Nikola Jokic e Victor Wembanyama se enfrentaram pela primeira vez na NBA nesta segunda-feira (27). O novato deixou o astro do Denver Nuggets maravilhado. A escolha número 1 do Draft de 2023 do San Antonio Spurs não apenas anotou 22 pontos e 11 rebotes, mas também roubou seis bolas e bloqueou quatro arremessos.

O sérvio, em coletiva, falou do potencial transformador do atleta de 20 anos. "Victor só tem 19 anos, mas não está assustado com nada aqui. Ele não se cansa e joga duro o tempo inteiro, pois sabe que nada é garantido. Está cometendo erros, mas isso é normal para um jovem. Não acho que a badalação da imprensa ajude, mas parece bem acostumado com tudo isso. Esse garoto vai mudar o jogo. E, aliás, já está no caminho para isso".

Jokic ficou impressionado com a atuação de Wembanyama. A postura do novato chamou sua atenção. Ele acompanhou a disposição do atleta francês em colocar a sua versatilidade defensiva à prova a cada posse. "O menino está marcando todo mundo dentro de quadra, de pivôs a armadores. E isso porque pode fazê-lo. Acredito que é uma ótima experiência para o seu futuro, pois vai ensiná-lo sobre a marcação em todos os pontos da quadra. Não deve ser tão fácil para Victor, que só jogava como pivô na França. Mas, em termos de formação, isso só vai torná-lo melhor".

Apesar do embate, Victor Wembanyama não foi marcado por Nikola Jokic. O técnico Michael Malone evitou o duelo entregando a missão de marcar o fenômeno para Michael Porter Jr., que teve um dos maiores desafios defensivos de sua carreira. "Para começar, Victor é alto. Muito alto. Então, a minha abordagem foi pensar naquilo que jogadores mais baixos fazem quando me marcam. Fico incomodado, por exemplo, quando os defensores firmam espaço e são físicos. Como um ala, a minha sorte é que não dependo tanto dessa fisicalidade. Mas, para um cara de 2,20m de altura, essa imposição física é fundamental".

Julian Strawther também teve o papel de tentar marcar Wembanyama e detalhou a sua abordagem. "Eu conheço as limitações que tenho e, por isso, fui realista em quadra. O meu objetivo era, quando a coisa ficava irremediável, colocar Victor na linha dos lances livres. Faça com que mereça os pontos nos lances livres. Assim, todos vão ficar felizes", resumiu.

Wembanyama fez os sete primeiros pontos do Spurs, mas o Nuggets encontrou a marcação ideal para essa situação. O novato converteu apenas sete de 17 arremessos. Malone elogiou o esforço de Porter, Strawther e outros atletas que tiveram a tarefa pontual de fazer frente ao jovem talento. "Muitos jogadores saem da frente quando veem Victor em progressão. Afinal, por aqui, as pessoas têm fobia de serem 'posterizados' em uma enterrada. Esse garoto vai enterrar em muitos atletas, pois é um jogador sensacional. Só vai melhorar. Por isso, eu valorizo quem não sai da frente e assume o risco de acabar em um highlight. É o que espero de um competidor do meu time".