Manchester United é letal, conta com dois gols de Rashford e derrota Liverpool

Reds permanecem por mais tempo no campo ofensivo, mas equipe de José Mourinho é inteligente, aproveita as poucas chances que cria, e cosnegue importante vitória na Premier League

Manchester United
2 1
Liverpool
Manchester United: De Gea; Valencia, Smalling, Bailly, Young; McTominay, Matic; Rashford (Fellaini), Mata (Lingard), Alexis Sánchez (Darmian); Lukaku
Liverpool: Karius; Alexander-Arnold (Wijnaldum), van Dijk, Lovren, Robertson (Solanke); Milner, Can, Chamberlain (Lallana); Salah, Roberto Firmino, Mané

Manchester United e Liverpool fizeram, neste sábado (10), uma partida repleta de extremos. Em Old Trafford, os torcedores presentes viram, na maior parte do tempo, a equipe de Jürgen Klopp no campo de ataque, fazendo triangulações e controlando a posse da bola. Os Red Devils, porém, contaram com uma grande atuação defensiva e um aproveitamento ofensivo quase perfeito para vencer a partida, válida pela 30ª rodada da Premier League, por 2 a 1. Marcus Rashford marcou os dois gols dos mandantes, enquanto que Eric Bailly, contra, deu os números para a equipe de Merseyside.

Como essa partida era um confronto direto, o Manchester United conseguiu abrir uma maior vantagem em relação ao Liverpool na briga pela segunda posição do Campeonato Inglês. Vitorioso, os Red Devils mantém sua posição de vice-líder, já que chegaram aos 65 pontos. Os Reds, por sua vez, agora veem o rival direto mais distante, já que a vantagem agora é de cinco pontos, e ainda podem ser ultrapassados pelo Tottenham, no 4º lugar, que ainda jogará na rodada e tem 58 pontos somados.

As duas equipes enfrentarão equipes londrinas em seus respectivos compromissos na 31ª rodada. O Liverpool, no próximo sábado (17), medirá forças com o Watford, nono colocado, em Anfield. Enquanto que o United irá ao Estádio Olímpico, para enfrentar o West Ham, que está com o alerta contra o rebaixamento ligado. 

Letal, Manchester United é clínico e consegue vantagem

O Liverpool começou a partida controlando a posse da bola, o que pode justificar os mais de 60% da equipe de Merseyside nessa estatística. Pórem, foi a equipe de José Mourinho que conseguiu fazer um melhor proveito da bola em seus pés: no primeiro ataque dos Red Devils no jogo, aos 14 minutos, Lukaku escorou uma bola vinda do tiro de meta cobrado por De Gea, que foi em profundidade para Marcus Rashford, que se aproveitou do espaço vazio, cortou Alexander-Arnold com um drible de letra e finalizou colocado, abrindo o placar.

Mesmo com o tento, o panorama da partida não mudou, já que o Liverpool continuou tendo a bola em seus pés, apesar de criar poucas chances, já que o trio de ataque não estava se entendendo dentro de campo. O Manchester United, por sua vez, se mostrou letal novamente: Lukaku fez um trabalho de pivô no meio-campo, conduziu e tocou para Mata, a defesa dos visitantes cortou a bola para o lado, da onde surgiu Marcus Rashford, que, de primeira, bateu colocado e conseguiu balançar as redes de Karius pela segunda vez na partida.

Rashford foi o protagonista do primeiro tempo (Foto: Laurence Griffiths/Getty Images)

A equipe de Jürgen Klopp até conseguiu ameaçar mais o United, se comparado com o panorama dos minutos anteriores, e teve algumas chances reais de fazer um gol, apesar de não ter exigido nenhuma intervenção complicado de David De Gea. Com cerca de 64% da posse da bola, o Liverpool viu os mandantes criaram possibilidades concretas mais uma vez, quando, aos 38 minutos, Alexis Sanchez encontrou Mata dentro da área. Em uma falha da defesa visitante, o espanhol estava completamente livre na região da marca da cal, mas o camisa 8 tentou finalizar de voleio e viu seu chute passar muito perto do gol. 

Liverpool pressiona, faz um gol, mas sai de campo derrotado

Precisando reverter o resultado negativo, o Liverpool começou o segundo tempo no ataque e, com menos de 4 minutos, havia criado duas chances de gol: primeiro com Van Dijk, que cabeceou por cima da meta do United após cobrança de escanteio e depois com Salah, que, após receber um passe por elevação de Roberto Firmino, não conseguiu finalizar dentro da área por conta de uma intervenção providencial dos zagueiros do United, que conseguiram evitar um possível gol dos visitantes, já que o egípcio passa por uma fase artilheira.

O segundo tempo estava praticamente sendo um ataque contra defesa, já que o Manchester United praticamente abdicava de atacar, já que seus volantes pouco participavam do jogo ofensivamente. Com isso, o Liverpool conseguia pressionar e ter espaço no terço final do campo e, aos 21 minutos, finalmente conseguiu diminuir o placar: Mané fez grande jogada pelo lado esquerdo, deixou Valencia para trás e fez um cruzamento rasante para o meio da área. Eric Bailly, que tentou cortar, acabou pegando na bola com o bico da chuteira, e a bola acabou entrando na sua própria meta.

Bastante inteligente no primeiro tempo, o Manchester United pouco ameaçou na etapa complementar. Em um momento do período, a equipe de José Mourinho estava com 25% da posse da bola, o que conseguia justificar o amplo domínio do Liverpool, que, com a entrada de Adam Lallana na partida, atacava com qualidade, criando boas jogadas pelos lados do campo a partir de passes no chão, mas parava em uma atuação praticamente perfeita do sistema defensivo dos Red Devils, que, definitivamente, entrou para os 45 minutos finais pensando em apenas defender.