Vela: Phytoervas 4Z terá reforço feminino na segunda etapa da Copa Mitsubishi 2022
Foto: Caio Souza/On Board Sports

O barco Phytoervas 4Z terá novidades para a segunda etapa da Copa Mitsubishi 2022, que começa neste fim de semana, 28 e 29 de maio, em Ilhabela (SP). A equipe contará com o reforço de Renata Bellotti, velejadora de destaque no oceano, com experiência em dezenas de campeonatos nacionais e internacionais. A atleta de 35 anos terá a função de timoneira na embarcação Soto 40 nas provas no Canal de São Sebastião.

Renata Bellotti volta a competir gradualmente de vela oceânica após ser mãe do pequeno Luca, que hoje tem 2 anos e 5 meses. A bordo do Phytoervas 4Z, a velejadora paulista espera ajudar o time a brigar pelas primeiras posições na classe ORC no campeonato. Além da ORC, a Copa Mitsubishi conta com as classes BRA-RGS, C30 e HPE25.  A conclusão da segunda etapa será nos dias 4 e 5 de junho, no mesmo local.

Know how Renata tem de sobra para guiar o Phytoervas 4Z ao lado dos companheiros de equipe. A velejadora chegou a fazer esta função e outras nos barcos Doox, Montecristo, ESPN Brasil, BMW, Alpha Instrumentos e outros times.

''Esperamos fazer bonito nessa etapa da Copa Mitsubishi. A equipe Phytoervas está muito treinada e apesar de eu não competir sempre com eles, conheço muito dos integrantes e acredito que vamos desempenhar um bom resultado'', explicou Renata Bellotti, que estará ao lado do irmão Marcelo Bellotti na ilha.

''Velejar em Ilhabela é sempre um presente, participar da Copa Mitsubishi é sempre uma honra, estive distante por questões de agenda, mas estou de volta'', completou Renata Bellotti. As regatas de Ilhabela servem também como preparação para a tradicional semana de vela, que será em julho. 

A timoneira Renata Bellotti será peça-chave no barco Ruda XX, ao lado de Daniela Sanchez, Andrea Grael, Mônica Camargo e Valéria Ravani, veleiro 100% feminino inscrito nas provas da 49ª edição do evento.

''A Renata já velejou na regata de Alcatrazes na nossa estreia no ano passado. A presença dela é importante pra gente! O sentimento feminino ajuda a gente a centrar nas competições'', reforçou Marcelo Sansone, integrante da equipe Phytoervas 4Z.

Mãe que veleja

A velejadora é mãe de Luca e esposa de Juan de la Fuente, experiente atleta de vela oceânica do país. Além dos treinos de regata e do trabalho como fisioterapeuta, Renata Bellotti sempre leva a tira colo seu pequeno para conhecer o mundo. Mas desta vez em Ilhabela (SP), Luca ficará com a avó e com o pai.

Nas redes sociais do Rudá XX, Renata Bellotti falou dessa experiência de ser mãe e velejadora. Com a palavra, Renata Bellotti...

''Luca nasceu e seu enfeite de porta de maternidade foi um Optimist de tricô. Seus primeiros presentes foram barquinhos, roupas de barcos e mantas do tema! Filho, neto e sobrinho de velejadores, não seria diferente… Quando Luca tinha próximo dos 6 meses comecei a me dedicar aos treinos de Snipe, já que o Mundial Feminino seria no quintal de casa e no clube do coração, o Yacht Club Paulista… Oportunidade incrível de velejar numa raia conhecida com mulheres sensacionais!

Foi aí que…

Minha briga interna começou… “vou deixar meu filho para treinar?” ou “Eu fiz uma escolha quando decidi ter um filho, o que eu tô fazendo? Horas longe dele para eu me divertir?” ou “ele é pequeno para entender que a mamãe vai, mas a mamãe volta!”… E inúmeros outros questionamentos vinham fervendo na minha cabeça! Só que a vontade, o desejo de velejar era enorme!!!

Eu sempre tive MUITA apoio do Juan, meu marido, MUITA ajuda meus pais e amigas incríveis que se ofereceram para cuidar dele enquanto eu estava em água, que foi o caso da querida @monica… não sei nem por onde começar a agradecê-los…

Mas por maior e melhor que seja a nossa rede de apoio, a dúvida, o medo, os anseios de deixar o filho vem como um trator para cima da mãe e é aqui que eu quero chegar: cabe a nós mulheres lutar contra esse ‘costume’ que a mulher tem que largar quem era antes de ser mãe! Está em nossas mãos a oportunidade de mudar o mundo para que nossos filhos tenham outros comportamentos, pensamentos e atitudes!

Eu não costumo ligar para o que os outros dizem, eu me importo com o que eu estou pensando, vivendo e como isso reflete no meu filho, na criação de alguém que, se um dia tiver um esposa e filhos, ele saiba que ela pode tanto quanto ele fazer QUALQUER coisa!

Esse final de semana vou viajar, sem o Luca, para velejar e ousei me questionar, mas nós ficaremos bem!

Eu vou e eu volto, filho, volto mais feliz por vc e pra vc!"

Renata Bellotti - mãe, velejadora, fisioterapeuta e aprendiz

VAVEL Logo