Brigatti enaltece poder de criação da Ponte após goleada fora de casa: "Poderíamos ter feito mais"

Técnico interino falou sobre o rendimento, as mudanças no time titular e sobre a importância de jogar em casa na próxima rodada, após grande vitória sobre Paysandu por 4 a 0, fora de casa

Brigatti enaltece poder de criação da Ponte após goleada fora de casa: "Poderíamos ter feito mais"
(Foto: Divulgação/Ponte Preta)

A Ponte Preta iniciou o segundo turno do Campeonato Brasileiro da Série B, com uma vitória de 4 a 0 sobre o Paysandu, no Estádio Curuzu, em Belém do Pará. O técnico interino João Brigatti chegou à Campinas na manhã desta quarta-feira (8) e falou à assessoria de imprensa do clube, a cerca do rendimento da equipe na goleada. Além disso, destacou o preparo físico dos atletas e das substituições que foram realizadas durante a partida.

“Quis colocar saúde na equipe. Havia muitos jogadores desgastados, principalmente pela sequência de jogos difíceis que tem na Série B. Jogamos no sábado à noite em Araraquara, uma viagem longa no domingo aqui para Belém e mantive em segredo a escalação, para pegarmos de surpresa o adversário. Minha intenção foi sim dar um pouco de vigor físico para a equipe, que se postou muito bem, principalmente no primeiro tempo, porque sabíamos que o Paysandu viria com tudo, ainda mais nas bolas paradas. Levaram grande perigo, mas nós, nos contra-ataques, conseguimos marcar gols e no segundo tempo poderíamos até ter feito um placar muito mais elástico e até histórico na Série B”, analtece João Brigatti.

O treinador revelou que analisou os pontos fortes do Paysandu na vitória contra o Figueirense, com destaque para o posicionamento dos jogadores no campo de ataque do adversário. Também avaliou as quatro mudanças que realizou na equipe em relação ao jogo anterior. Nicolas, Reginaldo, Lucas Mineiro e Hyuri foram escalados no time titular.

“Já conhecia o Nicolas e não tive o menor receio de lançá-lo como titular. O Hyuri é um jogador extremamente técnico, veloz, não sei porque não estava jogando no Ceará. Quem ganha é a Ponte Preta, com um atleta qualificado. O Reginaldo também supriu a ausência do Léo e se comportou muito bem. Enalteço o elenco e isso nos dá uma alegria para a sequência do segundo turno”, disse o treinador.

Para finalizar, o treinador ainda destacou a importância de voltar a atuar em Campinas, com a presença da torcida. A Ponte recebe o Criciúma, na próxima terça-feira (14), às 21h30.

Primeiro: temos que ter tranquilidade. Segundo: pés no chão. Terceiro: peço o apoio da torcida, que vai se fazer presente no segundo turno. Apoiar do início ao final, porque precisamos muito. O time precisa jogar dentro de casa, o que nós jogamos fora. Com essa personalidade. E o que precisamos é do apoio de todos. A Ponte Preta é uma só e almeja subir”, concluiu o técnico interino.