Bagautinov desafia Johnson por fim de tabu europeu, no UFC 174

Desde 2006 um europeu não conquista o cinturão do Ultimate. Apenas dois conseguiram tal façanha até hoje. O primeiro foi o holandês Bas Rutten, em 1999, pelos pesos-pesados. O segundo e último foi o bielorrusso Andrei Arlovski, em 2006, pela mesma categoria. Neste sábado (14), o russo Ali Bagautinov pode encerrar o jejum do velho continente na disputa do cinturão do peso-mosca contra o campeão Demetrious Johnson, em Vancouver, na luta principal do UFC 174, que começa às 20h (de Brasília).

Curiosamente, Ali Bagautinov sempre foi pouco lembrado quando o assunto era sobre quem poderia ser o próximo lutador da Europa a conseguir ser campeão do UFC. O sueco Alexander Gustafsson e o russo Khabib Nurmagomedov, dos pesos-meio-pesados e leves, respectivamente, sempre eram apontados como favoritos. Neste sábado, entretanto, o lutador do Daguestão pode pôr fim a esta discussão, caso vença Johnson. Com 13 vitórias e duas derrotas, Bagautinov não perde desde 2011 e acumula 11 triunfos consecutivos, sendo o último contra o brasileiro John Lineker.

A missão do russo não será fácil. Demetrious Johnson é o único lutador campeão pelo peso-mosca até hoje no UFC. A categoria foi criada em 2012, e o americano faturou o torneio criado com quatro lutadores ao superar Joseph Benavidez na decisão, ficando com o cinturão. Ele já defendeu o cinturão três vezes, sendo a última contra o próprio Benavidez. No total, são 19 triunfos, dois reveses e um empate no cartel.

Durante a pesagem oficial do evento, Bagautinov protagonizou um momento no mínimo curioso, na encarada contra o campeão Demetrious Johnson, a quem desafia no octógono. Diante do rival, o russo olhou para o alto fixamente e se manteve com as mãos espalmadas para o alto, como se fizesse uma oração.

O momento sucedeu a passagem de ambos pela balança. A dupla não teve dificuldades para chegar ao peso-limite da categoria peso galo e confirmar a disputa de cinturão para o evento. Bagautinov bateu cerca de 200 gramas a menos do que o permitido, se apresentando com 57,4 kg. Já Johnson cravou os 57,6 limites.

Macdonald terá teste de fogo contra Woodley

Simplesmente um fenômeno no MMA, Rory Macdonald já mostrou que não é uma simples promessa e sim um dos melhores do mundo de sua categoria. O lutador de apenas 24 anos, canadense, já acumula um cartel impressionante com 16 vitórias, e apenas duas derrotas, sendo que no UFC já conquistou sete vitórias. Pupilo da lenda George St-Pierre, Rory Macdonald é o atual número 2 do ranking do UFC na categoria dos meio médios, e uma vitória contra Tyron Woodley no UFC 174, pode lhe garantir a sonhada chance de disputar o cinturão do UFC.

Já o norte americano Tyron Woodley é um wrestler com grande poder de nocaute, e que vem de duas grandes vitórias no UFC quando nocauteou Josh Koscheck de forma brutal no UFC 167, e derrotou Carlos Condit no UFC 171, onde mesmo Condit tendo se contundido, Woodley dominou o combate. Tyron Woodley é um dos remanescentes do extinto Strikeforce e treina na American Top Team com grande feras do MMA mundial, como Glover Teixeira, e Robbie Lawler. Macdonald deve abusar da sua envergadura para afastar Woodley e pontuar, já o norte americano deve ver para botar pressão no lutador da casa. Quem vencer deve pelo menos ficar a uma luta do cinturão e com moral no maior evento de MMA do mundo.

Com altos e baixos na carreira, Feijão tem grande oportunidade contra Bader

Rafael Feijão tem uma grande oportunidade de mostrar todo seu potencial no Ultimate, quando encara o norte americano Ryan Bader, pela terceira luta do card principal do UFC 174. Rafael Feijão teve seu grande auge em 2012, quando se tornou campeão da categoria dos meio pesados do extinto Strikeforce, quando nocauteou King Mo Lawal, em uma grande atuação dentro do cage. Mas de lá pra cá, o lutador que treina na Team Nogueira, e é um dos pupilos do Minotauro, acumula altos e baixos na carreira.

Rafael Feijão perdeu sua primeira defesa de cinturão para Dan Henderson, e venceu Yoel Romero e Mike Kyle em seguida quando foi pego no exame antidoping. Rafael Feijão cumpriu a punição que sofreu, e em sua estréia pelo UFC, foi derrotado por Thiago Silva. O que não abalou tanto o lutador, que voltou mais forte, aplicando um nocaute devastador em Igor Pokrajac. Rafael Feijão largou a medicina veterinária para lutar MMA, e já com 8 anos de carreira, tem a grande chance de voltar a ficar a o lado dos melhores lutadores do mundo. Com estilo agressivo, de nocauteador, Rafael Feijão vai pra cima de Ryan Bader, e uma vitória contra o norte americano, pode o jogar para o TOP 10 da categoria. Lembrando que o lutador possui um cartel com 12 vitórias, e quatro derrotas, e apenas no início da carreira emplacou quatro vitórias consecutivas.

Se vencer Bader, Rafael Feijão vai crescer na categoria num momento em que há espaço para novos candidatos ao cinturão. Por isso, o lutador de 34 anos aumentou ainda mais a dedicação e deixou, por exemplo, de ganhar muito peso no tempo "off". O peso dele, a um mês do duelo contra o americano, é um demonstrativo disso.

"Eu vejo exatamente assim. E não só ganhar, é o jeito como você ganha. Tem que ter uma vitória impressionante. Não é só ir lá e ganhar mais ou menos. O público não está ali para ver isso. Por isso eu achei que estava faltando dedicação da minha parte e fiz essa mudança toda. A minha parte de preparação física evoluiu muito. Antigamente eu tinha até uma pausa. Eu parava de treinar. Agora minha pausa é ativa. Meu treino não para totalmente. Faço um treino de recuperação quando estou de férias. Fisicamente você consegue me ver. Luto de 93kg e, a um mês da luta, estou com 99kg. Estou no peso. Era o peso com que eu viajava antigamente (uma semana antes das lutas)", falou Feijão.

Ryan Bader e Rafael Feijão fizeram encarada tensa na pesagem (Foto: Getty Images)

Retornando ao Octógono, Arlovski enfrenta Schaub

Um dos atletas mais aclamados pelo público em Vancouver (Canadá) não foi um lutador da casa, mas o veterano Andrei Arlovski. De volta ao UFC depois de seis anos longe da organização, o bielorrusso enfrenta o norte-americano Brendan Schaub na noite de lutas. Como era de se esperar, nem Arlovski ou Schaub apresentaram dificuldades para chegar ao peso-limite da categoria peso pesado.

Ex-campeão dos pesos pesados do UFC, Arlovski não compete no evento desde que saiu em meados de 2008, com uma sequencia de três vitórias. Durante esse tempo afastado do UFC, Arlovski acabou lutando em diversas organizações, incluindo o Affliction, EliteXC, Strikeforce, ONE FC e WSOF, entre outros.

Sua carreira parecia estar chegando ao fim em 2011, quando o bielorrusso foi derrotado quatro vezes seguidas por Fedor Emelianenko, Brett Rogers, Antonio Silva, e Sergei Kharitonov, três dos quais terminaram em nocautes violentos. No entanto, o veterano de 35 anos recuperou-se vencendo sete de suas últimas oito lutas.

Agora, revitalizado, Arlovski enfrentará Brendan Schaub, que vem de vitórias consecutivas sobre Lavar Johnson e Matt Mitrione em 2013.

Vindos de boa fase, Jimmo e Preux se enfrentam

Ryan Jimmo x Ovince Saint Preux é o mais novo combate da categria meio-pesado. Ambos estão em boa fase. Jimmo nocauteou Sean O’Connell no TUF Nations, em abril, e faturou o bônus de performance da noite. Vencedor de 12 das últimas 13 lutas, Saint Preux finalizou Nikita Krylov em apenas 89 segundos na edição 171, realizada em março. O atleta também foi premiado com o prêmio de Performance da Noite.

Sarafian busca recuperação contra o japonês Kunimoto

Outro brasileiro do card, Daniel Sarafian terá o japonês Kiichi Kunimoto pela frente. Vindo de derrota para Cezar Mutante, ele resolveu descer de categoria e fará sua estreia no peso-meio-médio. Seu adversário tem apenas uma luta no Ultimate, em janeiro deste ano, quando venceu Luiz Besouro após o lutador da RFT ser desclassificado por aplicar cotoveladas ilegais.

Antes de sua primeira luta como peso meio-médio, o finalista do TUF Brasil 1, Daniel Sarafian, protagonizou uma encarada tensa com o japonês Kiichi Kunimoto. Após bater o peso, Sarafian já desceu da balança encarando fixamente o adversário e não diminuiu a intensidade, diante de um Kunimoto que também não se intimidou com a investida do rival.

UFC 174
14 de junho de 2014, em Vancouver (CAN)

CARD PRINCIPAL
Peso-mosca: Demetrious Johnson x Ali Bagautinov
Peso-meio-médio: Rory MacDonald x Tyron Woodley
Peso-meio-pesado: Ryan Bader x Rafael Feijão
Peso-pesado: Andrei Arlovski x Brendan Schaub
Peso-meio-pesado: Ryan Jimmo x Ovince St. Preux

CARD PRELIMINAR
Peso-meio-médio: Kiichi Kunimoto x Daniel Sarafian
Peso-galo: Valerie Letourneau x Elizabeth Phillips
Peso-galo: Mike Easton x Yves Jabouin
Peso-leve: Kajan Johnson x Tae Hyun Bang
Peso-galo: Roland Delorme x Michinori Tanaka
Peso-leve: Jason Saggo x Josh Shockley

VAVEL Logo