Robinho encerra jejum, Atlético-MG bate Atlético-PR e respira no Brasileiro

Com um gol em cada tempo, camisa 7 garante vitória do Galo na estreia do técnico Oswaldo de Oliveira e  volta a sonhar com vaga na Libertadores

Robinho encerra jejum, Atlético-MG bate Atlético-PR e respira no Brasileiro
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG
Atlético-PR
0 2
Atlético-MG
Atlético-PR: Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Fabrício; Pavez, Matheus Rossetto, Guilherme (Matheus Anjos, Min. 64) e Lucas Fernandes (Sidcley, Min. 53); Ribamar e Pablo (Felipe Gedoz, Intervalo). Técnico: Fabiano Soares.
Atlético-MG: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Elias, Valdívia (Otero, Min. 61) e Cazares; Robinho (Clayton, Min. 85) e Fred (Rafael Moura, MIN. 89). Técnico: Oswaldo de Oliveira.
Placar: 0-1, Robinho, Min. 22 || 0-2, Robinho, Min. 83.
ÁRBITRO: Árbitro: Wagner Reway (Fifa-MT). Auxiliares: Eduardo Gonçalves da Cruz (CBF-MS) e Fábio Rodrigo Rubinho (CBF-MT). Cartões amarelos: Robinho, Elias, Alex Silva, Victor (CAM); Ribamar (CAP).
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 26º rodada do Campeonato Brasileiro, realizado na Arena da Baixada, em Curitiba (pr).

Na noite deste domingo (1º), o Atlético-PR recebeu o Atlético-MG na Arena da Baixada, em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com dois gols de Robinho, o Galo derrotou o xará paranaense por 2 a 0,  voltando a vencer após três jogos. 

Autor dos tentos alvinegros, Robinho quebrou um longo jejum de gols que já durava 23 jogos, e garantiu os primeiros três pontos do Galo sob o comando de Oswaldo de Oliveira.

Com o resultado, o Atlético-MG chegou aos mesmos 34 pontos Furacão, mas leva desvantagem no saldo de gols (-2 a -1). O Galo ganhou duas posições e agora ocupa a nona posição. O Furacão, por sua vez, permanece em oitavo lugar. Ambos os times mantêm esperanças de disputarem a Copa Libertadores na próxima temporada.

Na próxima rodada  do Brasileirão, que só volta após os jogos das Eliminatórias da Copa, o Atlético-PR enfrentará o Atlético-GO na Arena da Baixada, no dia 11 de outubro, às 19h30. No mesmo dia, só que às 21h45, o Atlético-MG receberá o São Paulo no Independência. Antes deste confronto, porém, o Galo disputará a decisão da Copa da Primeira, contra o Londrina, na próxima quarta-feira (4), no Estádio do Café. 

Galo tem dificuldades para criar, mas consegue gol em bola parada

O clima do jogo não era dos melhores. Com as duas equipes no meio de tabela e ainda correndo riscos de rebaixamento, a pressão acabou tomando conta do jogo e isso refletia no comportamento dos atletas. O Atlético-PR errava muitos passes, o que irritava os seus torcedores e, consequentemente, o time ficava ainda mais nervoso.

O primeiro tempo foi de muitas faltas, reclamações e poucas chances de gol. A melhor oportunidade dos donos da casa foi em uma finalização de Ribamar, após erro da zaga mineira. No entanto, o goleiro Victor interveio na situação e afastou o perigo. 

O Atlético-MG tinha dificuldades na criação de jogadas e o gol acabou saindo de uma bola parada. Após escanteio cobrado por Valdivia, a zaga do Furacão afastou nos pés de Robinho que, livre, fuzilou para o fundo das redes. 

Robinho que ainda teve um polêmico gol anulado por impedimento após lançamento do goleiro Victor. O camisa 7 do Galo ficou frente a frente com Weverton, balançou novamente a rede, mas acabou recebendo cartão amarelo por conta da finalização. 

Robinho amplia após vacilo da zaga paranaense 

A entrada de Felipe Gedoz no lugar de Pablo, no intervalo, deu um novo ânimo à equipe paranaense. O jogador que já havia sido pedido pela torcida durante o primeiro tempo, mudou a cara do time rubro-negro e criou grandes chances.

A primeira delas foi em uma cobrança de falta, que acertou a rede pelo lado de fora. Com o Galo recuado, o Furacão decidiu arriscar de fora da área. Em um novo chute de longa distância, Matheus Rosseto também levou muito perigo à meta mineira. 

Felipe Gedoz mostrou durante todo jogo que iria dar muito trabalho para a zaga atleticana e teve a chance de marcar em outras duas oportunidades. Na primeira, o meia cobrou um escanteio com muito perigo e quase a bola entra direto, mas Victor fez grande defesa. Já na segunda, em jogada individual, Gedoz cortou para a esquerda e chutou forte para outra milagrosa defesa do goleiro alvinegro. 

A equipe paranaense apostou na entrada do meia Matheus Anjos, de 18 anos, que entrou na vaga do experiente Guilherme. Com poucos minutos em campo, o jovem jogador teve uma chance de marcar, mas acabou chutando por cima do gol, impondo novamente dificuldades ao arqueiro do time mineiro

A última grande chance do Atlético-PR veio após a finalização da equipe paranaense ser salva por Alex Silva, que estava na linha do gol para tirar de cabeça.

O Atlético-MG matou o jogo após uma colaboração do zagueiro Thiago Heleno, que deu de presente um passe para Cazares. O equatoriano avançou e encontrou o atacante Robinho, que fez seu segundo gol na partida e deu números finais ao jogo. 

Atlético MG