Velhos conhecidos, Vitor Belfort e Dan Henderson se encaram na luta principal do UFC São Paulo

Polêmica, provocações e cartéis vitoriosos no MMA entram no octógono do Ginásio do Ibirapuera em São Paulo, neste sábado, 7 de novembro, para a luta principal entre Vitor Belfort e Dan Henderson pelo UFC Fight Night 77. O confronto entre os pesos médios, marca o terceiro capítulo de uma trilogia iniciada em 2006, com decisão favorável ao americano pela extinta organização japonesa PRIDE. Já em 2013, foi o brasileiro quem triunfou após um nocaute no primeiro round pelo UFC Fight Night Goiânia.

Dessa vez, os lutadores já se conhecem o suficiente para saberem os maiores trunfos de cada um, como a potência dos golpes que fazem deles nocauteadores de respeito. Em suas 24 vitórias, Belfort já levou os oponentes à lona em 17 oportunidades, com 14 delas sendo no primeiro round, o que mostra também o poder de explosão do atleta nos primeiros minutos dentro do cage. Enquanto isso, Hendo ostenta 15 triunfos por nocaute dentre os 31 resultados positivos já conquistados e tem na "H-Bomb" (cruzado de direita que traz a inicial de seu sobrenome) a maior esperança de ter o braço erguido ao final da noite.

Outros fator que inflama o embate é a troca de farpas. E o maior combustível para a discussão é a TRT (Terapia de Reposição de Testosterona) tratamento feito por ambos até o ano passado, enquanto as Comissões Atléticas ainda permitiam esse procedimento. Mas, para Dan, o seu oponente não se limitava a isso.

"Ele também foi flagrado por uso de esteroides anabolizantes no passado e, desde então, também testou positivo para TRT e outras substâncias. Se você olhar para fotos de nós dois em 2013 e hoje, verá que as fotos falam muito. Acho que ele usou muito mais coisas do que eu, porque o meu corpo não mudou quase nada para o corpo que eu tinha em 2013. Eu fazia apenas o TRT e não abusava de nada", afirmou o americano.

Questionado sobre a declaração de seu adversário, Vitor não recuou. "Dan Henderson também fazia TRT então não tem como ele criticar. Ninguém critica quem está por baixo, só criticam quem está por cima", respondeu Belfort.

Com idade avançada e sem competir em alta performance nos últimos anos, o integrante da Team Quest precisa vencer para elevar seu nome dentro da organização, já que desde o seu retorno ao UFC em novembro de 2011, ele não conseguiu encaixar duas vitórias consecutivas e em oito duelos foi derrotado cinco vezes. Mais velho lutador do Ultimate atualmente, com 45 anos, Henderson tem no confronto em São Paulo, a chance de melhorar seus números e desempatar a disputa pessoal com Vitor. Em sua luta mais recente nocauteou Tim Boetsch pelo UFC Fight Night 68 em junho.

No outro córner, o "Fenômeno" busca a redenção. Derrotado na disputa pelo título dos médios contra o atual campeão Chris Weidman em maio desse ano, o faixa-preta em jiu-jítsu quer dar um novo rumo a carreira e começar bem sua jornada em busca do cinturão. Na intenção de renovar os ares, Vitor decidiu trocar de academia, para isso ingressou na OTB (centro de treinamento administrado por sua esposa Joana Prado) e deixou para trás a Blackzilians, na Flórida. Com a torcida a seu favor e com um histórico recente mais promissor, cinco resultados positivos nos últimos oito confrontos, o carioca carrega um certo favoritismo.

No co-evento principal da noite, dois atletas com o mesmo objetivo: alcançar a segunda vitória consecutiva em 2015. Glover Teixeira quer derrotar Patrick Cummins pela dvisão dos meio-pesados e encerrar o ano com mais um triunfo, após ter finalizado Ovince St. Preux com um mata-leão no terceiro round em agosto, pelo UFC Fight Night 73. Já o wrestler americano pretende ter seu braço erguido mais uma vez, após derrotar Rafael Cavalcante por nocaute no terceiro round em agosto, pelo UFC 190.

Mais quatro lutas completam o card principal no Ibirapuera. Thomas Almeida, o Thominhas encara Anthony Birchak pelos galos. O brasileiro tenta se manter invicto na carreira, enquanto o americano almeja a segunda vitória no Ultimate. Na categoria dos leves, Alex "Cowboy Oliveira quer vencer mais uma pra embalar, mas Piotr Hallman tenta evitar e tirar a corda do pescoço após duas derrotas.Gilbert "Durinho" Burns tenta subir mais um degrau entre os pesos-leves e encara o russo Rashid Magomedov. Ambos estão invictos no UFC, mas o brasileiro nunca perdeu nem mesmo fora da organização. E, abrindo o card principal, o "Caipira de Aço", Fábio Maldonado recebe Corey Anderson na categoria dos meio-pesados.

Entre os combates preliminares, alguns merecem maior destaque. Dentre eles: Gleison Tibau que enfrenta Abel Trujillo pelos leves e Thiago Tavares em duelo contra Clay Guida na divisão dos penas.

Confira o card completo:

CARD PRINCIPAL:

Peso-médio: Vitor Belfort x Dan Henderson
Peso-meio-pesado: Glover Teixeira x Patrick Cummins
Peso-galo: Thomas Almeida x Anthony Birchak
Peso-leve: Alex Cowboy x Piotr Hallmann
Peso-leve: Gilbert Durinho x Rashid Magomedov
Peso-meio-pesado: Fábio Maldonado x Corey Anderson

CARD PRELIMINAR:
Peso-leve: Gleison Tibau x Abel Trujillo
Peso-leve: Yan Cabral x Johnny Case
Peso-pena:Clay Guida x Thiago Tavares
Peso-pena: Kevin Souza x Chas Skelly
Peso-meio-médio: Viscardi Andrade x Gasan Umalatov
Peso-galo: Pedro Munhoz x Jimmie Rivera
Peso-galo: Bruno Korea x Matheus Nicolau

VAVEL Logo