Em noite de despedida da Arena, Botafogo busca assegurar vaga na Libertadores diante da Ponte

Glorioso vê a vitória como fundamental e promete ofensividade desde o começo, mas a Macaca quer o resultado positivo visando confirmar sua melhor campanha na era dos pontos corridos

Em noite de despedida da Arena, Botafogo busca assegurar vaga na Libertadores diante da Ponte
Foto: Fabio Leoni/Ponte Preta
Botafogo
Ponte Preta
Botafogo: Sidão, Marcinho (Victor Luís), Renan Fonseca, Emerson, Victor Luís (Diogo Barbosa); Airton, Bruno Silva, Lindoso, Camilo; Neilton e Pimpão.
Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Antônio Carlos e Breno Lopes; João Vitor, Matheus Jesus e Ravanelli; Rhayner, Clayson e Pottker
ÁRBITRO: Wilton Pereira Sampaio (GO), Fabiano da Silva Ramires (ES) e Adailton Fernando Menezes (GO)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, a ser disputada na Arena Botafogo

No duelo de alvinegros, o Botafogo quer manter vivo o sonho de disputar a Libertadores da América em 2017. Enquanto a Ponte Preta vê no confronto a chance de fazer sua melhor campanha desde que o Brasileirão passou a ser disputado em pontos corridos. Desta forma as equipes irão medir forças na Arena Botafogo neste sábado, às 20h30 em jogo válido pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. 

O clima de decisão deve se instaurar no estádio, mas fica também o gostinho de despedida, esta será a última partida do clube carioca no local. No próximo ano o Glorioso retorna à sua casa, o Estádio Nilton Santos, e cede a Arena ao rival. Apesar dos últimos resultados não animarem a torcida alvinegra, a expectativa é de um bom público após promoção de ingressos.

Quatro posições afastam os times preto e branco, o mandante vê sua classificação em risco após cair para a sexta colocação, com 55 pontos,. A Macaca não tem mais chances de Libertadores e nem de rebaixamento, ocupa a 10ª posição com 49 pontos. No primeiro turno, o clube paulista levou a melhor em casa vencendo por 2 a 0.

Mesmo desfalcado, Jair Ventura poderá contar com alguns retornos para pressionar o visitante

Para o Botafogo só a vitória importa nesta rodada, diante disso Jair optou por concentrar a equipe no sossego do Cefat, em Niterói. Apesar de ganharem reforços importantes, o técnico precisou quebrar a cabeça, pois também tiveram significantes desfalques para a partida.

Durante a 36ª rodada, contra o Palmeiras, os zagueiros Joel Carli e Emerson Silva receberam o terceiro cartão amarelo e cumprem suspensão automática, além dos reservas Leandrinho e Fernandes. Após muitos testes e mudança de esquemas táticos, o treinador não explanou a solução encontrada e fez mistério mais uma vez. A tendência é que Renan Fonseca faça dupla de zaga com o jovem Emerson Santos. 

Outro problema foi com o lateral direito Alemão, após ter o tornozelo atingido em dividida com Zé Roberto, o atleta não conseguiu se recuperar e virou preocupação. A posição deve ser ocupada por Marcinho, destaque na conquista do Brasileiro Sub-20. Jair ainda pode tentar improvisar Victor Luís na direita, o lateral volta de suspensão neste jogo junto com Aírton e Bruno Silva.

Apesar de encarar um time que não disputa mais por nada, Jair Ventura alertou para o perigo do adversário e prometeu pressão dentro de casa:

"Quando uma equipe não sai para jogar você sofre com os contra-ataques. Vão jogar no nosso erro e vamos propor o jogo dentro de casa. Temos que fazer o dever de casa. Essa atmosfera costumo passar para os atletas. O momento que estamos, o que eles querem na tabela. Foi uma semana diferente pela posição deles na tabela. Levo tudo isso em consideração."

Eduardo Baptista monta time ofensivo buscando recorde da Ponte

Diferenciando do que sempre fez, o técnico não titubeou para falar sobre a mudança no esquema tático do elenco que vai buscar o terceiro jogo invicto. Eduardo está buscando chances para os jogadores que vão continuar no clube em 2017, segundo ele os jogadores que já estão de saída apresentam baixo rendimento, com Reinaldo, Maycon, Thiago Galhardo e Felipe Azevedo.

Por conta disso, decidiu tomar uma postura mais ofensiva e utilizar o jovem Ravanelli, que entrou bem na vitória diante do Fluminense. O meia vai substituir o volante Wendel, que foi advertido com terceiro cartão amarelo.

O treinador ainda vai arriscar utilizando o Rhayner na função de centroavante, junto com William Pottker pela direita e Clayson na esquerda. Ele explicou a mudança:

“Nós estamos com carência na posição após a saída do Roger – que foi liberado após assinar pré-contrato com o Botafogo. Ele fazia bem o pivô, usando bem o tempo de bola. Como o Pottker prefere atuar pelo lado direito, o Rhayner está colaborando no meio do ataque”.