Pucinelli vence favorito em Braga e espera "manter o bom ritmo" na temporada
Foto: Sara Falcão/FPT

* Direto de Braga, Portugal

O #216 Matheus Pucinelli, 21 anos, vive sua melhor temporada na carreira. Quase rompendo o top 200, o brasileiro, em 2022, estreou nos qualies de Grand Slams e chegou a conquistar vitórias em torneios de nível ATP. Além disso, foi parar na equipe da seleção brasileira para disputar a Copa Davis (apesar de não ter entrado em quadra).

Nesta quinta-feira (22), ele derrotou o português #94 Nuno Borges, cabeça de chave 1, por dois sets a zero com parciais de 6/2 e 6/4 e se qualificou para as quartas de final do Challenger de Braga.

Após a partida, o tenista de 21 anos, em coletiva de imprensa, falou das dificuldades da partida e contou o que foi pensado para vencer o lusitano.

“Essa vitória foi bem importante, até porque o Nuno vem em um momento muito bom. Desde o começo, tinha a minha tática pronta e vim com a intenção de deixar o jogo diferente para ele. Ele tem pancadas bem sólidas acima da linha da cintura e consegui aplicar bem a minha ideia e deixar o jogo complicado para ele. Nós os dois não estávamos bem adaptados ao saibro devido à Copa Davis na semana passada, mas consegui usar isso a meu favor. Essa foi a chave."

Os tenistas já haviam se enfrentado anteriormente, no Challenger de Kiev, em 2021. Matheus começou ganhando mas sofreu a virada para o português. Dessa vez, ele contou que utilizou daquele duelo como aprendizado para vencê-lo nesta oportunidade.

"Já conhecia o Nuno. Jogamos juntos, jogamos contra. Ele evoluiu, eu evoluí. Fiquei com o jogo contra ele na cabeça, pois tive alguns match-points e perdi. Então já tinha uma ideia de como ele jogava. Eu me preparei para um jogo bem duro, mas sabia que tinha minhas próprias armas para incomodar ele. Hoje, consegui não abaixar o meu nível e não deixei ele voltar para o jogo."

Pucinelli também comentou a questão do piso. Em Braga, o torneio está sendo disputado no saibro, onde o brasileiro está mais adaptado e se sente mais confiante. 

"No Brasil, temos muito a terra batida (saibro), e temos muitos torneios na América do Sul neste piso. Claro que sempre que posso também tento jogar em quadra rápida, como foi lá em Viana na semana passada. Mas acho que é o piso que eu jogo mais e saio melhor. E por isso, acho que isso é uma vantagem para mim e para o meu jogo"

Apurado para as quartas de final do Braga Open – quinta vez que atinge chega nessa fase em torneios da ATP Challenger Tour na presente temporada -, Matheus Pucinelli vai agora medir forças contra o espanhol #511 Pablo Llamas Ruiz.

VAVEL Logo