Nicolás Pasquini, a chave para manutenção da posse de bola do Lanús

Nicolás Pasquini, a chave para manutenção da posse de bola do Lanús

Um dos mais vitoriosos pelo clube faz uma trajetória importante na Copa Libertadores de 2017

allan-viana
Allan Viana

O Lanús é um time com um esquema de jogo bem definido. O técnico Jorge Almirón trabalha com o 4-3-3 formado por um meio campo de bons passes: Iván Marcone, Román Martínez e Nicolás Pasquini, sendo este último, a chave para a manutenção da posse de bola. O meia também é conhecido por seu chute de pé esquerdo.

Nicolás Pasquini, argentino de 26 anos, lateral esquerdo de origem chegou ao Lanús em 2006. Jogou no Atlanta-ARG em 2010 por empréstimo através de um acordo entre os clubes para ganhar experiência. Lá ficou por dois anos, convertendo 4 gols em 27 jogos. Voltou ao Lanús em 2013 onde foi campeão da Copa Sul-Americana contra a Ponte Preta.

Desde então, atua pelo clube tornando-se o terceiro jogador com mais títulos pela equipe (4). O Campeonato da Primeira Divisão Argentina 2016 , o Bicentenário 2016, a Supercopa Argentina 2017 e a Sul-Americana de 2013.

Em 2017, para chegar a sua primeira decisão de Libertadores, o jogador atuou como volante, sendo importante em diversas partidas. Além de ir bem no setor defensivo, Pasquini acompanha as jogadas ofensivas da equipe somando três gols na competição. O seu primeiro gol foi na vitória por 5 a 0 contra o Zulia-VEN na 3ª rodada da fase de grupos, marcando o quinto gol após driblar três adversários e bater no canto esquerdo do goleiro.

Partidas importantes

Nas oitavas de final, no empate por 1 a 1 na partida de ida contra o The Strongest-BOL em La Paz, o meia abriu o placar chutando de longe no ângulo com o pé esquerdo. No jogo de volta em Buenos Aires em La Fortaleza, o jogador foi crucial para a classificação, quando após receber um passe de José Gómez, Pasquini tocou de primeira para José Sand marcar o gol da vitória por 1 a 0.

Na próxima fase o Lanús encarou o San Lorenzo, rival de seu país. No jogo de ida na casa do adversário, perderam por 2 a 0, e Pasquini com uma atuação apagada. No jogo de volta, novamente fez a diferença, marcando de cabeça o segundo gol, devolvendo o placar da primeira partida, levando o time à disputa de pênaltis. Pasquini converteu o segundo gol da disputa, onde o Lanús venceu por 4 a 3.

Nas semifinais, o Lanús fez história na Copa Libertadores da América. Após perder por 1 a 0 para o River Plate no estádio Monumental, o time ainda saiu perdendo na volta por 2 a 0, e com a enorme pressão da torcida em La Fortaleza, “Los Granates” viraram o jogo para 4 a 2, classificando-se para a final. Nicolás Pasquini sofreu o pênalti do quarto gol, quando foi puxado por Montiel.

Preparado para a decisão

Pasquini já está em Porto Alegre, junto a todos os membros da lista da Copa Libertadores para a primeira final contra o Grêmio, que será disputada na quarta-feira (23), às 21h45 com a arbitragem do chileno Julio Bascuñán.

Almirón planeja repetir a equipe que conseguiu avançar fase antes de San Lorenzo e River Plate: Andrada; Gómez, Herrera, Braghieri e Velázquez; Martínez, Marcone e Pasquini; Silva, Sand e Acosta.

VAVEL Logo

Argentina Notícias

há 10 dias
há 14 dias
há 15 dias
há um mês
há um mês
há 4 meses
há 4 meses
há 5 meses
há 5 meses
há 5 meses
há 5 meses