Bravo falha, mas City bate United em jogo eletrizante e segue na liderança da Premier League

Gols saem no primeiro tempo e rivais dão especulo no segundo; De Bruyne se destaca na partida

Bravo falha, mas City bate United em jogo eletrizante e segue na liderança da Premier League
Foto: Alex Livesey/Getty Images
Manchester United
1 2
Manchester City
Manchester United: De Gea; Valencia, Bailly, Blind, Shaw (Martial, min. 81); Fellaini, Pogba; Mkhitaryan (Herrera, min. 46), Rooney, Lingard (Rashford, min. 46); Ibrahimovic. Técnico: José Mourinho.
Manchester City: Bravo; Sagna, Stones, Otamendi, Kolarov; De Bruyne (Zabaleta, min. 90), Fernandinho, David Silva; Nolito, Iheanacho (Fernando, min. 53), Sterling (Sané, min. 60). Técnico: Pep Guardiola.
Placar: 0-1, min. 15, De Bruyne. 0-2, min. 36, Iheanacho. 1-2, min. 42, Ibrahimovic.
ÁRBITRO: Mark Clattenburg (ING). Cartões amarelos: David Silva (min. 41), Bailly (min. 45+1), Ibrahimovic (min. 50), Fellaini (min. 52), Rooney (min. 83).
INCIDENCIAS: Partida válida pela quarta rodada da Premier League, realizada no Old Trafford, em Manchester, Inglaterra.

À altura da expectativa depositada no duelo, Manchester United e Manchester City fizeram um jogo eletrizante do início ao fim na manhã deste sábado (10), no Old Trafford, pela abertura da quarta rodada da Premier League. Embora o goleiro estreante Claudio Bravo tenha falhado no gol dos Reds Devils, marcado por Zlatan Ibrahimovic, os Citizens venceram o dérbi pelo placar de 2 a 1. Kevin De Bruyne e Kelechi Iheanacho anotaram os tentos dos visitantes.

Com o resultado, o City chega a 12 pontos e segue com 100% de aproveitamento na liga inglesa, onde lidera. O United, por sua vez, sofreu sua primeira derrota e se mantém com os mesmos nove pontos que iniciou a rodada, atrás do rival e do Chelsea.

Agora, os dois times voltam suas atenções para as competições europeias no meio de semana. Na próxima terça-feira (13), a equipe azul de Manchester recebe o Borussia Mönchengladbach, às 15h45, no Etihad Stadium, pela rodada de abertura da fase de grupos da Uefa Champions League. Já o United joga na quinta-feira (15), às 14h, contra o Feyenoord, no estádio De Kuip, em Roterdã, pela primeira rodada da fase de grupos da Uefa Europa League.

Amplo domínio do City e falha de Bravo no gol de Ibrahimovic

As propostas de jogo de United e City ficaram bem evidentes desde os primeiros minutos do encontro. Reds Devils: abrir mão do domínio da bola e apostar em contra-ataques. Citizens: ter o domínio da partida e ocupar o campo ofensivo, sufocando o adversário.

Nos primeiros minutos, o Manchester City permaneceu por muito tempo no ataque, forçando as jogadas. Mas foi o United quem chegou primeiro com perigo. Rooney puxou contragolpe, inverteu o jogo para Mkhitaryan, que escorou para Pogba bater colocado e quase acertar o ângulo de Bravo.

Porém, o City conseguiu realmente o grande objetivo do futebol: marcar o gol. Aos 15 minutos, Kolarov deu um lançamento longo para a frente, Iheanacho raspou de cabeça e De Bruyne, após tirar Blind da jogada, superou De Gea e colocou os Citizens na frente.

Amplamente superior na partida, os comandados de Pep Guardiola não demoraram a fazer sua torcida comemorar novamente. Dentro da área, De Bruyne fez boa jogada pela direita, levou para a canhota e finalizou rasteio; a bola bateu na trave e voltou no jeito para Iheanacho, que só teve o trabalho de empurrar para a rede.

O intervalo estava se aproximando e o United pouco havia assustado a meta do City. O time de José Mourinho abdicava da posse de bola e optava por contragolpes, mas não conseguia concluir as jogadas.

Aos 42 minutos, entretanto, Ibrahimovic aproveitou uma falha do goleiro Bravo – estreante do dia – e diminuiu o prejuízo antes da ida para o vestiário. Nos acréscimos, Ibra mais uma ótima chance após outro erro de Bravo, mas chutou fraco e Otamendi ficou a com bola dominada.

Foto: Clive Brunskill/Getty Images
Foto: Clive Brunskill/Getty Images

United cresce na partida, mas City se segura e vence

Visando mudar o panorama de jogo no United, José Mourinho promoveu duas trocas no intervalo: saíram Mkhitaryan e Lingard – ambos poucos acionados no primeiro tempo – para a entrada de Herrera e Rashford, respectivamente.

As alterações deram gás novo ao United, que voltou melhor para a segunda etapa. Os Reds Devils passavam mais tempo no ataque e rondavam a área do City, mas mesmo assim seguiam com os mesmo problemas dos primeiros 45 minutos: ineficiência para finalizar as jogadas.

Aos 69 minutos, Rashford até conseguiu empatar o jogo, mas a bola desviou em Ibrahimovic, impedido, durante a trajetória até o gol de Bravo. Impedimento marcado e gol anulado. A resposta do City veio logo em seguida, com Fernando obrigando De Gea a fazer grande defesa.

Depois dos 70 minutos, o jogo ficou ainda mais eletrizando, com ambas as equipes lá e cá. Prova disso foram dois contragolpes do City após chegadas perigosas do United. Na primeira, Sané arrancou em velocidade e tocou para De Bruyne – que passou a jogar como falso 9 no segundo tempo – arrematar na trave. Depois, o meia belga apareceu novamente, mas dessa vez para servir David Silva, que bateu colocado e mandou para fora.

Os fãs que foram ao Old Trafford puderam desfrutar de um ritmo eletrizante nos minutos finais do embate. Para buscar o empate, Mourinho deixou sua equipe ultra-ofensiva ao tirar o lateral-esquerdo Luke Shaw e colocar Martial. Em contrapartida, Guardiola se fechou: tirou o meia-atacante De Bruyne, um dos destaques do jogo, e mandou o lateral-direito Zabaleta a campo.

O duelo virou um ataque contra defesa. City defendendo com seis jogadores e o United se segurando atrás com apenas um zagueiro, Bailly. Os Reds Devils jogavam muitas bolas à área dos rivais, mas os Citizens cortavam. Em um desses lances, Ibrahimovic quase marcou, mas a bola desviou na zaga e rumou à linha de fundo. No final das contas, o City conseguiu impedir o ímpeto do United e venceu o dérbi.

Foto: Clive Brunskill/Getty Images
Foto: Clive Brunskill/Getty Images