Valente, 4 de Julho aproveita bola parada e abre vantagem
diante do São Paulo
Rubens Chiri/São Paulo FC

Um dia antes do confronto entre 4 de Julho x São Paulo, o técnico da equipe piauiense, Fernando Tonet, afirmou que seus comandados jogariam sem medo, mesmo que entendesse a superioridade técnica, financeira e estrutural do adversário da noite desta terça-feira (1º) na terceira fase da Copa do Brasil 2021. Assim foi dito, assim ocorreu. Valente, o Colorado mostrou que as grandezas não ganham jogo e o que ocorre dentro das quatro linhas é o que vale. No Estádio Governador Alberto Tavares Silva, o Albertão, em Teresina/PI, o 4 de Julho venceu por 3 a 2. Orejuela (contra), Gilmar Bahia e Rômulo garantiram a vitória nordestina, enquanto Éder descontou duas vezes ao Tricolor paulista.

Valentia colorada

Em sua estreia à frente dos donos da casa, Tonet soube usar a base do time para formar um 4-4-2 básico com os principais nomes da equipe. Hernán Crespo manteve o esquema tático do São Paulo com três zagueiros, mas alterou as peças. Era uma equipe completamente reserva. Ainda assim, a primeira chance foi dos visitantes aos três minutos. Éder foi acionado na área, cruzou rasteiro e a zaga afastou. Vítor Bueno tentou aproveitar o rebote, mas Jaílson defendeu. E, na primeira chegada dos comandados de Tonet, os piauienses abriram o marcador. Esquerdinha cobrou escanteio fechado e Rômulo desviou. O goleiro Lucas Perri espalmou, a bola bateu em Orejuela e entrou.

Equipe reserva, jogadores pouco entrosados e mal posicionados. Era a dificuldade maior do Tricolor paulista no duelo. A equipe sofreu perigo em algumas tentativas adversárias, principalmente de Dudu Beberibe, mas Éder fez a diferença. Aos 21, o ítalo-brasileiro recebeu de Shaylon na área e finalizou por cima do goleiro Jaílson para empatar o jogo. Foi o melhor momento do São Paulo na partida, que mostrou o porquê de sempre ser cotado ao título mesmo que não tenha tal conquista em sua galeria. Melhor ainda aos 29, quando Éder recebeu de Wellington, deixou Jaílson desnorteado após driblá-lo e virar o jogo ao time da fé. Hernanes quase teve a chance de aumentar a vantagem, mas o travessão impediu.

Rubens Chiri/São Paulo
Rubens Chiri/São Paulo

Orejuela desnorteado

Nos minutos finais da etapa inicial, o 4 de Julho voltou a pressionar e poderia ter um aproveitamento melhor. Na primeira tentativa, Dudu Beberibe foi travado em dose dupla pela defesa oponente. Na segunda, Orejuela falhou de novo e Beberibe não acertou o alvo. Até que Orejuela mais uma vez se atrapalhou e Gilmar Bahia igualou o placar aos 45 minutos.

Era evidente que Fernando Tonet não poderia lançar o time todo ao ataque, mas os seus comandados aguerridos não esmoreceram em nenhum momento. A defesa dava espaços e Éder seguia como o principal responsável a levar perigo à meta adversária. Mas, quando tinha a chance, Jaílson se esforçava ao máximo. O efeito foi visto no campo ofensivo. Aos 20, após novo erro defensivo tricolor no jogo aéreo, Rômulo cabeceou e encobriu Lucas Perri para recolocar o 4 de Julho em vantagem.

Apesar das modificações de ambos os lados, o confronto permaneceu com o mesmo panorama. Enquanto o 4 de Julho aproveitava para finalizar quando tinha espaço e o São Paulo tentava usar a qualidade técnica de seus atletas para deixar a situação mais favorável. Nos acréscimos, Galeano tentou encobrir Jaílson, mas a bola saiu pela linha de fundo. Os tricolores lamentaram a atuação da arbitragem, que apresentou diversos erros, mas hoje era o dia da vitória piauiense histórica.

Com o resultado, os piauienses seguem sua brilhante história na Copa do Brasil com qualquer empate. Ao Tricolor, resta a vitória por um gol de diferença para levar a disputa aos pênaltis ou por dois tentos de vantagem para avançar na competição. O segundo e decisivo confronto será disputado às 19 horas da próxima terça-feira (8), no Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, em São Paulo/SP.

Rubens Chiri/Sâo Paulo FC
Rubens Chiri/Sâo Paulo FC

Ficha técnica 4 de Julho 3-2 São Paulo

Estádio Albertão, em Teresina/PI – Copa do Brasil, terceira fase jogo #1

4 de Julho – Jaílson; Edy, Gilmar Bahia, Marcelo e Chico Bala; Vítor Recife (Cinelton, min. 87), Rômulo, Esquerdinha e Hiltinho (Lucas Pederzoli, min. 85); Dudu Beberibe (Etinho, min. 63) e Pica-Pau (Kaká, min. 66). Técnico: Fernando Tonet.

São Paulo – Lucas Perri; Orejuela, Rodrigo Freitas e Diego; Galeano, Hernanes, William (Talles, min. 56), Shaylon e Wellington; Éder e Vítor Bueno (Nathan, min. 68). Técnico: Hernán Crespo.

Gols – Orejuela (1-0, gol contra, min. 8), Éder (1-1, min. 21), Éder (1-2, min. 29), Gilmar Bahia (2-2, min. 45), Rômulo (3-2, min. 65)

Arbitragem – Zandick Gondim Alves Júnior (CBF/RN), auxiliado por Vinícius Melo de Lima (CBF/RN) e por Francisco de Assis da Hora (CBF/RN), com Diego da Silva Castro (CBF/PI)

Cartões amarelos – Marcelo (4DJ, min. 34), Talles (SP, min. 75), Chico Bala (4DJ, min. 86), Shaylon (SP, min. 89)

VAVEL Logo