Reservas do Palmeiras empatam com Sampaio Corrêa e não evitam jogo da volta
Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras/

Com os olhos voltados para a segunda partida da decisão do Paulista, o Palmeiras viajou até o Maranhão para enfrentar o Sampaio Corrêa e buscar a vitória com dois gols de diferença para matar o jogo da volta. Mas o time maranhense se aproveitou da falta de entrosamento, dos erros de marcação da equipe alviverde para garantir o empate que garante o jogo da volta no próximo dia 12.

O tricolor maranhense volta os olhares para a o estadual do Maranhão, quando visita o Imperatriz. Será o segundo jogo da final e apenas um empate garante o título ao time do Sampaio Correa.

Já o Verdão tem um confronto mais difícil, quando visita a Vila Belmiro para encarar o Santos, no segundo jogo da decisão. Após vencer por 1 a 0, um simples empate quebra o jejum de 7 anos sem título estadual.

Muitas faltas, poucas chances e jogo sonolento

A equipe reserva palmeirense tinha a expectativa de mostrar trabalho ao treinador Oswaldo de Oliveira e nomes como, Ayrton, Renato, Victor Luiz, tinham a oportunidade de retomar a vaga na equipe titular. Apostando na velocidade e saindo muito pela direita, abusando da velocidade de Pimentinha, o Sampaio Correa conseguia bons ataques na aproximação e subida no lado esquerdo de defesa do Palmeiras.

A grama alta e a falta de entrosamento travavam o jogo dos visitantes e a velocidade no ataque palmeirense não tinha grande efeito, isso contando com os rápidos Gabriel Jesus, Kelvin e Ryder. A forte marcação, e às vezes até com faltas mais duras do time da casa, tirava o time palmeirense de perto da sua área e as principais chances do time visitante vieram em chutes de fora e numa delas, Ayrton acertou o travessão. Em outra chance esporádica, Renato apareceu livre na pequena área, mas mandou de ombros por cima.

Do lado do tricolor, Robert, experiente centroavante e esperança de gols do time do Sampaio Correa, perdeu a melhor chance do time, quando Pimentinha cruzou e o camisa 9 não alcançou a bola no arremate. Fora isso, muita catimba, reclamação com o árbitro e muitos erros de passes, travando muito o jogo e com raras chances de gols.

Mais aberto, argentino brilha mas o empate fica justo

Sem alterações, a expectativa era de, pelo menos, o Palmeiras sair mais pro jogo e matar o confronto nos últimos 45 minutos. Logo de início, dois bons ataques, com Robert perdendo um gol de letra na pequena área e um chute de longe de Allan Patrick que precisou de boa defesa do goleiro tricolor.

Fora esses lances de começo, o jogo voltou a apresentar um fraco nível técnico, novamente com erros de passes, pouca aproximação dos jogadores e entradas duras no meio de campo. O Sampaio Correa só tinha em Pimentinha a saída para o ataque e logo foi bem anulado pelo time do Verdão. 

Sentindo o físico e não apresentando mais força ofensiva, os mandantes mudaram afim de renovar o fôlego e segurar o empate que lhe era de ótimo agrado. Do outro lado, Cristaldo entrou no jogo e retonou aos gramados após uma lesão no início do ano. E foi do artilheiro da equipe que o Palmeiras abriu o placar. 

Em lançamento de Cristaldo buscando Gabriel Jesus, o arqueiro da Bolívia Querida dividiu com o jovem atacante e a bola sobrou para o argentino chutar cruzado e finalmente abrir o placar. 

O gol deu nova cara na partida e fez o tricolor sair mais para o jogo. A busca pelo empate daria o contra ataque ao time paulista, mas Oswaldo de Oliveira preferiu mudar e dar cadência de jogo, com as entradas de Andrey Girotto e Juninho. Só com Gabriel Jesus de atacante veloz, o Verde perdeu velocidade e começou a sofrer nos ataques pelas alas. Em uma dessas escapadas dos mandantes, Robert marcou, mas o árbitro erroneamente anulou, alegando impedimento.

O erro não tirou a rapidez do ataque do Sampaio Correa e o sumido Pimentinha encontrou espaço na direita, levou pro fundo e cruzou no segundo pau. Cleitinho fechou e cabeceou fraco, mas o suficiente para fazer a bola passar da linha e empatar o jogo. Resultado justo para o que foi o jogo.

No final, Andrey Girotto ainda mandou um chute de fora tirando tinta da trave e o time maranhense também perdeu grande chance ao forçar Jaílton à grande defesa. Após o apito, o empate garantiu o time do Nordeste a sua vinda para São Paulo.

VAVEL Logo