Cassano revela arrependimento por saída da Roma: "Eu deveria ter ouvido Totti"

É comum vermos, com o passar dos anos, alguns jogadores que não atingem totalmente seu potencial, seja por uma avaliação errada, por decisões ruins ou até mesmo expectativas muito grandes em cima daquele atleta. No Brasil, é comum falarmos de Adriano, que teve grande sucesso em passagens pela Internazionale e pelo Flamengo, mas ainda parece ter ficado aquém do que se esperava por um jogador de tamanho calibre. Na Itália, um dos maiores exemplos desse tipo de situação é Antonio Cassano, atacante que está sem clube no momento.

Revelado pelo Bari, clube pelo qual se destacou, Cassano se transferiu para a Roma na temporada 2001/02. Jogando ao lado de nomes como Gabriel Bastituta, Vincenzo Montella, Aldair, Daniele De Rossi e, claro, Francesco Totti, o italiano viveu uma das melhores fases de sua carreira, impulsionado pelo bom momento que os giallorossi viviam. Apesar disso, só conquistou um título pela equipe da capital italiana, pois foi campeão da Supercopa da Itália, logo ao chegar no clube. Poderia ter conquistado duas Copa Itália, em 2006/07 e 2007/08, mas preferiu deixar o time para seguir rumo ao Real Madrid, durante a temporada 2005/06. O jogador, no entanto, se arrepende dessa decisão.

Em entrevista ao jornal esportivo Corriere Dello Sport, Cassano falou sobre sua carreira e lamentou a transferência, afirmando que deveria ter ouvi os conselhos de Totti: "Se eu tivesse ouvido pelo menos 10% dos conselhos positivos que o Totti me deu, minha carreira teria sido diferente. Se eu tivesse ouvido o que ele dizia, provavelmente teria ficado na Roma por 10 ou 15 anos junto dele. Eu realmente devia ter ouvido esses conselhos", disse o italiano, que não poupou elogios ao ex-companheiro.

Falando sobre sua chegada à Roma, o ex-camisa 18 romanista demonstrou carinho pelo Capitano, garantindo que Totti foi um dos responsáveis pela sua transferência: "Eu tive a chance de ir para a Juventus, depois do Bari, mas nesse início de carreira, eu admirava muito o Totti. Eu estava quase acertando com a Juventus, quando recebemos a proposta dos giallorossi e eu disse a meu agente que tínhamos que ir para Roma", comenta Cassano, antes de afirmar que esse foi o ponto alto de sua trajetória: "Nos divertimos muito jogando juntos e nos entendíamos com um piscar de olhos. Me diverti mais jogando com Totti do que em qualquer outro momento da minha vida", ressaltou.

Depois de chegar ao clube da capital, Cassano, com apenas 18 anos na época, precisou de ajuda para se estabelecer na cidade. Mais uma vez, Totti, já mais experiente, ajudou na adaptação, chegando a praticamente "adotar" o novo companheiro: "Eu fui para a Roma só para poder jogar ao lado de Totti. É impossível não ser amigo dele. É um cara muito humilde, realmente muito pé no chão. Depois de chegar em Roma, vivi com o pai e a mãe dele nos primeiros quatro meses, então realmente me sentia em casa na nova cidade", disse o jogador.

O jogador não se arrepende apenas do tempo que passou no Real Madrid, mas também das brigas e confusões acumuladas durante a carreira, destacando-se a briga com Riccardo Garrone, ex-presidente da Sampdoria: "Meu maior erro foi o ano e meio que passei no Real Madrid, porque fiz de tudo para arruinar minha carreira. Esse é meu maior arrependimento. Estive muito feliz na Samp e tinha achado alguém que, no mundo do futebol, era o melhor a nível pessoal: Riccardo Garrone. Ele era o pai que eu queria ter tido. Minha briga com ele foi o maior arrependimento da minha vida pessoal e nunca vou me perdoar por isso. Fico grato porque pudemos solucionar tudo antes de sua morte", revelou Cassano.

Além disso, Cassano demonstrou que ainda não superou sua saída da Internazionale, clube de coração, principalmente por conta de uma atitude de Walter Mazzarri, técnico responsável por sua transferência: "Sempre fui torcedor da Inter, então tentei deixar o Milan para ir para lá. Tive uma boa temporada, mas aquele guru chamado Walter Mazzarri chegou e agia como se soubesse de tudo. Logo no início, disse que não tinha problemas comigo, mas depois de assinar, disse que eu era o primeiro a sair", contou o italiano.

Sem clube, o jogador garante que não pensa em se aposentar e está buscando uma nova proposta para voltar aos gramados: "Sou outra pessoa agora, muito mais equilibrado e tranquilo. Queria continuar jogando porque, depois de minha esposa e meus filhos, o futebol é minha vida. Estive treinando com o time de juvenis porque ainda tenho muito entusiasmo. É a primeira vez que consigo manter meu peso ideal, mesmo sem jogar por seis meses. Estou convencido de que ainda posso me divertir e fazer diferença na Serie A", sentenciou Cassano.

VAVEL Logo