Sport 2015: único representante do Nordeste na Série A, Leão quer repetir boa campanha

Com mais uma edição do Campeonato Brasileiro às portas, o Sport tem uma missão ainda maior. O clube, campeão nacional de 1987, será o único representante do Norte/Nordeste na elite da principal competição de futebol do país. Além disso, a campanha equilibrada na temporada anterior aumenta a responsabilidade dos rubro-negros em conseguir mais destaque, alçar voos maiores e conseguir surpreender ainda mais na competição deste ano.

Para isso, a diretoria não fez muitas mudanças no elenco. Graças à manutenção de João Humberto Martorelli como presidente do clube, toda a comissão técnica do Sport, além de uma boa base dos atletas seguiu na Praça da Bandeira. Reforços pontuais e a extensão de vínculo contratual com alguns jogadores que desempenham suas atividades no clube há algumas temporadas compõem a chave para o sucesso na temporada.

Brasileirão 2014: surpreendente, Leão não sofreu risco de queda

O fato de uma equipe conseguir o acesso à elite na temporada anterior a coloca como um dos candidatos a voltar à Série B. Mas o Sport surpreendeu a crítica e não sofreu tantos sustos. Pelo contrário, antes da pausa para a realização da Copa do Mundo, o Leão da Ilha se manteve entre os 10 melhores colocados. Vale ressaltar também a participação conhecida do torcedor. A equipe da Praça da Bandeira levou, em média, 18.220 pessoas ao estádio, a nona entre os 20 participantes.

Na décima rodada, o rubro-negro pernambucano conseguiu um grande feito ao alcançar a quarta colocação e entrar no grupo que concede vaga na Taça Libertadores da América. Foi o melhor feito na temporada. Ainda que não se mantivesse entre os melhores colocados, o time conseguiu uma boa sequência de resultados que os deixaram entre as 10 equipes de melhor campanha, e, consequentemente, a melhor equipe do Nordeste na elite do futebol brasileiro.

A falta de um elenco mais qualificado e de mais investimentos deixaram o time comandado por Eduardo Baptista com uma sequência negativa de resultados no segundo turno. O time oscilou, mas os outros clubes não permitiram que o Leão sofresse queda considerável na tabela de classificação da Série A.

A chegada dos meias Diego Souza e Ibson deixaram o time ainda mais em evidência. Ainda que não contribuíssem com o máximo de seu potencial dentro dos gramados, a chegada de jogadores experientes e os momentos aos quais os dois atletas atuaram com a camisa rubro-negra agitaram o ambiente. Com isso, o time manteve uma campanha equilibrada e conseguiu garantir sua permanência na elite do futebol brasileiro sem dificuldades.

Histórico de oscilação nos pontos corridos

A alteração na fórmula de disputa do Campeonato Brasileiro foi adotada em 2003. Contudo, o Sport estava na Série B, onde os pontos corridos foram adotados no ano de 2006. No primeiro ano da modificação, os rubro-negros conseguiram tirar proveito e retornar à elite nacional, o que não acontecia desde 2001. O time ficou na segunda colocação, com 64 pontos, atrás do Atlético Mineiro.

Nas últimas oito temporadas, os pernambucanos oscilaram entre rebaixamentos, acessos e conquistas de vagas na Copa Sul-Americana. Entre 2007 e 2009, o time correu risco de queda para a segunda divisão. Conseguiu escapar em 2007 e 2008, mas a decadência após a eliminação na Taça Libertadores da América em 2009 culminou no fracasso no Brasileirão. O time ficou na última colocação, com apenas sete vitórias em 38 jogos.

O time passou duas temporadas na Série B. Bateu na trave e não conseguiu em subir em 2010, mas com uma reta final surpreendente, o Leão voltou à elite em 2011, com a quarta colocação. Mas voltou a atuar como gangorra e caiu em 2012, quando foi rebaixado pelo arquirrival Náutico no Clássico dos Clássicos realizado na última rodada.

Nas duas últimas temporadas, o Sport manteve um aproveitamento favorável. Na Série B de 2013, mesmo com poucos empates, o time conquistou 20 vitórias que colocaram o Leão da Ilha na primeira divisão nacional. Em 2014, foram 52 pontos conquistados em 14 vitórias e 10 empates.

Ano Colocação Pontos Jogos Vitórias Empates Derrotas Classificação
2014 11º 52 38 14 10 14 Sul-Americana
2013 63 38 20 3 15 Acesso
2012 17º 41 38 10 11 17 Rebaixado Série B
2011 61 38 17 10 11 Acesso
2010 56 38 15 11 12 Ficou na Série B
2009 20º 31 38 7 10 21 Rebaixado
2008 11º 52 38 14 10 14 Sul-Americana
2007 14º 51 38 14 9 15 Sul-Americana
2006 64 38 18 10 10 Acesso
2005 16º 27 21 8 3 10 Ficou na Série B
2004 17º 28 23 7 7 9 Ficou na Série B
2003 3 50 35 12 14 9 Ficou na Série B

Veteranos seguram a barra e são destaques do elenco leonino

 O Leão da Praça da Bandeira conta com jogadores experientes para serem os pilares da equipe. Contudo, os jovens jogadores que são promovidos das categorias de base, além dos que renovam contrato e seguem no clube por mais tempo compõem o elenco rubro-negro.

Magrão

Se citar Alessandro Beti Rosa, é certo de que poucos irão conhecer. Mas quando revelam que esse é o nome do Magrão, todos identificam como o arqueiro do Sport, um dos ídolos recentes do clube. Com quase 20 anos de atividade profissional, Magrão chegou ao time pernambucano em 2005 e conquistou a confiança e a idolatria da maioria dos adeptos rubro-negros. Com mais de 500 jogos pelo Leão, o goleiro conquistou seis títulos estaduais, uma Copa do Brasil e um Nordestão, e é a principal referência na retaguarda leonina.

Durval

Com uma extensa e vitoriosa carreira, o zagueiro é uma das principais referências no setor defensivo em clubes do Norte e Nordeste. O jogador de 34 anos está pela segunda vez em Recife e deseja fazer ainda mais história no Leão da Ilha. Com a camisa rubro-negra, foram quatro títulos do Pernambucano, uma Copa do Brasil e um Nordestão.

Diego Souza

O jogador, com passagens por clubes tradicionais e multicampeões no futebol nacional, além de ter atuações no futebol internacional, chegou ao Sport no segundo semestre de 2014 por empréstimo junto ao Metalist Kharkiv, da Ucrânia. A princípio, o atleta ficaria na Ilha até o fim do ano. Contudo, o empréstimo foi renovado e o principal jogador no meio de campo rubro-negro pode contribuir para uma boa campanha na Série A.

Sport tem esquema tático definido, conhecido pelo torcedor

 O técnico Eduardo Baptista escala o time debaixo do esquema tático 4-4-2. No início da temporada, o time conseguia apresentar um bom futebol, mas pecava nos erros individuais. Tais erros eram decisivos para a construção de resultados, principalmente jogos realizados fora de casa, onde a equipe ainda encontra dificuldades em alguns jogos, salvo em algumas partidas do Campeonato Pernambucano.

Na competição estadual, os rubro-negros lideram com folga, sem nenhum incômodo, com apenas uma derrota sofrida. A disparidade técnica é considerável e o time não passa por grandes sustos. Por outro lado, as dificuldades no Campeonato do Nordeste ficam evidenciadas. O time tem dificuldades para vencer fora de casa. Na primeira fase, foi derrotado por Sampaio Corrêa e Coruripe. Problemas na bola parada e na marcação em lances de puro perigo compõem a principal dificuldade na defesa.

No ataque, Eduardo Baptista encontrou um quarteto ofensivo que trouxe bons resultados nos primeiros jogos. Com mais entrosamento, pode ser um trunfo bastante utilizado, principalmente nos confrontos realizados em Pernambuco. Diego Souza e Élber compõem a parte ofensiva do meio de campo, enquanto Mike e Joelinton formam a dupla de ataque. O setor ofensivo ainda pode ser reforçado com Felipe Azevedo, jogador que segue no clube após ter seu vínculo empregatício renovado até o mês de dezembro.

O torcedor do Sport tem em mente o time titular. Exceto em algum momento em que um ou outro jogador estiver lesionado ou suspenso, o time titular é formado por: Magrão; Vítor, Durval, Ewerton Páscoa e Renê; Rithely, Rodrigo Mancha, Élber e Diego Souza; Mike e Joelinton. Caso o técnico leonino queira montar uma equipe mais reforçada no meio de campo, ele retira Joelinton e coloca Wendel, que tem a responsabilidade de controlar as investidas de ataque do adversário.

Manter a hegemonia e galgar mais espaços onde possível

Continuar no topo e seguir como destaque em todos os campeonatos que disputar. Esse é o principal objetivo do Sport no ano de 2015. No cenário pernambucano, o time está há oito temporadas entre os finalistas, com cinco títulos conquistados e três vices. Neste ano, o time caminha com passos largos na fase classificatória e é favorito a conquistar o 41º título estadual de sua história.

O time também luta para manter-se no topo do cenário regional, com a conquista do quarto Campeonato do Nordeste de sua história. Os rubro-negros levaram a taça em 1994, 2000 e 2014, e com o peso de sua camisa e tradição dentre os nove estados nordestinos, também é apontado como favorito a faturar mais um título.

No Campeonato Brasileiro, a situação é diferente. A edição atual pode mudar, ainda que minimamente, as visões do público em geral quanto ao Sport. De sempre favorito ao rebaixamento, o time pode galgar mais espaços e ser avaliado como um time com potencial a ficar no meio da tabela e talvez surpreender ao alcançar posições maiores. Um bom início de temporada, com títulos conquistados nas competições do primeiro semestre, pode ajudar o Leão da Ilha nesse sentido.

Privilegiado, Sport tem duas casas

O Sport tem dois estádios como “casas” do torcedor rubro-negro. O Estádio Adelmar da Costa Carvalho, mais conhecido como a Ilha do Retiro, localiza-se em Recife e tem a capacidade de 35 mil torcedores. Com sua acústica e arquitetura, torna-se um alçapão rubro-negro, conhecido também como La Bombonilha, em alusão ao estádio do Boca Juniors, em Buenos Aires/ARG.

O patrimônio do Leão foi fundado em 1937 e foi palco de inúmeros títulos leoninos, estaduais, regionais e nacionais, além de sediar jogos de Taça Libertadores da América e Copa do Mundo em 1950, quando o Chile venceu os Estados Unidos por 5 a 2.

Após a Copa do Mundo 2014, o Sport passou a sediar jogos também na Arena Pernambuco, palco utilizado para sediar cinco jogos do Mundial organizado pela FIFA, inclusive dos Estados Unidos, que voltaram a jogar em Pernambuco e foram derrotados novamente. Desta vez, a Alemanha venceu por 1 a 0.

O estádio, sediado na cidade de São Lourenço da Mata, região metropolitana de Recife, tem capacidade para 42.610 torcedores. Com toda a modernidade e o conforto do local, graças à fortuna investida na construção do estádio, o Sport conseguiu bons resultados na temporada passada, além de não perder nenhum clássico regional em uma das praças esportivas mais modernas do país.

Ficha técnica

Nome: Sport Club do Recife

Fundação: 13 de maio de 1905

Mascote: Leão

Títulos: Campeonato Brasileiro Série A (1987), Campeonato Brasileiro Série B (1990), Copa do Brasil (2008), Campeonato do Nordeste (1994, 2000 e 2014) e 40 Campeonatos Pernambucanos

Campanha no Brasileirão 2014: 11º colocado, com 52 pontos

Expectativa no Brasileirão 2015: manter a campanha da temporada anterior para ficar mais um ano na elite do futebol brasileiro.

 

VAVEL Logo