Gattaz se declara ao Itambé/Minas: “Eu amo esse time”
Créditos: Orlando Bento/MTC

Gattaz se declara ao Itambé/Minas: “Eu amo esse time”

Bicampeã Sul-americana pelo Itambé/Minas, a melhor jogadora da competição exalta a volta do clube a elite do vôlei nacional

matheusalcantara
Matheus Alcântara

O Itambé/Minas venceu o Dentil/Praia Clube neste sábado (23) e Carol Gattaz, capitã minastenista comemorou mais um título, o tetracampeonato Sul-americano de vôlei do clube, o segundo consecutivo. Além disso, a atleta foi eleita a melhor jogadora da competição.

A central está no Minas desde a “reconstrução” do time feminino de vôlei do clube mais tradicional do país.

Em 2014 Gattaz chegou a Belo Horizonte com a missão de liderar a equipe, em sua maioria formada por atletas jovens. Desde então, a central não apenas comandou, como ajudou a dar uma nova cara ao time, que voltou a conquistar títulos de expressão, depois de 18 anos de jejum quando, em 2018, a equipe mineira levantou o troféu do Sul-americano de vôlei, além do vice-campeonato mundial de clubes.

A capitã se emociona ao falar do time que lhe abraçou nas últimas temporadas:

“É muito emocionante! Vou falar bem a verdade, o Minas me devolveu a alegria de jogar vôlei! Eu amo esse clube! Eu amo esse time! Pra mim é muito bom estar participando com esse grupo, que é especial, de estar participando de todas essas conquistas e de trazer o Minas de volta a elite do vôlei nacional! Então pra mim é muito, muito especial. Eu tenho só que agradecer a toda diretoria do Minas, as meninas que sempre me dão força, me dão apoio, a comissão técnica, enfim, todo mundo de parabéns”.

O momento é de comemoração, mas o Minas já volta sua atenção para a Superliga.

Na próxima terça-feira (26) o Minas enfrenta o Sesc-RJ, num dos maiores clássicos do vôlei do país.

Mesmo com várias conquistas ao longo da carreira, Gattaz mostra garra e vontade de conquistar o título da principal competição nacional. “A gente quer mais, tem que virar a chave para a Superliga que, eu acho, que é o título que a gente mais quer nessa temporada”.

O Itambé/Minas já está classificado para os playoffs, e a capitã destaca que serão jogos difíceis para o time, que até agora só perdeu uma partida em todo o campeonato. “Primeiro a gente tem que pensar nos playoff, que é o mais importante. Nossa equipe está bem focada nisso, a gente sabe que vai ser bem difícil, com as equipes crescendo agora nessa fase final de Superliga”.

Seleção brasileira

Com o pré-olímpico neste ano e as Olimpíadas em Tóquio em 2020, é difícil não pensar no nome de Carol Gattaz para a seleção, considerando seu desempenho nas últimas temporadas.

Para se ter ideia, a central foi eleita a melhor jogadora do campeonato Sul-americano por dois anos consecutivos (2018 e 2019), e hoje é a atleta com melhor aproveitamento de ataque da Superliga.

Carol não esconde seu sonho de disputar uma Olimpíada, um dos poucos títulos que não possui em sua vitoriosa carreira. “É difícil falar sobre seleção brasileira hoje pra mim, porque não sou eu (quem define). Enfim, meu sonho é disputar uma Olimpíada. Se eu estiver em alto nível até lá, e se o Zé quiser me colocar, claro que eu vou pensar com carinho, não vou dispensar, mas seria as Olímpiadas em especial. Então teria que pensar bem, preciso estar em alto nível pra saber se eu vou conseguir aguentar até lá”.

Se depender da torcida mineira, que lotou a Arena MTC neste sábado, Gattaz é nome certo da seleção brasileira.

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo