Com títulos e disparada no ranking, Romboli comemora melhor ano da carreira: “Sensação muito boa”
Romboli durante torneio na Itália - Foto: Divulgação/ATP Challenger Tour

O tenista Fernando Romboli viveu  no ano de 2022 um dos melhores momentos da sua carreira profissional até aqui. O carioca de 33 anos alcançou grandes recordes da sua carreira neste ano. Dentre eles, o seu melhor ranking no circuito mundial, o 88º posto e pela primeira vez, disputou o maior número de torneios de nível ATP, estando presente em seis eventos.

"Achei muito positivo, essa estatística que foi a temporada que eu mais joguei torneios da ATP, isso é bem importante. Alcancei também meu melhor ranking, acredito que isso é resultado de uma constância, uma constância nos treinamentos, nos resultados, então saio com uma sensação muito boa de ter alcançado esse objetivo. Claro que temos muito mais para alcançar, mas fico feliz com esses resultados", destacou o atleta. 

Romboli com título em Parma - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
Romboli com título em Milão - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

Ao todo, foram 27 torneios disputados, dentre eles 21 de nível ATP Challenger e 6 ATP 250. Fernando Romboli conquistou o título dos Challengers de Parma e Milão junto com o italiano Luciano Darderi. Também teve o vice no Challenger de Istambul, dessa vez ao lado do indiano Arjun Kadhe como outro bom resultado em 2022. Outra curiosidade, é que os troféus conquistados na Itália foram levantados de maneira consecutiva. Para o brasileiro, o ano de com certeza teve um saldo muito positivo.

“Estar em finais é o mais importante para o objetivo que é subir dos Challengers para os torneios maiores da ATP. Quando você joga esses torneios precisa estar no mínimo na final. Ser campeão ou estar na final começam a ajudar bastante no ranking."

O tenista viveu, sem dúvidas, um ano recheado de viagens e de muitos jogos. Para exemplificar, Romboli competiu em 16 países diferentes, passando por América do Sul, América do Norte, Ásia e África. Contudo, uma lesão no final da temporada tirou Fernando dos últimos dois meses finais do circuito. Para ele, o excesso de competições consecutivas sem descanso pode ter influenciado essa pequena lesão.

Romboli com título em Parma - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
Romboli com título em Parma - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

Visando a próxima temporada, Fernando destaca a importância de manter um mesmo parceiro nos torneios que disputa

“2022 não foi tão diferente de 2021 no número de parceiros. A minha intenção é sempre ter alguém fixo e eu consegui com o Darderi no meio do ano. Sem dúvida, foi o meu melhor momento na temporada. Conseguimos ser muito sólidos e conquistamos dois títulos seguidos. A expectativa em 2023 é conseguir consolidar uma parceria mais longeva e conseguir postos melhores no ranking.”

VAVEL Logo