Kaká planeja continuar no futebol após encerrar carreira e mostra desejo de trabalhar no Milan

Meia manifesta vontade de seguir jogando e não descarta virar treinador ou dirigente depois de pendurar as chuteiras

Kaká planeja continuar no futebol após encerrar carreira e mostra desejo de trabalhar no Milan
Kaká é um dos maiores brasileiros que já vestiram a camisa rossonera (Foto: Claudio Villa/Getty Images)

Kaká não pensa em encerrar sua carreira por agora. Pelo menos é isso que o meia afirmou ao jornal polonês Przeglad Sportowy. O brasileiro, que não renovou com o Orlando City, da MLS (Major League Soccer) e está atualmente sem clube, admitiu que gostaria de seguir no futebol depois de pendurar as chuteiras.  A função? Dirigente ou treinador. E deixou as portas abertas para executar um dos dois cargos no Milan, clube cujo defendeu de 11 anos – somando duas passagens – e foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa em 2007.

"Eu gostaria de permanecer no mundo do futebol, como diretor esportivo ou treinador. Talvez até no Milan, que é um time que ficou marcado no meu coração, assim como os outros em que atuei", disse o jogador, xodó da torcida milanista.

+ Kaká lamenta fase do Milan, mas ressalta: "Voltará ao topo do mundo em breve''

O brasileiro, de 35 anos, também afirmou que ainda não pretende encerrar a carreira, revelando que decidirá onde jogar em algumas semanas. "Ainda estou avaliando o que fazer no futuro, mas ainda me sinto um jogador. Não tenho mais um contrato, mas vou decidir isso nas próximas semanas", contou.

Um dos clubes interessados em Kaká é o São Bento, que recentemente garantiu vaga na Série B do Campeonato Brasileiro. A diretoria do time paulista busca um grande nome no mercado para atrair patrocínios. Outro interessado natural é o São Paulo, clube que o revelou para o futebol mundial, mas não há qualquer negociação oficial no momento.

Messi, CR7 e Neymar

Kaká comentou sobre a disputa acirrada pelo prêmio de melhor do mundo. A última Bola de Ouro foi parar nas mãos de Cristiano Ronaldo, igualando os cinco títulos de Lionel Messi. Para o meia, a imprensa ajuda nessa concorrência entre os dois, e ele elegeu Neymar como um jogador que pode quebrar a sequência de vitória do português e do argentino.

"Hoje, a 'rivalidade' entre os dois é muito grande e a imprensa ajudou muito isso com a fomentação dessa briga que acabou motivando ambos os jogadores. Nunca vi Neymar tão em forma e pode, quem sabe, ser campeão e ser eleito o melhor do mundo", finalizou.