Com gol de Edmilson, Sport bate Santa Cruz no Clássico das Multidões e deixa lanterna

Leão surpreende fora de casa, conquista primeira vitória no campeonato e tira Mais Querido do G-4 do Brasileirão, perdendo também a série invicta de 18 jogos

Com gol de Edmilson, Sport bate Santa Cruz no Clássico das Multidões e deixa lanterna
Foto: Ney Gusmão/Vavel Brasil
Santa Cruz
0 1
Sport
Santa Cruz: Tiago Cardoso; Léo Moura (Bruno Moraes, min. 80), Alemão (Fernando Gabriel, min. 64), Danny Morais e Roberto; Uillian Correia, João Paulo, Arthur, Wallyson (Lelê, min. 37) e Keno; Grafite. Técnico: Milton Mendes
Sport: Magrão; Samuel Xavier (Ronaldo, min. 77), Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Serginho, Everton Felipe, Diego Souza e Gabriel Xavier (Rodrigo Mancha, min. 89); Edmílson (Lenis, min. 80). Técnico: Oswaldo de Oliveira
Placar: 0-1, min. 8, Edmilson
ÁRBITRO: Raphael Claus (SP). Cartões amarelos: Uillian Correia (min. 29), Alemão (min. 39), Diego Souza (min. 45+3), Léo Moura (min. 55), Roberto (min. 66 e min. 71), Serginho (min. 69), Arthur (min. 83) e João Paulo (min. 91)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, disputada no Arruda, em Recife, Pernambuco

Sport enfim venceu a primeira! Mesmo com a invencibilidade de 18 partidas do Santa Cruz e diante da torcida adversária, o Leão mostrou forças na noite desta quarta-feira (1º) e bateu a Cobra Coral por 1 a 0, com gol assinalado pelo atacante Edmilson, no primeiro tempo, em duelo válido pela 5ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro 2016.

Com a conquista do primeiro triunfo no campeonato, no Clássico das Multidões, os rubro-negros deixam a lanterna e vão provisoriamente para a 18ª posição, indo a quatro pontos. Já os tricolores saem do G-4 e caem à 5ª colocação, seguindo com os mesmos oito pontos ganhos de antes.

Os times voltam a campo, pela 6ª rodada do Brasileirão, já nesse fim de semana. Os corais, que terão o artilheiro Grafite até o final do próximo ano, visitarão o Atlético-PR no sábado (4), às 16h, na Arena da Baixada, enquanto os leoninos receberão o Atlético-PR no mesmo horário, mas no domingo (5), na Ilha do Retiro.

Sport joga melhor e sai em vantagem

Vivendo momentos distintos, mas em um clássico, Santa Cruz e Sport iniciaram o duelo com bastante equilíbrio, explorando erros para ir ao ataque. Logo no primeiro minuto de bola rolando, Matheus Ferraz afastou errado e Arthur saiu frente a frente com Magrão, que ganhou o lance e impediu a abertura do placar.

Apostando no contra-ataque, o Leão começou a levar perigo e ficou próximo de marcar. Após receber dentro da pequena área, Gabriel Xavier virou sobre a marcação, contudo chutou sem muita força e Tiago Cardoso fez a defesa tranquilo no meio da meta. Mantendo o estilo de jogo, os rubro-negros conseguiram sair à frente.

Explorando desatenção dos marcadores corais, Diego Souza mandou para Edmilson no meio dos adversários, que saiu com liberdade cara a cara com o camisa 1. Mesmo depois de dividida, a bola sobrou com o atacante que, com a barra aberta, só teve o trabalho de tocar para o fundo do barbante.

Camisa 17 marca primeiro gol pelo Leão (Foto: Williams Aguiar/Sport)
Camisa 17 marca primeiro gol pelo Leão (Foto: Williams Aguiar/Sport)

Forte no contra-golpe, os leoninos tiveram nova chance para marcar o segundo, porém foram interceptados pelos tricolores. Diego Souza, em noite inspirada, tocou para Everton Felipe, que tentou cruzar na pequena área e Alemão afastou. No rebote, o mesmo Everton tocou para Diego, que não conseguiu completar.

Pouco depois, o volante Serginho arrancou em velocidade e também levou perigo à torcida dos mandantes. Saindo com liberdade no setor ofensivo, o cabeça de área dos visitantes teve apenas o arqueiro para ultrapassar, entretanto não soube como finalizar e perdeu a chance de ampliar a vantagem.

Sem objetividade na armação, o treinador Milton Mendes resolveu mexer em uma das suas peças. O meia-atacante Wallyson, que pouco criou, deu lugar a Lelê, recuperado de lesão. Apesar da modificação, o escrete da Praça da Bandeira valorizou bem o resultado positivo e segurou os ímpetos do Mais Querido, encerrando o primeiro tempo à frente.

Sport pressiona e não fura bloqueio, mas vence

Para a etapa final, os técnicos decidiram permanecer com os atletas que encerraram a inicial. Assim como nos primeiros 45 minutos, o equilíbrio foi a tônica no começo do segundo tempo, sendo poucas as chances criadas pelos dois lados. Enquanto o Santa Cruz buscou furar o bloqueio, o Sport apostou no contra-ataque para surpreender.

Mesmo estando com a vantagem no placar, o Leão seguiu perdendo boas chances e não conseguiu ampliar. Everton Felipe levantou bem na pequena área e Gabriel Xavier não alcançou. No lance seguinte, Alemão saiu errado e Diego Souza ficou com a bola, mas chutou mal, desperdiçando uma oportunidade clara.

Sentindo o bom momento dos rivais em campo, o Mais Querido não se acomodou e foi para cima, buscando o empate a todo custo afim de evitar o primeiro revés na competição. Através da bola parada, João Paulo encheu o pé, porém Rithely botou o pé e evitou a chegada até Magrão.

O que já tava ruim aos mandantes, ficou ainda pior pouco depois da última metade dos 45 minutos finais. O lateral-esquerdo Roberto, que estava estreando, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou sendo expulso, deixando o Mais Querido com um homem a menos dentro das quatro linhas.

Superiores também numericamente, os leoninos passaram a agredir mais frequentemente, fazendo Tiago Cardoso trabalhar. Um minuto depois da expulsão, Gabriel Xavier arrematou de fora da área e o arqueiro tricolor defendeu em dois tempos. Em seguida, o camisa 10 do Leão recebeu de Diego Souza após contra-ataque e acertou a trave, assustando a torcida presente ao Arruda.

Na última oportunidade que teve em campo, ao dar vez a Lenis, o autor do único gol do confronto deu um novo susto no goleiro coral. Edmilson invadiu a intermediária e, com liberdade, finalizou forte, parando em uma brilhante intervenção de Tiago, impedindo de ser marcado o segundo tento.

Na reta final, os visitantes seguiram na pressão e não conseguiram ser eficazes o suficiente para marcar pela segunda vez. O camisa 87 cobrou falta na primeira trave e Matheus Ferraz subiu livre para cabecear, contudo Cardoso espalmou. No minuto seguinte, Everton Felipe soltou o pé de longe e a bola explodiu no travessão, deixando o José do Rêgo Maciel ainda mais tímido.