Luan Carlos elogia
dedicação dos atletas do Goianésia e destaca: “Tem sido algo
histórico”
Foto: Reprodução

O técnico Luan Carlos, do Goianésiaanalisou a vitória do time por a 2 a 1, diante do Gama, nesse domingo (13), pelo Campeonato Brasileiro da Série D.

Mesmo com a ausência do volante do Dudu, do lateral esquerdo Elves e do capitão Iran, o Goianésia conquistou o resultado e confirmou vaga para às oitavas de final da competição.

"Muito feliz por participar deste momento. Fizemos um jogo de superação. Tivemos desfalques, ausências importantíssimas na equipe. Mas, sabíamos da força do nosso elenco. Sabíamos que os jogadores que entrariam, fariam o seu melhor. E eu disse a eles no decorrer da semana: Se cada um fizesse o seu melhor, de forma individual, em prol do coletivo, a gente sairia daqui classificado. E foi isso que aconteceu", destaca o treinador. "A gente tinha um pensamento para este confronto: era sair vivo de Goianésia, sair com o confronto aberto. Conseguimos. Trouxemos a decisão para a casa do Gama e jogamos para eles a responsabilidade. Sabíamos que seria um jogo difícil por conta de tudo que passamos."

Ainda sem a confirmação de que o Marcílio Dias seria seu adversário na próxima fase, o treinador do Goianésia preferiu não projetar o confronto:

"Independente do adversário, a gente confia no nosso time, na nossa equipe. Sabemos que está afunilando. Chegamos a um patamar que o Goianésia ainda não conhecia e confesso que tem sido algo histórico".

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

Agora, Luan Carlos terá cerca de cinco dias livres para recuperar os atletas e trabalhar.

“Nós temos um elenco muito esforçado. Um elenco limitado no seu tamanho. É um elenco pequeno. O Goianésia não tinha condições financeiras de montar um elenco com maior investimento. Acreditou no potencial de cada jogador. Tivemos inúmeras dificuldades no decorrer da competição: Lesões graves e Covid-19. Teve jogo que tivemos 13 ou 14 jogadores (testados positivos).”

Ainda na entrevista coletiva pós-jogo, incomodado, Luan criticou a postura de alguns jornalistas.

"Eu ouvi muita palavra maldosa em relação ao nosso trabalho. De pessoas que não acompanham o dia a dia, que não sabem o que passa ali dentro, das dificuldades diárias que a gente tem para poder honrar a camisa do Goianésia. Repito: estou muito feliz pelo meu time, pelos meus jogadores, por eles acreditarem no clube e no potencial individual e coletivo de cada um deles".

"Muitas analises são ofensivas. Todo mundo aqui, antes de jogador, antes de um profissional de futebol, é um ser humano que está aqui dando o seu melhor e trabalhando diariamente. Eu convido essas pessoas a acompanharem os nossos treinos, o nosso dia a dia, a realidade do nosso clube e do nosso investimento".

Anunciado em março, dias antes da paralisação do Campeonato Goiano, o treinador do Goianésia nunca comandou a sua equipe com publico presente no estádio. Luan Carlos lamentou a impossibilidade desse contato devido a pandemia da Covid-19 e ressaltou a importância do apoio dos adeptos.

"Peço o apoio do nosso torcedor. Do nosso torcedor de verdade. Peço a colaboração dele para nos dar palavra positiva. Eu, infelizmente, como treinador do Goianésia, não tive a oportunidade de ver o nosso torcedor na arquibancada ainda. Eu queria muito ter o contato com esse torcedor. Infelizmente, pela Covid-19, fica inviável. Mas eu gostaria de dizer mais uma vez: Confiem no nosso trabalho! Estamos dando o nosso melhor, dentro das nossas limitações. O Luan não é o melhor treinador do mundo – está longe de ser. Os meus jogadores também tem limitações como qualquer profissional em qualquer área. O que a gente quer: que nos respeitem. Estamos fazendo o nosso melhor em prol do Goianésia e de cada torcedor".

FICHA TÉCNICA:

Gama 1x2 Goianésia

Gols: Vanilson (10' 1ºT), Dudu (39' 1ºT) Michel (44' 1ºT)

Gama: Roger; Michel, Gustavo, Romario (Norton), Gustavo; Esquerdinha, Ueslei (Robinho), Wallece (Felipe), Gabriel (Da Silva); Julio Lima (Paulo Henrique) e David de Souza

Goianésia: Artur; Bruno Leite, Caio, Márcio Luiz, Anderson Sobral e Léo Carvalho; Luciano Buiu, Franklin (Bosco) e Matheusinho (Lukinha); Dudu Itapajé (Ayrton) e Vanilson (Lucão); técnico: Luan Carlos.

VAVEL Logo