Palmeiras abre ótima vantagem, mas cede empate ao Bahia no fim

Alviverde chegou a fazer dois a zero na primeira etapa, mas tomou empate aos 43 minutos do segundo tempo em pênalti

Palmeiras abre ótima vantagem, mas cede empate ao Bahia no fim
Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras
Palmeiras
2 2
Bahia
Palmeiras: Fernando Prass; Tchê Tchê, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Bruno Henrique (Felipe Melo, aos 28'/2ºT) e Moisés; Willian (Róger Guedes, aos 40'/2ºT), Dudu e Deyverson (Borja, aos 12'/2ºT). Técnico: Cuca.
Bahia: Jean; Eduardo, Rodrigo Becão, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Renê Junior (Feijão, aos 46'/2ºT), Juninho e Vinícius (Rodrigão, aos 25'/2ºT); Zé Rafael (Régis, aos 33'/2ºT), Mendoza e Edigar Junio. Técnico: Paulo César Carpegiani.
Placar: Willian (2'/1ºT) (1-0), Bruno Henrique (38'/1ºT) (2-0), Edigar Junio (46'/1ºT) (2-1), Edigar Junio (43'/2ºT) (2-2),

ÁRBITRO: Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)


Jogando no Pacaembu, o Palmeiras recebeu o Bahia pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. E o Verdão abriu 2 a 0 no placar, com gols de William e Bruno Henrique, o Tricolor de Aço foi em busca do empate com Edigar Júnio, duas vezes.

Com o empate, o Palmeiras está cada vez mais distante do líder Corinthians, são 14 pontos de vantagem. O time comandado com Cuca se mantém no G7, com 44 pontos, na quinta posição. Já o Bahia comemorou o ponto conquistado na estreia do técnico Paulo César Carpegiani e chegou aos 32 pontos, na 14ª posição e ainda luta contra o rebaixamento.

Verdão abre vantagem, mas toma gol no finalzinho

Jogando longe do Allianz Parque, o Palmeiras mais uma vez colocou um bom número de torcedores no Pacaembu, que apoio o time desde o apito inicial. O time do técnico Cuca começou com Tchê Tchê na lateral direita no lugar de Jean que foi vetado pelo departamento médico.

E com o time um pouco mais à frente, o Verdão demorou apenas dois minutos para abrir o placar.  Dudu foi bem na roubada de bola e lançou Deyverson que cruzou para William escorar para o fundo das redes do goleiro Jean, fazendo 1 a 0 para o time da casa.

À frente do placar, o Palmeiras diminuiu o ritmo e viu o Bahia chegar com perigo e parar em boa atuação do goleiro Fernando Prass, que fez ótima defesa em dois chutes, um de Vinicius e outro de Mendoza, evitando o empate baiano.

O segundo gol do Verdão saiu em outra boa jogada do ataque, em uma ótima troca de passes de Deyverson, Tchê Tchê e William, a bola sobrou para Bruno Henrique fazer 2 a 0 para o time da casa.

Antes do intervalo, em um escanteio, o Bahia fez o primeiro. O atacante Edigar Júnio aproveitou o vacilo e subiu sozinho no meio da área e cabeceou sem chances para Fernando Prass, diminuindo o placar.

Edigar Júnio garante empate

O Palmeiras voltou pressionando, mas novamente esbarrava nos erros de passe e dava espaço para o time visitante. Um dos alvos da torcida foi o atacante Deyverson, que depois de duas falhas seguidas, ouviu a torcida pedir o colombiano Borja. Cuca ouviu a torcida e fez a mudança aos 12 minutos do segundo tempo.

O camisa 9 até teve uma boa chance, mas acertou a rede pelo lado de fora do goleiro Jean. Em outro lance, Dudu driblou o goleiro Jean e ao invés de tocar para o atacante, acabou tentando de calcanhar e perdeu a melhor chance do Verdão no segundo tempo.

Em vantagem, o técnico Cuca ainda colocou Felipe Melo em campo, na “reestreia” do camisa 30 depois da confusão com o treinador palmeirense – foram 78 dias afastados dos gramados. Enquanto o técnico Paulo César Carpegiani buscava o empate com as entradas de Régis e Rodrigão, Cuca apostava no contra-ataque e colocou Roger Guedes no lugar de William.  

E foi o camisa 23 que foi decisivo para o resultado, depois de um lançamento para Mendoza nas suas costas, o atacante acabou derrubando o atacante do tricolor baiano e viu o árbitro marcar o pênalti aos 43 minutos do segundo tempo. Na cobrança, Edigar Júnio pediu para cobrar e garantiu o empate, batendo no canto, sem chance para Fernando Prass.

Já nos acréscimos, os dois times tiveram chances de garantir a vitória, a mais clara com Régis, que dentro da área de Prass, acabou isolando a bola.