitê Paralímpico Brasileiro almeja 5ª colocação no Rio

Jogos Paralímpicos: com crescente sucesso do Brasil nas últimas edições, o que esperar do Rio?
Terezinha Guilhermina, tricampeã olímpica nos 100 e 200 metros já correu até com o Bolt! (Foto: Gareth Copley/Getty Images)

Na Paralimpíada do Rio, 279 atletas brasileiros disputarão as diversas modalidades dos Jogos, compondo a maior delegação da história do país. O Comitê Paralímpico do Brasil espera que o país supere marcas alcançadas nas últimas edições e atinja uma colocação mais alta no quadro geral de medalhas ao final das competições. 

A delegação brasileira compete nas Paralimpíadas desde 1984 e já conquistou um total de 221 medalhas ao longo destes anos em 10 modalidades. Destas, 102 foram garantidas apenas no atletismo, e 83 na natação

O maior medalhista representante do Brasil nos Jogos Paralímpicos é o nadador Daniel Dias. Ele conquistou, em Londres, o 5° ouro, somando a um total de 15 medalhas. Atrás dele estão Clodoaldo Silva, também da natação e Ádria Santos, do atletismo, ambos com 13 medalhas

Outro grande potencial de conquista de medalhas na Rio 2016 é a atleta Terezinha Guilhermina. Em Pequim a mineira de Betim alcançou o ouro nos 200 metros rasos e, na edição seguinte, em 2012, tornou-se tricampeã ao garantir o lugar mais alto do pódio nos 100 e 200 metros. 

Além dela, outro multicampeão olímpico é Lucas Prado, velocista paralímpico que conquistou o ouro nas provas dos 100, 200 e 400 metros rasos em Pequim e duas pratas em Londres nos 100 e 400 metros.

Os Jogos Paralímpicos Rio 2016 têm início no dia 7 de setembro (quarta-feira). A tocha Paralímpica foi acesa em Brasília nesta quinta-feira (25) e o revezamento começa no dia 1° do próximo mês.