Diniz fala em ‘satisfação’ e explica tática usada para derrotar o Atlético-MG
Fernando Diniz, técnico do São Paulo (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Líder disparado, o São Paulo deu um passo gigante na corrida pelo título do Campeonato Brasileiro. Nessa quarta-feira (16), o Tricolor atropelou o Atlético-MG por 3 a 0, em confronto direto válido pela 26ª rodada.

Com o resultado, o time de Fernando Diniz chegou aos 53 pontos – sete de vantagem sobre o vice-líder, Galo. O que foi muito comemorado pelos atletas, que se recuperaram de derrota em um clássico.

Satisfação de os jogadores entenderem a importância do jogo. Precisávamos melhorar muito daquilo que foi apresentado com o Corinthians. Tático, físico, técnico e psicológico. Todos (jogadores), hoje, tiveram uma participação muito forte”, disse Diniz em entrevista coletiva.

Surpresa na escalação, o volante Tchê Tchê foi um dos melhores na partida, ofensivamente e defensivamente. O comandante são paulino justificou sua escalação levando em considerações fatores sobre o Galo.

É tudo uma questão de momento. O Tchê Tchê é um jogador muito estável e regular. O Atlético-MG ocupa o meio de campo com muito jogadores. Tínhamos que ter um jogador para esse jogo que conseguisse flutuar muito no meio das linhas do adversário, que conseguisse adiantar a marcação e, caso não conseguíssemos roubar a bola na frente, fazer um retorno muito rápido para deixar o meio campo preenchido”.

O São Paulo possui apenas três derrotas no Brasileirão – para Atlético-MG, Vasco e Corinthians. Esse fato deixa em evidência a eficácia dos jogadores de defesa o que, de acordo com Fernando Diniz, vêm evoluindo com o tempo a performance.

A evolução do sistema (defensivo) se deve ao tempo e trabalho. Muitas vezes em que tomamos gol, essa métrica funcionou mal. Houve partidas em que tomamos gol e o sistema defensivo jogou muito bem. Hoje, optamos por fazer uma marcação muito alta, pressionando o Atlético-MG ao máximo. É um time que não pode dar muito campo”.

VAVEL Logo