Precioso apoio nas arquibancadas garantiu manutenção do São Paulo-RS no Gauchão 2017

Com estádio lotado, corredor de fogos, caravanas, torcida do Leão não abandonou a equipe

Precioso apoio nas arquibancadas garantiu manutenção do São Paulo-RS no Gauchão 2017
(Foto: 3D Photo Designer)

Assim como aconteceu no ano de 2014 e 2015, o São Paulo-RS brigou para não cair no Campeonato Gaúcho. Mas mais uma vez, o Leão conseguiu escapar com ajuda da sua grande torcida, que não abandonou o clube e apoiou até o fim, sendo fundamental por salvar a equipe do rebaixamento.

Desde que subiu, com exceção de 2016, o São Paulo-RS foi um dos que foram para as últimas rodadas do campeonato brigando para não cair. Em 2017, a equipe de Rio Grande se salvou na última rodada com uma vitória sobre o Grêmio.

O São Paulo-RS começou o Gauchão 2017 com uma grande vitória, 3 a 0 sobre o Passo Fundo, no Vermelhão da Serra. Vitória que animou sua torcida, parecia que ia ser um ano diferente, em que ia brigar pelo topo.

 Mancha Rubro Verde na estreia do São Paulo, em Passo Fundo (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)

Mas depois da vitória, o Leão ficou no empate por 1 a 1 com o Juventude, no Aldo Dapuzzo. E repetiu o mesmo placar contra o Cruzeiro-RS, no Vieirão. A coisa começou a ficar feia para o Rubro-Verde após a derrota por 3 a 0, para o Caxias, no Centenário.

Dia 25 de fevereiro, o São Paulo-RS recebeu o Novo Hamburgo, no Aldo Dapuzzo. O Leão precisava de uma vitória e fez uma promoção de ingressos, livre para mulheres. Roteiro de vitória, parecia que tudo ia dar certo, mas aconteceu tudo ao contrário. Novo Hamburgo não deu chances para o time da casa, e o derrotou por 3 a 1.

(Foto: Divulgação/SC São Paulo)

Após mais uma derrota, o São Paulo-RS precisava de uma vitória no clássico contra o Brasil de Pelotas, fora de casa. Mas o Xavante levou a melhor, e venceu por 2 a 0. Deixando o Leão com cinco jogos sem vencer.

A força da torcida começou a aparecer

(Foto: Nicolas Vieira)

O São Paulo-RS recebeu o Ypiranga-RS, pela sétima rodada do Campeonato Gaúcho 2017. Era confronto direto contra o rebaixamento. Era jogo de seis pontos. Com a força da torcida, o Leão derrotou os visitantes por 2 a 1, e reencontrou o caminho das vitórias. 

Após encerrar seu jejum, o Leão tinha um confronto difícil contra o gigante, Internacional, no Beira-Rio. Com a área reservada para a torcida visitante lotada, o Rubro-Verde mostrou todas suas forças, lutou até o fim. Mas a qualidade da equipe colorada decidiu a partida, e o time da casa venceu por 1 a 0. 

Na nona rodada, o São Paulo-RS tinha outro confronto direto, dessa vez contra o São José. Era considerado o jogo do ano para todos os Rubro-Verdes, uma vitória já salvava o Leão do rebaixamento. A Torcida Organizada Mancha Rubro Verde preparou um corredor de fogos para a chegada dos jogadores. Toda energia e todo apoio possível foi passado aos atletas, com uma festa linda. Mas dentro de campo, pareceu que não tinha acontecido nada de apoio, o São Paulo-RS foi dominado pelo São José, dentro da sua própria casa, e derrotado por 3 a 1.

(Foto: Reprodução)

Após a derrota, o São Paulo trocou de treinador. Gilson Maciel foi demitido, e Márcio Nunes assumiu interinamente. O técnico que nunca havia treinado um clube, tinha dois jogos para salvar a equipe do rebaixamento.

Quando ninguém mais acreditava, a organizada Mancha Rubro Verde encheu dois ônibus e foi até a serra para apoiar a equipe. O Leão foi até Veranópolis precisando de pelo menos, um empate, para depender apenas de si na última rodada. Foi o que aconteceu. Jonatan Lima abriu o placar aos seis minutos para o time da casa, mas Leomir, empatou a partida e garantiu o empate que o São Paulo-RS tanto precisava. 

Dia 29 de março de 2017, o jogo mais importante do ano para a equipe de Rio Grande, ela tinha pela frente o Grêmio, que perdeu nas duas vezes que foi até Rio Grande (2014 e 2016), mas é uma das equipes mais ricas e forte do estado. O Aldo Dapuzzo estava lotado para apoiar o Rubro-Verde. 

Em um jogo fraco tecnicamente, o Cleylton aproveitou uma falha do goleiro Bruno Grassi para abrir o placar. Para a festa do estádio Aldo Dapuzzo lotado. Para a festa da cidade de Rio Grande, que em 2018 vai ter novamente o time da sua cidade no Gauchão. Para a festa dos que acreditaram até o fim. Para a comemoração de Márcio Nunes, que nunca havia treinado uma equipe, assumiu o comando faltando duas partidas, não perdeu e salvou o Leão do rebaixamento.

(Foto: Cristina Moraes/Quadrilha Bem Na Foto)