Após mais um tropeço Geninho lamenta: "A gente tenta, mas nem sempre consegue" 
Foto: Divulgação/Vitória

Nessa sexta (15), o Vitória foi até o Independência enfrentar o América-MG, pela 36ª rodada da Série B. Em partida pouco favorável ao time baiano, o placar final terminou em 2 a 1 para o time da casa, que saiu na frente e entrou no G-4. Já o Vitória permanece no meio da tabela com chances de cair de posição ainda nessa rodada. 

Após o resultado, Geninho em coletiva falou sobre a apresentação do time no jogo:

"Time tentou jogar. Capa tem a seu favor o fato de vir há mais de um mês sem fazer uma partida. Sentiu a falta de ritmo. O próprio Matheus Rocha sentiu também. Não são só os dois. Até jogadores mais experientes não fizeram uma partida do nível que estamos acostumados. Lucas e Gedoz participaram muito, mas participaram pouco de jogadas efetivas. Anselmo Ramon ficou perdido no meio de dois zagueiros. Era jogo de bola enfiada, não para bola de domínio. Por isso troquei para um jogador de velocidade [Eron]. Não tivemos medo do adversário. Infelizmente não fizemos uma partida do nível que estávamos fazendo."

Geninho repetiu a escalação do confronto com a Ponte Preta, que deu um resultado positivo, no entanto contra o América não teve o mesmo efeito:

"Estávamos usando dois laterais sem ritmo de jogo. Eles tiveram dificuldades jogando com três zagueiros, na recomposição. Mesmo com três zagueiros, o América-MG jogou muito pelo lado. O segundo gol veio de jogada de lado. A gente fortaleceu a marcação, deu suporte aos laterais, para que eles pudessem fazer o que têm de melhor. Eles são jogadores de apoio, não de marcação. Eles têm deficiências na marcação. Tinha até mesmo a preocupação de jogar com a linha de quatro. Com Van, que vinha jogando, teria a opção de jogar como estávamos jogando. Mas isso tudo é teoria. A gente imagina, mas depende do que acontece no jogo, que não ocorreu da forma que a gente esperava."

O técnico falou sobre a necessidade de ganhar na próxima partida para se livrar do perigo do Z-4:

"Se você for pensar, temos duas partidas para fazer um ponto. Podemos fazer seis. Depende daquilo que a gente vai tentar produzir dentro de campo. Nós viemos aqui tentando buscar esses três pontos e matar essa angústia toda. De repente, até um ponto poderia, aqui, nos dar... Conforme fosse a rodada, nós poderíamos sair classificados daqui com um ponto quando terminasse a rodada. Infelizmente, não aconteceu. Nós sabíamos o risco que corríamos. Nós jogamos contra um time que está brigando diretamente para subir. O Operário-PR vai ser outra parada difícil. Depois nós temos o Coritiba, que muito provavelmente, vai definir sua vida lá. Então, quanto mais cedo a gente atingir o nosso objetivo, melhor. E estamos tentando isso. Só não pode falar que hoje o time não correu, não lutou, não batalhou, não tentou. A gente tenta, mas nem sempre você consegue."

Estagnado com 42 pontos o Vitória tem mais duas rodadas para correr atrás da permanência na Série B, a próxima é contra o Operário-PR na terça (19) ás 21h30.

VAVEL Logo