Paraná Clube
Paraná Clube
Team
Soccer

Paraná Clube

1889 Curitiba, Paraná


Fundação

Nascido de uma fusão entre os clubes Colorado Esporte Clube e Esporte Clube Pinheiros, o Paraná Clube foi criado em 19 de dezembro de 1989 durante o almoço que aconteceu no bairro Santa Felicidade, Curitiba, ainda em 1988, entre os dirigentes de tais clubes, onde definiram o nome, cores, símbolos e slogan. O registro desta reunião foi feito em um guardanapo, sendo um dos momentos mais peculiares e simbólicos do clube.

No entanto, para chegar ao nascimento do Paraná Clube, ocorreu diversas fusões desde 1914, até chegar em 1989 e ser concretizado entre a fusão de Colorado Esporte Clube e Esporte Clube Pinheiros que já haviam sido fruto de uniões. O símbolo que aparece no escudo é a gralha azul, símbolo do Estado do Paraná. A escolha das cores foi bem simples, enquanto o Colorado era vermelho e branco, e Pinheiros azul e branco, o Paraná mesclou o azul, vermelho e branco.

Na época, o Paraná Clube ganhou o status pelos seus próprios dirigentes de “clube do ano 2000”, fomentando a grande expectativa de um belo futuro. E nos seus dez primeiros anos de instituição, o Paraná Clube se tornou o clube paranaense a ser batido. Para um clube com apenas 30 anos de fundação, o início do Paraná Clube foi arrasador entre 1991 a 1997, conquistando seis vezes o Campeonato Estadual, e em 1992 o Campeonato Brasileiro da Série B, estando na elite do futebol brasileiro em 1993. Em 2006, foi a melhor temporada do clube, sendo campeão paranaense e se classificando para a Copa Libertadores da América em 2007, pela primeira vez na história, quando chegou às oitavas-de-final do campeonato. Além de participar, da Copa Conmebol e Copa Sul-Americana. A participação do clube na Libertadores foi um dos momentos em que o clube levou seu nome, marca, paixão de seus torcedores além das terras brasileiras. Em 2017, a torcida também mostrou a sua força quando lotou todos os estádios de Curitiba na campanha em que marcou seu retorno à Série A do Campeonato Brasileiro.

A guarda
A guarda

O famoso Estádio Durival Britto e Silva

Inaugurado em 1947, e localizado na Rua Engenheiros Rebouças, 1100 - Jardim Botânico, Curitiba – PR, o Estádio Durival de Britto e Silva, também conhecido como a Vila Capanema, foi um dos estádios que deram palco a Copa de 1950 com grandes jogos entre Espanha 3x1 EUA e Paraguai 2x2 Suécia. Apesar de ser um estádio de pequeno porte, inaugurado com a partida entre Ferroviário 1x5 Fluminense, era o terceiro maior estádio do Brasil, perdendo para o Pacaembu/SP e São Januário/RJ. Em 1940, o majestoso estádio Vila Capanema, é considerado o templo do futebol paranaense, pelo fato de ter sido o único estádio do Estado a sediar uma partida pela Copa do Mundo, em 1950. Em 2005, comandada pelos até então diretores de planejamento e marketing, Márcio Villela e Neto Gayer, iniciou a campanha “Vila, Tá na hora!”, após inúmeros pedidos da torcida que queriam obras de revitalização, ampliação e de adequação ao Estatuto do Torcedor. Reestruturado em 2006, o palco ampliou a capacidade de 12.100 para 20.083 espectadores. A reforma revitalizou o estádio com uma nova arquibancada, novos camarotes, novas lanchonetes, novos sanitários, nova sala de imprensa e o maior estacionamento entre os estádios dos clubes da capital.

Ídolo

O Paraná Clube é um clube novo, foi fundado há 30 anos, mas não foi por isso que deixou de colher grandes histórias e também grandes jogadores, e um deles é Saulo da Fé Freitas, 52, o Tigre da Vila. O jogador é o maior artilheiro da história do clube, com 104 gols marcados. Foi campeão do Campeonato Paranaense, em 1991, e campeão do Campeonato Brasileiro da Série B, em 1992. Também foi campeão do Campeonato Brasileiro da Série A pelo Palmeiras, em 1993, e pelo Grêmio, em 1996. Além de passagem como jogador, iniciou a carreira de técnico no Paraná Clube em 2003, onde ficou por um ano até 2004. Retornou em 2007 e ficou até 2008, somando duas passagens.

Mascote

Desenvolvida em 2008 pelo Departamento de Marketing, a Gralha-Azul é a mascote do Paraná Clube, ave símbolo do Estado do Paraná. Além dela, o clube tem ainda no seu brasão o Pinheiro-do-Paraná, árvore que também simboliza o Estado. Principal disseminador da araucária, a Gralha-Azul, armazena os pinhões para se alimentarem. Elas mantêm os pinhões no solo ou em troncos caídos em processo de apodrecimento.

Por fazer parte de uma manifestação popular, atribui-se a este pássaro a manutenção e formação das florestas de araucária como algo divino. A Lei Estadual nº 7.957 de 21 de novembro de 1984 consagra a ave como símbolo do Estado do Paraná. (Art. 1º. - É declarada ave-símbolo do Paraná o passeriforme denominado Gralha-Azul, Cyanocorax caeruleus, cuja festa será comemorada anualmente durante a semana do meio ambiente, quando a Secretaria da Educação promoverá campanha educativa sobre a relevância daquela espécie avícola no desenvolvimento florestal do Estado, bem como no seu equilíbrio ecológico).

Hino do Paraná Clube - O hino foi composto por João Arnaldo e Sebastião Lima

Paraná já nasceste gigante
és o fruto de luta e união
tens a força, o arrojo, a imponência
e o poder da realização

Nas três cores do teu estandarte

Tão altiva está a gralha azul
que plantou neste solo tão fértil
esta grande potência do Sul

Refrão:

Meu Paraná... meu tricolor
teu pavilhão simboliza
em cores tão vivas
a garra e o amor

Meu Paraná... meu tricolor
eu sou a camisa doze
que tanto te ama
sou teu torcedor

II

Tua origem coberta de glória
é que faz teu imenso valor
teu destino é vitória, vitória
salve o meu esquadrão tricolor

Paraná és guerreiro valente
e do esporte a maior razão
verdadeira alegria do povo
Paraná clube do coração

2007, a primeira Libertadores

No ano de 2007 foi especial na história paranista. Pela primeira vez, o time disputava a Libertadores da América. A vaga tricolor foi conquistada depois de terminar o Campeonato Brasileiro de 2006 em quinto lugar e eliminar na fase pré-Libertadores a equipe chilena do Cobreloa. Na edição de 2007, a caminhada paranista acabou nas oitavas de final após perder por 2x1, empatar em 1x1 e ser eliminado para os paraguaios do Libertad. Antes, no Grupo 5, somou 9 pontos em seis jogos, ficando atrás somente do Flamengo (16 pontos) e à frente de Real Potosí (6 pontos), da Bolívia, e Maracaíbo (2 pontos), da Venezuela.

Paraná em Potosí, na Bolívia
Paraná em Potosí, na Bolívia

Em breve, mais histórias sobre o Paraná Clube.

//