Azulão 40 vezes! CSA supera CRB nos pênaltis e conquista Campeonato Alagoano 2021
Augusto Oliveira/CSA

O azul volta a ser a cor predominante no estado de Alagoas. Apesar dos impedimentos causados pela pandemia, a torcida maruja incentivou como pôde. Nas redes sociais, no trajeto da concentração até o Trapichão, no incentivo que reverberou na mente de cada jogador. Todo o apoio dado foi recompensado. Como sempre, nada vem com facilidade. Foi à base de muito sofrimento, mas a Nação Azulina voltou a soltar o grito de campeão.

O CSA é o vencedor do Campeonato Alagoano de 2021. Em jogo disputado no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL, a equipe eternamente localizada do Mutange empatou com o arquirrival CRB em 1 a 1. Bruno Mota abriu o placar no Clássico das Multidões no primeiro tempo, mas Hyuri igualou o marcador ao Regatas no começo da etapa final. Com o empate sem gols no primeiro duelo ocorrido na semana passada, os pênaltis decidiram. Com duas defesas de Thiago Rodrigues, o maior vencedor da competição garantiu mais uma taça ao ganhar por 4 a 3. Pela 40ª vez, a estrela azul brilha mais forte na Terra dos Marechais.

Augusto Oliveira/CSA
Augusto Oliveira/CSA

Bruno Mota abre vantagem

Os dois times mudaram no setor ofensivo e o início do jogo mostrou o CRB pronto para pressionar e buscar o gol nos primeiros instantes. Com segundos de partida, Reginaldo Lopes foi acionado na direita e cruzou na área. Calyson desviou de cabeça, Hyuri tentou o domínio, mas Matheus Felipe apareceu para fazer o corte. O CSA apareceu quando Marco Túlio virou o jogo para Norberto e o lateral fez o cruzamento, bloqueado pela zaga adversária. Aos poucos, o lado azul do clássico controlava o ritmo da partida com a posse de bola e troca de passes no seu campo ofensivo. Mas levava muitos sustos nos contra-ataques. No mais perigoso deles aos 22 minutos, Calyson passou por marcação dupla e lançou Hyuri em velocidade. O atacante avançou pela direita, entrou na área e finalizou cruzado, mas a trave impediu o gol.

Quando o Galo teve o momento mais agudo no jogo, sofreu o primeiro golpe. Aos 26 minutos, Nadson cobrou escanteio e Bruno Mota subiu entre os zagueiros na primeira trave para colocar o Azulão do Mutange em vantagem. O que se viu depois foi um bombardeio azul. A equipe tinha campo e aproveitava o descompasso rival. Nadson teve boa oportunidade aos 40, mas houve desvio na zaga e a vantagem não foi ampliada por muito pouco. O Galo teve clara oportunidade nos acréscimos, mas a cobrança de Diego Torres perto da área caprichosamente não entrou.

Augusto Oliveira/CSA
Augusto Oliveira/CSA

Hyuri recoloca Galo no páreo

Necessitados do empate para voltar a ter chances do título, a execução do plano logo surtiu efeito. Aos dois minutos, Guilherme Romão cruzou na medida para Hyuri desviar de cabeça e igualar o marcador. Animados pelo gol, o CRB quase virou quando Diego Torres se livrou da marcação de Vítor Costa, acionou Wesley e o volante abriu com Luidy na esquerda. O atacante entrou na área, abriu espaço e balançou o lado de fora da rede. Enquanto o CSA tentava se reorganizar com as modificações feitas pelo técnico Bruno Pivetti, o CRB tentava controlar a partida sem abdicar do ataque. Porém, o desgaste físico e o impacto de uma decisão aceleraram a queda de intensidade em ambos os lados. O Azulão voltou a ter mais posse de bola, mas as finalizações rarearam.

Augusto Oliveira/CSA
Augusto Oliveira/CSA

Thiago Rodrigues faz a diferença e CSA volta a ser campeão

O CRB abriu a série de penalidades com gol de Lucão. Rodrigo Pimpão converteu e igualou a contagem. A partir daí, os goleiros trabalharam bem. Diogo Silva defendeu a cobrança de Matheus Felipe, mas Thiago Rodrigues evitou os gols de Jean Patrick e Jorge Jiménez. O Galo não perdeu mais com os tentos de Guilherme Romão e Diego Torres, mas o CSA tinha três cobranças e não desperdiçou também. Gabriel, Gabriel Tonini e Silvinho fizeram o lado azul prevalecer e ser dono do futebol alagoano pela 40ª vez em 90 edições do estadual.

Augusto Oliveira/CSA
Augusto Oliveira/CSA

Ficha técnica de CRB 1-1 CSA (3-4 nos pênaltis)

Estádio Rei Pelé, o Trapichão, em Maceió/AL – Campeonato Alagoano 2021, jogo #2 da final

CRB – Diogo Silva; Reginaldo Lopes (Jorge Jiménez, min. 86), Gum, Frazan e Guilherme Romão; Claudinei (Carlos Jatobá, min. 86), Wesley (Jean Patrick, min. 72) e Diego Torres; Calyson (Lucão, min. 72), Hyuri e Luidy (Erik, min. 80). Técnico: Roberto Fernandes.

CSA – Thiago Rodrigues; Norberto, Matheus Felipe, Lucão e Vítor Costa (Silas, min. 76); Geovane, Nadson (Gabriel Tonini, min. 70), Gabriel e Bruno Mota (Iury Castilho, min. 76); Aylon (Silvinho, min. 58) e Marco Túlio (Rodrigo Pimpão, min. 58). Técnico: Bruno Pivetti.

Gols – Bruno Mota (0-1, min. 26) e Hyuri (1-1, min. 47)

Arbitragem – Dênis da Silva Ribeiro Serafim (CBF/AL), auxiliado por Esdras Mariano de Lima (CBF/AL) e Brígida Cirilo Ferreira (FIFA/AL), com Jonata de Souza Gouveia (CBF/AL) como quarto árbitro

Cartões amarelos – Calyson (CRB, min. 9), Nadson (CSA, min. 14), Norberto (CSA, min. 42), Iury Castilho (CSA, após o fim do tempo normal), Thiago Rodrigues (CSA, durante os pênaltis)

Augusto Oliveira/CSA
Augusto Oliveira/CSA
VAVEL Logo