Weverton falha e reservas brilham no empate entre Bahia e Palmeiras
Bahia e Palmeiras empatam em Pituaçu (EC Bahia/Divulgação)

O Palmeiras vinha de uma grande vitória no Clássico da Saudade no último domingo (23), contra o Santos. O Bahia ainda patinava (e patina) no Campeonato Brasileiro 2020. Neste sábado (29), porém, as duas equipes se equivaleram em jogo válido pela sexta rodada da competição. O duelo aconteceu em Pituaçu, na capital baiana. 

A partida teve números gerais (como posse de bola e finalizações) equilibrados, mas as estatísticas que dependiam da eficiência (como finalizações do gol), foram dominadas pelo Palmeiras. Um erro individual, porém, colocou tudo a perder por parte do Verdão. 

Boa parte das ações aconteceram na segunda etapa. Tudo isso porque o primeiro tempo teve pouquíssimo futebol.

Números fracos, atuação ainda pior

Apenas uma finalização no gol, sendo dez tentadas. Cerca de 15% de eficiência nos cruzamentos tentados - de dezenove, apenas três foram certos. Achar qualidade técnica na primeira etapa foi algo difícil para qualquer analista. De toda maneira, o Bahia começou mais ofensivo (teve chance com Rodriguinho), mas, a partir dos vinte minutos, o Verdão começou a chegar com mais frequência ao ataque - Willian arriscou, sem perigo. Gilberto, Rossi e Rodriguinho também tentaram o gol pelo Bahia, sem sucesso. 

Espelhadas em um 4-2-3-1, Bahia e Palmeiras tinham funções bem diferentes de atletas em campo. Sobretudo no ataque: enquanto Willian fazia o papel de falso nove, se movimentando bastante, Gilberto buscava ser o centroavante de referência. 

Jogo, enfim

A segunda etapa foi muito melhor que a primeira. Não só pelo óbvio motivo de que seria difícil ser pior, mas as equipes tiveram muito mais ações ofensivas - e conseguiram ser mais eficientes.

Logo aos dois minutos, Gilberto marcou após bela assistência de Rossi. O ponta direita do Bahia, porém, estava em posição irregular quando arrancou. Aos oito minutos, Rony cruzou da direita e Lucas Lima não alcançou a redonda. No minuto seguinte, novo cruzamento de Rony e nova ausência de finalização.

O Bahia passou, de novo, a tomar conta das ações. Rossi avançou pela direita aos 13 minutos e Mayke. Aos 15, Élber chutou de longe e a bola subiu demais. 

O Palmeiras, na sequência, dominou as jogadas ofensivas. Aos 17, uma previsão do que aconteceria: Anderson errou e quase entregou a bola nos pés de Willian. Aos 30, Wesley avançou pela esquerda e chutou forte - Anderson se redimiu do erro anterior. No minuto seguinte, porém, não teve jeito. Luiz Adriano encontrou Gustavo Scarpa no lado esquerdo e ele cruzou na medida para Zé Rafael marcar. Os três atletas saíram do banco de reservas.

E não faltaram momentos para ampliar. Gustavo Scarpa recebeu na direita e chutou com a canhota, para defesa de Anderson. Aos 45, Zé Rafael arrisca de longe e Anderson espalma. No rebote, Luiz Adriano foi travado por Gregore ao finalizar.

O castigo pelas chances perdidas, porém, veio logo na sequência. Juninho Capixaba, na intermediária direita, alçou bola na área e Weverton saiu mal demais para abafar. A redonda sobrou nos pés de Marco Antônio, que, sem goleiro, empatou a peleja já aos 49 minutos. O autor do gol também veio do banco de reservas.

Classificação e próximos jogos

Na próxima rodada, o Bahia recebe o Flamengo, na próxima quarta-feira (02), às 20h30, em Pituaçu. No mesmo dia, às 21h30, no Allianz Parque, o Palmeiras recebe o Internacional.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore
VAVEL Logo