Em jogo marcado por lesões e pouca inspiração, Santa Cruz e Inter empatam no Arruda
(Foto: Divulgação / Internacional)

Futebol em baixissímo nível, campo ruim e etc., foram os fatores que acabaram mantendo confronto entre Santa Cruz e Internacional, no Estádio do Arruda, sem gols. No jogo válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro 2017 Série B, as equipes não saíram do 0 a 0 em um jogo pobre, nada de empolgante.  

O principal vilão da partida foi o gramado do Estádio do Arruda. Por isso, faltou qualidade técnica na partida. Em um campo muito prejudicado por conta da chuva,o jogo foi marcado pela quantidade alta de "balões". O jogo aéreo foi a principal marca do confronto.

Por coincidência ou não, dois jogadores tiveram lesões musculares, além de jogadores com câimbras. Danilo Silva, zagueiro do Inter, estava escalado para iniciar a partida ao lado de Ernando. Porém, no aquecimento, o zagueiro sentiu dores e teve de ficar de fora. Instantes antes de iniciar o jogo, Klaus foi escalado às pressas por Guto Ferreira. No intervalo, Ernando nem voltou para a para segunda etapa e teve de dar a vaga à Léo Ortiz.

O Internacional ocupa atualmente a quinta posição, com 13 pontos. O próximo compromisso do Internacional é na próxima terça-feira (20), às 21h30, no Gigante da Beira Rio, contra o Paraná. Com a mesma pontuação, mas uma posição acima, dentro do G-4, o Santa Cruz vista o América-MG no mesmo dia, mas às 19h15.

Baixa qualidade técnica e dificuldades dos dois lados

O primeiro tempo foi de baixo rendimento das duas equipes. Ambas não conseguiram criar muitas oportunidades. A primeira grande chance do jogo foi do Inter. Carlinhos cruzou e Edenílson recebeu na entrada da área. O volante colorado chutou de perna esquerda que não é a sua boa, e mandou à direita de Júlio César.

Aos 26, Thiago Primão bateu um escanteio, Elicarlos desviou de cabeça e Danilo Fernandes espalmou na segunda trave. A melhor chance do Santa Cruz no primeiro tempo, foi aos 33 minutos, com Bruno Paulo. O atacante recebeu na esquerda, na pota da grande área, puxou para a perna direita e chutou à esquerda de Danilo Fernandes. 

No fim do primeiro tempo, o zagueiro Ernando sentiu o músculo posterior da coxa e nem voltou para a segunta etapa. Ernando deu lugar à Léo Ortiz.  

Falta de criatividade continua e jogo não sai do zero

Assim como a primeira etapa, a segunda não foi muito diferente. As duas equipes não conseguiram criar oportunidades pelo meio do campo. O jogo continuava trancado e as equipes pobres na criação. Como na primeira etapa, quem mais criou foi a equipe da casa.

Logo aos oito minutos, o volante Elicarlos lançou o atacante Bruno Paulo. que driblou a marcação e bateu pra fora. O Internacional chegou aos 14 com Marcelo Cirino, que chutou de longe por cima do gol de Júlio César. Aos 19 minutos, a segunda alteração colorada. Guto Ferreira trocou o uruguaio Nico López por Diego.

Aos 21, o técnico Adriano Texeira tirou o meia Léo Lima e colocou o atacante Augusto. As alterações feitas pelos treinadores não tiveram uma grande contribuição parta o desenvolvimento tático e técnico da partida. Porém, aos 22 minutos, o recém chegado na partida Diego, cobrou uma falta próxima a meia lua da grande área, pelo lado esquerdo. O chute passou raspando a trave. Este foi o último lance de impacto na partida, que terminou sem gols no Recife.

VAVEL Logo