Em Cariacica, Flamengo e Boavista decidem título da Taça Guanabara

Rubro-negro ainda não sabe o que é perder em 2018, mas o Verdão de Saquarema não está muito atrás e encerrou a fase de grupos em primeiro lugar do Grupo C

Em Cariacica, Flamengo e Boavista decidem título da Taça Guanabara
(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)
Boavista
Flamengo
Boavista: Rafael; Thiaguinho, Gustavo, Kadu Fernandes e Júlio César; Douglas Pedroso, Willian Maranhã e Fellype Gabriel; Erick Flores, Cláudio Maradona e Leandrão
Flamengo: César, Pará, Réver, Rhodolfo e Renê; Cuéllar, Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Everton; Henrique Dourado.
ÁRBITRO: Rodrigo Nunes de Sá
INCIDENCIAS: Jogo válido pela final da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca 2018.

Sete anos depois, Flamengo e Boavista reeditarão a final da Taça Guanabara. Naquela ocasião, o rubro-negro levou a melhor, mas, em 2018 o Verdão chega com moral após derrotar o Fluminense e dar trabalho ao Botafogo na fase de grupos. O espetáculo está marcado para às 17h deste domingo (18) e o palco do torneio será o Estádio Kleber Andrade, em Cariacica (ES).

De um lado, uma equipe conhecida mundialmente, com um elenco caro formado por estrelas. De outro, um time vindo da Região dos Lagos do Rio de Janeiro, com uma realidade completamente diferente dos grandes clubes brasileiros, mas, na Taça Guanabara, o jogo é de igual para igual. O Boavista chega bem à final após terminar a fase de grupos em primeiro lugar, desbancando o Botafogo. O Flamengo chega como favorito à final, depois de encerrar a primeira fase da competição invicto.

O último confronto das duas equipes cariocas foi em janeiro de 2017: o Flamengo aplicou uma goleada e venceu o Boavista por 4 a 1, com direito a dois gols de Guerrero, um de Trauco e outro de Diego. É a segunda vez que os clubes decidem uma final de Taça Guanabara. A anterior foi em 2011, com o Flamengo sendo campeão por 1 a 0, em jogo disputado no Nilton Santos. Na ocasião, o time da Gávea contava com nomes como Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho, autor do gol da vitória.

O retrospecto é favorável para o carioca rubro-negro. Ao todo, as equipes se enfrentaram 13 vezes. São nove vitórias para o Flamengo, três empates e uma vitória para o Boavista, em jogo válido pela Taça Rio de 2012. No salgo de gol, a equipe de Carpegiani também leva vantagem: marcou 27 gols e sofreu apenas 11.

Com apenas Juan de fora, Flamengo mantém equipe da semifinal em busca de título

O técnico Paulo Cesar Carpegiani gostou da vitória da sua equipe contra o Botafogo, no último dia 10, e decidiu manter os mesmos jogadores para enfrentar a Boavista. A única alteração da equipe será no setor defensivo com Juan de fora. O atleta, que já vinha tratando de dores no tornozelo, sentiu as costas e foi cortado da final. Para o seu lugar, o Flamengo terá Rhodolfo como dupla de Réver, que falou sobre a emoção de jogar frente aos torcedores capixabas.

“A torcida capixaba é maravilhosa, sempre que a gente vem jogar aqui é essa receptividade. Então, a gente fica muito feliz e espera que amanhã possa dar a resposta dentro de campo”, comentou Réver ao desembarcar no aeroporto em Vitória, no Espírito Santo. “É sempre uma pressão, mas a gente tem que entrar com firmeza buscando conquistar esse título”, completou.

O técnico do Flamengo chegou a comentar que Cariacica seria um “campo neutro para ambas as equipes”, mas, se os números pudessem falar, diria o contrário. Apesar dos últimos três jogos não trazerem boas memórias (derrota contra o Palestino, empate com o Flu e Paraná), o Flamengo conta com um ótimo retrospecto no Kleber Andrade. Ao todo, são nove vitórias, dois empates e duas derrotas.

Sem mais surpresas, o Flamengo deve entrar em campo com César, Pará, Réver, Rhodolfo e Renê; Cuéllar, Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Everton; Henrique Dourado.

Com três ex-Fla no elenco, Boavista faz mistério no último treino antes da final

O Boavista não quer saber de dar mole para rival. Por um pedido da comissão técnica, a imprensa não pôde acompanhar o último treino da equipe de Saquarema, já no Kleber Andrade, no início da noite de sábado (17).  

O time comandado por Eduardo Allax tem algumas preocupações para a final, como o experiente atacante Leandrão, que deixou o campo no primeiro tempo da semifinal contra o Bangu, e o meia Erick Flores, revelado pelo Flamengo. Erick não atuou na semifinal e deu lugar a Fellype Gabriel, que também já atuou pelo rubro-negro, e foi o destaque da partida marcando os dois gols do empate. Ao comentar a situação, Erick Flores preferiu não entrar em detalhes. “Essa dúvida é do treinador, uma dor de cabeça boa para ele. O Fellype vem entrando muito bem e é bom para o treinador, que tem três boas opções. Vamos ver o que ele vai fazer para o domingo”, respondeu.

Outro jogador que já vestiu a camisa do Flamengo é o lateral Júlio Cesar, que deve estar em campo nesse domingo (18). O jogador foi, inclusive, campeão carioca pelo rubro-negro em 2004 e tem um vasto currículo sendo campeão, também, pelo Vasco e Botafogo no estadual e Fluminense no Campeonato Brasileiro. O lateral comentou sobre a sua passagem pelo, agora, rival Flamengo. “Foi um aprendizado muito grande, uma experiência enorme. Eu era muito novo e tinham jogadores que eram meus ídolos, como o Zinho, Junior Baiano, Felipe, Edílson Capetinha... Espero que essa experiência que eles me passaram, eu possa passar para meus companheiros também”.

A tendência é que o Boavista entre em campo com Rafael; Thiaguinho, Gustavo, Kadu Fernandes e Júlio César; Douglas Pedroso, Willian Maranhã e Fellype Gabriel; Erick Flores, Cláudio Maradona e Leandrão. Se o atacante Leandrão não estiver disponível, o meia Lucas deve entrar como titular e Cláudio Maradona jogará como centroavante.