Toto Wolff cumpre promessa, e Grosjean vai dirigir a Mercedes de Hamilton na França
Foto: Divulgação / Mercedes

Sete meses após o dramático acidente que sofreu no GP Bahrein em 2020, do qual escapou só com algumas queimaduras, o francês Romain Grosjean vai voltar a pilotar um carro de Fórmula 1.

O francês conduzirá a Mercedes com que Lewis Hamilton ganhou o Mundial de 2019 nos testes no circuito Pau Ricard, na França, no dia 29 de junho. Dois dias antes, Grosjean vai fazer umas voltas de demonstração no GP da França com o mesmo carro.

Aos 35 anos, o piloto não queria que sua última aparição na Fórmula 1 fosse lembrada com aquele acidente, que teve seu carro Haas incendiado depois de ter se partido em dois.

Tudo começou quando Grosjean estava ainda no hospital e recebeu a promessa do chefão da Mercedes, Toto Wolff, de que aquela não seria sua última aparição na Fórmula 1. Fiel à promessa, Wolff colocou a Mercedes de Hamilton à disposição do francês para que possa se despedir de forma digna das pistas. "Estou muito contente por poder voltar a um carro de F1", disse Grosjean, que já dirigiu o simulador da equipe alemã.

"Vai ser uma oportunidade especial para mim poder pilotar um carro vencedor da Mercedes, sem dúvida uma experiência única. Estou muito grato à Mercedes e ao Toto Wolff pela oportunidade. Lembro-me que estava ainda no hospital quando ele me deu esta notícia, que na altura animou-me bastante", recordou o piloto de F1.

VAVEL Logo