Eliminação precoce aumenta instabilidade de Zé Ricardo no Botafogo: "Pressão é enorme"
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Eliminação precoce aumenta instabilidade de Zé Ricardo no Botafogo: "Pressão é enorme"

Com um homem a menos desde o final do primeiro tempo, Botafogo sofre a virada e é eliminado da Copa do Brasil

marco-aurelio
Marco Aurélio Ferreira de Alencar

Mais uma desclassificação precoce amargada pelo torcedor botafoguense na temporada. Após ser eliminado do Campeonato Carioca, sem sequer ter disputado as semifinais dos turnos, o Botafogo é derrotado pelo Juventude por 2 a 1 e está eliminado da Copa do Brasil apenas na terceira fase. Sem o meia Alex Santana desde o fim da primeira etapa, o Alvinegro sofreu a virada em Caxias do Sul, e está fora da competição.

O péssimo resultado aumentou o clima de instabilidade sobre o treinador Zé Ricardo. Depois do jogo, o comandante reafirmou seu desejo de continuar a frente da equipe, porém deixou claro que está é uma decisão que não depende só dele.

"Meu desejo sempre é de continuar. De cumprir contratos, mas essas questões eu deixo essas duvidas de prorrogação, permanência, duração de contrato são prerrogativas do empregador. Nesse caso é o clube que deve se posicionar. Mas a gente sabe como funciona o futebol brasileiro."

Zé admitiu a enorme pressão acerca de seu trabalho em relação ao desempenho do time neste primeiro semestre. Disse ter noção da campanha ruim feita no estadual e lamentou a derrota desta noite.

"Pressão é enorme. Sei que todos estamos sentindo. Atletas, comissão, direção. Nosso rendimento poderia estar melhor, assumo isso. Não fizemos um Carioca bom, e isso trouxe ainda mais pressão. Queríamos passar de fase. O futebol tem disso. Momentos bons, momentos ruins, mas a gente precisa saber manter a tranquilidade nesses momentos."

O técnico também destacou que a eliminação é consequência dos erros cometidos e dos gols perdidos no Nilton Santos, que ocorreram majoritariamente nos 45 minutos finais.

"Eles trataram bem o jogo, com todo respeito. Copa do Brasil é decidida em detalhes, viemos preparados para isso. Mas infelizmente quando a gente tinha o jogo caminhando para algo que a gente achava interessante, tivemos a expulsão, e o Juventude fez valer a superioridade numérica. Como eu falei, nosso maior pecado foram as chances perdidas no segundo tempo do Nilton Santos."

O comandante fez uma análise com suas visões do que aconteceu em campo. Para Zé, a pressão inicial do Juventude não foi uma surpresa e disse que o Glorioso viu a classificação escapar em determinados lances. Com um jogador a mais, os donos da casa souberam aproveitar a superioridade numérica.

"Não surpreendeu, Treinamos assim. Conheço o Marquinhos e sabíamos que eles fariam essa pressão. Seguramos bem, até conseguimos um gol, mas foi anulado. O futebol as vezes é assim, não fomos eliminados hoje. Semana passada poderíamos ter feito um placar melhor, mas infelizmente não entrou. Vimos a classificação escapar em alguns lances que até certo ponto infantis. E o Juventude soube aproveitar a superioridade numérica ao longo da partida."

"Difícil falar qual o fator. Sabíamos que teríamos que ter o jogo controlado, concentrado. Acabamos perdendo um jogador muito cedo. Difícil jogar assim numa situação de mata mata, e foi isso que aconteceu."

A equipe volta a campo apenas para a estreia no Campeonato Brasileiro, no dia 27 de abril. O Alvinegro vai dar seu primeiro passo na competição contra o São Paulo, às 16h (Brasília), no Estádio Morumbi. Zé Ricardo – caso seja mantido no cargo – terá mais de duas semanas para preparar o elenco pro confronto.

VAVEL Logo