França e Dinamarca avançam às oitavas no primeiro jogo sem gols da Copa

Apesar de um jogo ataque contra defesa, o placar persistiu zerado até o apito final

Dinamarca
0 0
França
Dinamarca : Schmeichel; Dalsgaard, Kjær, Zanka e Larsen; Christensen; Delaney (Lerager, min. 92), Eriksen, Sisto (Fischer, min. 59) e Braithwaite; Cornelius (Dolberg, min. 74).
França : Mandanda; Sidibé, Varane, Kimpembe e Hernández (Mendy, min. 49); N’Zonzi e Kanté; Lemar, Dembélé (Mbappé, min. 77) e Griezmann (Fekir, min. 68); Giroud.
ÁRBITRO: Sandro Meira Ricci (BRA-FIFA). Cartões amarelos: Zanka (SUI);
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira rodada do Grupo C da Copa do Mundo, disputada no estádio Luzhniki, na Rússia.

Jogo de compadres? Foi essa a impressão que ficou de França e Dinamarca, na manhã desta terça-feira (26), no estádio Luzhniki. Apesar de toda a pressão francesa, a muralha dinamarquesa segurou o empate com uma forte marcação. 

Com o empate, a seleção de Didier Deschamps fecha a fase de grupos líder, com sete pontos somados. Já o time comandado por Age Hareide se classifica em segundo, com cinco pontos somados. Logo mais, às 15h, com a definição do Grupo D, os países saberão seus adversários nas oitavas de final. 

Parede dinamarquesa segura juventude da França 

Aos 15 minutos, os Le Bleus tentaram chegar pela primeira vez. Olivier Giroud recebeu no meio, conseguiu tocar para Lucas Hernández, que invadiu a área e devolveu para o camisa 9 finalizar de primeira, obrigando Schmeichel a fazer boa defesa. 

Os dinamarqueses quase chegaram ao gol em um veloz contra-ataque. Cornelius puxou pela ponta esquerda, avançou e cruzou rasteiro para Eriksen, que acabou sendo travado na hora certa pelo goleiro Mandanda. 

Dembélé tentou tirar o zero do placar. O atacante francês foi pra cima de Delaney, se livrou do marcador e soltou a bomba de perna direira, mas a bola saiu ao lado do gol adversário, sem levar grande perigo. 

Antonie Griezmann, um dos astros e líderes técnicos da seleção francesa, também tentou de fora da área. Após boa puxada de contra-ataque, a bola sobrou nos pés do camisa 7, que tentou finalizar, mas Schmeichel defendeu. 

Empate persiste no placar, apesar de movimentação 

No segundo tempo, Eriksen tentou duas vezes. Na primeira, o camisa 10 cobrou falta e Mandanda acabou batendo roupa, dando rebote. Em seguida, o meia tentou finalização de longa distância e tirou o suspiro do torcedor. 

Fekir entrou e logo na primeira grande chance quase tirou o zero do placar. Lemar fez boa jogada e serviu o meia na ponta esquerda. Com liberdade, o camisa 18 encheu o pé e acertou a rede pelo lado de fora, o que levou alguns torcedores a comemorar. 

Nabil Fekir tentou de novo, e quase abriu o placar. De fora da área, o jogador puxou para a perna canhota, a boa, finalizou bonito no cantinho, mas Schmeichel voou para fazer uma excepcional defesa e evitar o primeiro gol do jogo.