Pelé do Uruguai? Reis do mundo? Clássico San-São é repleto de curiosidades

Nesse domingo (18), um dos maiores e tradicionais clássicos do futebol paulista será disputado: o San-São. A partida entre São Paulo e Santos, no estádio do Morumbi, tende a ser um duelo equilibrado, já que ambas as equipes buscarem uma formação ideal e um entrosamento no inicio deste ano.

Por isso, a VAVEL Brasil decidiu buscar fatos, histórias e apresentar algumas curiosidades de uma das grandes, mais gratificantes e fervorosas rivalidades do futebol brasileiro. Fique por dentro dos detalhes abaixo.

O início

O primeiro clássico data de quase 88 anos atrás, na época em que o campeonato estadual era considerado o mais desejado torneio entre os clubes paulistas. O confronto original foi em maio de 1930, mesmo ano da fundação do São Paulo.

Vale ressaltar que, enquanto o Santos só iria conquistar a primeira taça em 1935, o Tricolor Paulista venceu a segunda edição em que participou da competição, quando ainda era recém-fundado, em 1931.

Foto: Popperfoto/Getty Images

A criação do "San-São"

O nome ‘’San-São’’ foi batizado pelo jornalista Thomaz Mazzoni, italiano com nacionalidade brasileira, no antigo jornal A Gazeta Esportiva. Além deste clássico, o jornalista batizou mais três duelos de rivais paulistas: Majestoso (Corinthians x São Paulo), Choque-Rei (São Paulo x Palmeiras) e Derby Paulista (Palmeiras x Corinthians).


Foto: Popperfoto/Getty Images

Soberania no duelo

Ao todo, foram realizadas 304 partidas desde 1930. Durante esse período, contam-se 131 vitórias para o São Paulo, 71 empates e 102 triunfos para o Santos. A equipe do Morumbi também é quem mais balançou as redes: 508 marcados contra 439 levados.

Reis do mundo

As duas equipes juntas possuem a maior quantidade de títulos internacionais no país. Unindo as conquistas, destacam-se seis Copas Libertadores, cinco Mundiais de Clubes, três Recopas Sul-Americanas e duas Copas Conmebol. Se considerarmos todos os títulos, são vinte taças somadas.

Foto: Bob Thomas/Getty Images

O Pelé do Uruguai

Um dos grandes momentos da rivalidade foi no início dos anos 1970. Depois do trimundial pela Seleção Brasileira e antes de se aventurar pela terra do Mickey, Pelé travou grandes duelos com um dos seus maiores adversários: o uruguaio Pedro Rocha. Camisa 10 e um dos ídolos máximos do São Paulo e de sua equipe nacional, foi considerado pelo Rei um dos cinco melhores jogadores que viu jogar.

Foto: Norman Quicke/Express/Getty Images

Placares recheados

A maior goleada do clássico aconteceu no dia 18 de junho de 1944, quando o São Paulo venceu por 9 a 1, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. O maior chocolate aplicado pelo Peixe veio no dia 7 de março de 1963, pelo torneio Rio-São Paulo, com o triunfo por 6 a 2.

"Agora quem dá bola é o Santos"

Em duelos válidos por mata-mata, o Santos tem um histórico positivo em relação ao rival paulistano: ao todo, o time da Vila Belmiro se deu bem em oito ocasiões, sendo cinco pelo Campeonato Paulista, uma pelo Campeonato Brasileiro e outra pela Copa Sul-Americana.

Foto: NELSON ALMEIDA/AFP/GettyImages

Top cinco goleadores do clássico

Os cinco maiores artilheiros do clássico no século XXI fazem parte de uma lista bem equilibrada. Primeiro, há Luís Fabiano e Neymar, com nove gols cada; depois, Ricardo Oliveira, com oito gols; finalizando a classificação, Dagoberto e Diego marcaram quatro gols.

Foto:  Levi Bianco/News Free/LatinContent/Getty Images

Cara e coroa

No futebol, é comum que jogadores vistam várias camisas distintas durante suas carreiras. Apesar disso, acrescenta-se novos sabores aos confrontos quando um atleta enfrenta sua ex-equipe. Entre nomes que jogaram por São Paulo e Santos estão: Pita, Serginho Chulapa, Neto, Müller, Caio Ribeiro, Ricardo Oliveira e Paulo Henrique Ganso.

Foto: Alexandre Schneider/Getty Images

 

VAVEL Logo