Em jogo marcado por golaços, Milan bate Chievo e e entra na zona de classificação à Champions

Clube rossonero aproveitou os erros dos donos da casa para marcar no fim do primeiro tempo e no início do segundo

Em jogo marcado por golaços, Milan bate Chievo e e entra na zona de classificação à Champions
Foto: Dino Panato/Getty Images
Chievo
1 3
Milan
Chievo : Stefano Sorrentino; Dario Dainelli, Alessandro Gamberini, Massimo Gobbi, Fabrizio Cacciatore; Ivan Radovanovic, Mariano Izco (Jonathan de Guzmán, min.65), Lucas Castro; Valter Birsa, Roberto Inglese (Riccardo Meggiorini, min.59), Antonio Floro Flores (Sergio Pellissier, min.77).
Milan: Gianluigi Donnarumma; Mattia De Sciglio, Alessio Romagnoli, Ignazio Abate, Gabriel Paletta; Giacomo Bonaventura, Juraj Kucka, Manuel Locatelli; Suso (Andrea Poli, min.81), Gianluca Lapadula (José Sosa, min.70), M'Baye Niang (Carlos Bacca, 88).
Placar: 0-1, min.45, Juraj Kucka, 0-2, min.46, M'Baye Niang, 1-2, min.76, Victor Birsa, 1-3, min.93, Carlos Bacca.
ÁRBITRO: Gianluca Rocchi. Dario Dainelli (min.14), Manuel Locatelli (min.35), Gabriel Paletta (min.75), Riccardo Meggiorini (min.78), Fabrizio Cacciatore (min.91).
INCIDENCIAS: Partida válida pela oitava rodada da Serie A 2015/16. Realizada no Estádio Marcantonio Bentegodi, em Verona, na Itália.

Nada brilhante, mais eficiente e fatal. Esse foi o Milan de Vincenzo Montella que derrotou o Chievo, por 3 a 1, em Verona, neste domingo (16), pela oitava rodada da Serie A. A intensidade foi a principal característica da primeira etapa, que foi concluída com um belo gol de Juraj Kucka após falha defensiva dos donos da casa.

No retorno do intervalo, M'Baye Niang foi quem aproveitou o erro adversário, marcando o segundo. Aproximando o fim da partida, Victor Birsa diminuiu para o Chievo, mas Carlos Bacca, que havia entrado na segunda etapa, contou com um desvio em Dainelli para deixar sua marca e marcar o terceiro tento dos rossoneri.

Com uma grande campanha neste início de temporada, o Chievo perde sua primeira partida no Marcantonio Bentegodi. Uma vitória colocaria a equipe gialloblù na terceira posição do certame. Mantendo-se na quinta colocação, ainda na zona que daria vaga para a próxima Uefa Europa League, o Chievo volta a campo no próximo domingo (23), quando visita o vice-lanterna Empoli no Carlo Castellani.

A vitória em Verona deixa o Milan com cinco partidas de invencibilidade, uma marca com uma extrema importância para quem aos poucos vai buscando identidade e sequência de bons desempenhos. Agora com 16 pontos ganhos, o Diavolo assume a terceira colocação da Serie A, atrás da Roma por conta do saldo de gols e a cinco pontos da líder e rival, a Juventus. E é justamente a Velha Senhora o próximo adversário do Milan, em um duelo marcado para o próximo sábado (22), no San Siro.

Erro defensivo "destrói" bom primeiro tempo do Chievo

A primeira etapa começou movimentada em Verona, com ambas as equipes atacando e defendendo com intensidade. Suso de perna esquerda foi o primeiro a arriscar de fora da área, após passe de Bonaventura, mas a bola passou longe da meta dos donos da casa. Respondendo à altura, e logo no lance seguinte, Victor Birsa assustou Donnarumma também com finalização a longa distância.

A intensidade também foi levada à sério no quesito faltas. Foram diversas durante a etapa inicial, mas apenas um cartão amarelo foi apresentado, para o defensor do Chievo Dario Dainelli nos minutos iniciais. Apostando mais uma vez nos chutes de fora da área, Birsa mais uma vez arriscou de longe, desta vez com a perna esquerda aos 21'. Pelo alto, Floro Flores teve boa oportunidade, mas o centroavante cabeceou sem muita força no centro do gol, facilitando a vida de Donnarumma.

Dono das principais oportunidades dos 45 minutos iniciais, o Chievo também colecionou impedimentos. Foram cinco ao total, na tentativa de realizar jogadas em profundidade. Sem muitas chegadas ao ataque no fim do primeiro tempo, Suso foi novamente quem levou perigo do lado rossonero, mais uma vez finalizando da entrada da área.

Próximo ao intervalo, Victor Birsa voltou a aparecer finalizando bonito de perna esquerda, e obrigando Donnarumma a realizar boa defesa no canto direito. Mas antes de todos irem para o vestiário, Cacciatore falhou na saída de bola, Juraj Kucka roubou e bateu bonito de perna esquerda no ângulo de Sorrentino, inaugurando o marcador.

Etapa complementar tranquila para o Milan após ampliar brevemente o placar

A volta do intervalo não poderia ter sido mais semelhante ao fim da etapa inicial. Novamente um erro individual, desta vez de Dainelli, M'Baye Niang foi quem tomou a bola do zagueiro do time de Verona, limpou bonito mais um marcador e bateu de perna esquerda, sem chances para o arqueiro adversário. Na comemoração o jovem atacante foi ao banco de reservas para buscar a camisa com o nome de Montolivo, homenagendo o companheiro que deve ficar de fora dos gramados por aproximadamente seis meses.

Atletas do Milan erguem camisa de Montolivo durante a comemoração do segundo gol (Foto: Dino Panato/Getty Images)
Atletas do Milan erguem camisa de Montolivo durante a comemoração do segundo gol (Foto: Dino Panato/Getty Images)

Em dois erros consecutivos o Chievo criou duas boas oportunidades para colocar fogo na partida, mas Donnarumma mostrou segurança para realizar boas defesas. Com mais espaço e confiança para aproveitar os contra-ataques o Milan assustou novamente com Lapadula, de perna esquerda o substituto de Carlos Bacca obrigou Sorrentino a espalmar sem muita direção, Bonaventura levantou mais uma vez na área na sequência, o goleiro do Chievo errou ao tentar socar a bola pra lateral e Niang perdeu boa oportunidade de marcar o terceiro da equipe de Milão.

Neste instante a partida foi tomada por uma intensa pressão do Milan. Bonaventura arriscou de perna esquerda e contou com um desvio da zaga do Chievo, por pouco não deixando sua marca. Ainda na busca por seu primeiro gol com o manto rossonero, Lapadula fez boa jogada individual aos 64', finalizou firme de perna direita mas Sorrentino fez boa defesa. Em cobrança de falta de Niang, Sorrentino brilhou mais uma vez.

Aos 76' o principal nome do Chievo na partida, Victor Birsa arriscou de perna esquerda para diminuiu o placar. Contudo, o Milan soube adminstrar com imensa capacidade o resultado conquistado, e ainda aumentou sua vantagem em uma contra-ataque que culminou no gol de Carlos Bacca, após seu chute desviar em Dainelli.