Tite aprova desempenho da Seleção Brasileira e cita gol sofrido: "Erro de posicionamento"
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Na manhã desta quinta-feira (2), a Seleção Brasileira goleou a Coreia do Sul por 5 a 1, em um amistoso de preparada para a Copa do Mundo. O jogo em Seul, teve a maior goleada na história entre as duas seleções. Os gols da Amarelinha foram de Richarlison, Neymar (dois de pênalti), Philippe Coutinho e Gabriel Jesus, Hwang Ui-jo descontou para os Tigres da Ásia.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Após a partida, o treinador Tite, participou de uma entrevista coletiva junto com seu auxiliar Cléber Xavier para falar sobre a partida, dos atletas que começaram jogando e também dos que entraram no decorrer da partida.

“A seleção brasileira esteve num patamar de desempenho em jogos recentes nossos. Fazer isso fora de casa, em ambiente e situação diferente, com nosso relógio biológico, com o fuso, é difícil. Tive que tomar um bando de café e, se não estiver com a cabeça legal, é difícil fazer isso com esse nível de desempenho. Gostei não só de quem começou entre os 11, mas de quem entrou. Ainda mais com alguns atletas vindos depois e trazendo esse nível de desempenho. Eu falo das "perninhas rápidas". Quanto mais o Fábio (preparador físico da seleção) colocar, mais o adversário se desgasta. A Seleção teve um padrão de atuação dos últimos jogos.”

Tite também falou especificamente do desempenho de alguns jogadores, como o lateral Alex Sandro, que participou de três dos cinco gols da goleada, foi um dos destaques da partida. O auxiliar Cléber falou sobre a melhora de desempenho do atleta após as lesões.

“O Alex Sandro teve um grande jogo na vitória contra o Uruguai (4 a 1 no ano passado). Depois ele teve desgaste, lesões e não conseguiu manter o nível. Tivemos visita a ele, falamos para ele desenvolver. No último jogo da Juventus, eu assisti e mandei mensagem para ele parabenizando. Ele tem noção e leitura de jogo muito alta e por trás qualidade e força de chegada. Contra o Peru, também sofreu pênalti numa situação de infiltração, ele equilibra bem também os lances defensivos. Ele estando bem fisicamente, voltando a esse nível, consegue fazer um grande jogo, como hoje.”

O treinador falou sobre a velocidade, os “perninhas rápidas”, e as construções da equipe durante o jogo. Falou sobre o gol da Coreia do Sul, que deixou a partida 1 a 1 e mesmo assim a equipe manteve a concentração e buscou a vitória, com direito a goleada.

“As construções e os perninhas rápidas. Os dois externos. A gente ajustou no intervalo porque o Raphinha estava vindo buscar muito atrás a bola. Ele tem a jogada construída e pensa na combinação com Neymar. No primeiro tempo a gente tinha que ter ele mais na última linha e eu dizia, "Calma, espera". Gostei de ter tomado o empate e ter mantido o nível de concentração. No pênalti, devemos ter ficado circulando a bola mais de um minuto e meio. Foi 1:40 até ter a infiltração. O Alex Sandro não é o jogador que fica lá na frente, vem de trás para surpreender. Esse aspecto também, tomar o empate e manter o nível de concentração, a bola não queimar no pé, rodar até encontrar o espaço.”

Tite ainda falou sobre o único gol que a Seleção sofreu na partida, por um erro de posicionamento. E que notando os erros, acorrem as correções como eles fizeram no intervalo.

“No gol que tomamos, tivemos erro de posicionamento. Quando mexeu uma peça, a gente desajustou e eles infiltraram por dentro. Precisamos de correções e a gente fez no intervalo. Enquanto mecanismo, organismo vivo, ficar trocando muita peça é duro. Foi meio acidental o giro dele (atacante sul-coreano), a bola enroscou e ele virou de frente. Temos que cuidar para não trocar muito e daqui a pouco essa estruturação se perder.”

Outro atleta que o Tite falou foi o Neymar, chamando o craque de “arco e flecha”. Falou da sua diferença de jogo entre o PSG e a Seleção Brasileira.

“Neymar é arco e flecha, conforme as circunstâncias do jogo. Ele tem essa capacidade. No PSG, jogando mais atrasado em relação a Mbappé e Messi. Aqui, ele fica mais premiado, mais flecha, a equipe trabalha em função de dar criatividade a ele nesse aspecto. Temos equipe solidária. Quando o atleta entra com aspecto solidário que entrou o Jesus. Antes de marcar seu gol, ele baixou duas e três vezes, fez cobertura. Quando tem um time que se gosta, está muito mais perto da vitória. Quando tem amizade, está muito mais perto de fazer algo a mais. Não é babar, é conhecer o futebol. Quando está propenso a fazer cobertura, isso te traz uma relação que o grupo está se formando.”

Não é novidade que Brasil chega como favorito para Copa do Mundo 2022, afinal é o maior campeão da história. Tite falou sobre o favoritismo da Seleção Canarinho e disse que tem que agir com sensatez.

“Com naturalidade, com discernimento, com sensatez, fortalecendo a cada momento. Esses ruídos de fora não podem entrar aqui. Alguém me falou: "tem que saber por que ganha e por que perde e empata", senão não vai repetir padrão e sucesso.”

A Seleção Brasileira tem outro amistoso de preparação para a Copa do Mundo, na segunda-feira (7), enfrenta o Japão em Tóquio, às 7h20. O treinador falou sobre o próximo jogo.

“Precisamos manter padrão e dar sentido pra equipe. Quando não tem sentido de organização, não estamos dando oportunidade. Está jogando atleta para dentro. Então, procuramos ajustar. Também oportunizar, mas dentro do que fazem no clube e aqui na seleção.”

 

VAVEL Logo