Argentina tropeça na Venezuela ao empatar em casa e tem vaga à Copa 2018 ameaçada

Amplamente favorita, contudo jogando diante de um dos seus algozes, a Argentina entrou em campo precisando vencer para seguir viva pelo seu espaço na Copa 2018. Contra a Venezuela nesta terça-feira (5), na 16ª rodada nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 no estádio Monumental de Nuñez, foi superior, mas tropeçou ao empatar por 1 a 1, com gol de Feltscher, contra; Jhon Murillo descontou.

Com o empate ante sua torcida, a Albiceleste se complicou e viu a vaga no Mundial ficar ameaçada pela proximidade de adversários diretos na tabela, pois soma agora 24 pontos e ocupa a 5ª posição. Já eliminada, a Vinotinto é a lanterna com oito pontos ganhos e apenas um triunfo em 16 partidas.

As equipes voltam a jogar, pela 17ª rodada do classificatório, somente no próximo mês e ainda sem data definida. Os argentinos enfrentam o Peru, em casa, já os venezuelanos vão medir forças com o Uruguai em estádio indefinido até o momento, aguardando oficialização por parte da Conmebol.

Argentina pressiona, mas não sai do zero

Com a necessidade de sair com a vitória dentro de casa, a Argentina foi ao ataque desde o início, visando fazer com que a Venezuela ficasse na defesa. Antes mesmo dos cinco minutos de bola rolando, a Albiceleste teve a primeira oportunidade, quando Mascherano deu um bom passe para Icardi chutar, mas Fariñez fechou bem o ângulo e defendeu.

Pouco tempo depois, os mandantes voltaram a assustar e tiveram uma nova chance para sair em vantagem no placar, porém não obtiveram o sucesso esperado. Di María fez lance individual pela esquerda, driblou dois adversários e cruzou na direção de Icardi, contudo o centroavante não conseguiu bater. Em seguida, Lautaro Acosta tocou na entrada da área e Banega arrematou de primeira e Chancellor evitou.

Destaque do primeiro tempo, Di María saiu com lesão na coxa esquerda (Foto: Gabriel Rossi/Getty Images)
Destaque do primeiro tempo, Di María saiu com lesão na coxa esquerda (Foto: Gabriel Rossi/Getty Images)

A pressão prosseguiu e os argentinos seguiram intensos do meio para frente, criando várias possibilidades de sair em vantagem no marcador diante da torcida. Di María recebeu na esquerda e deu um cruzamento rasteiro para Icardi desviar na primeira trave, entretanto o goleiro tirou e impediu que Dybala alcançasse o rebote.

O que parecia estar difícil na conclusão das jogadas, ficou complicado. Melhor do duelo até então, Di María sentiu dores no posterior da coxa esquerda, com Acuña entrando em seu lugar. Por isso, apenas na reta final conseguiu voltar a assustar o time Vinotinto. Messi arrancou com velocidade e soltou uma bomba, no entanto o arqueiro se esticou para afastar o perigo pela linha de fundo.

Venezuela abre placar, mas Argentina acha empate

A etapa final recomeçou diferente, com a Venezuela querendo propor e ir para cima, buscando surpreender distante de seus domínios. Logo aos quatro minutos, em contra-ataque muito veloz, Córdova deu passe em profundidade para Jhon Murillo, que saiu de frente para Romero e teve o trabalho de completar para o fundo do gol.

Mesmo com o susto tomado no início, a Argentina não se acomodou e conseguiu deixar tudo igual, fazendo o Monumental explodir em festa. Acuña fez grande jogada pelo lado esquerdo, deixou García para trás e tocou rasteiro para Icardi. O atacante, em liberdade, apenas emendou ao barbante, contando com desvio ainda de Feltscher. Pouco depois, o meia Dybala soltou a pancada de longe e Fariñez espalmou com muita dificuldade. Na sequência, Guido Pizarro arriscou sem perigo.

Venezuela sai em vantagem, mas Argentina alcança empate na etapa final (Foto: Divulgação/Argentina)
Venezuela até sai em vantagem, porém Argentina alcança empate na etapa final (Foto: Divulgação/Argentina)

Visando dar mais ofensividade à equipe, Sampaoli promoveu entradas do atacante Benedetto e meio-campista Pastore, com Dybala e Icardi sendo poupados. As mudanças, por sua vez, não surtiram o efeito que o comandante esperava e o time anfitrião seguiu sem criatividade com o apoio dos torcedores.

Nos minutos finais, os dois lados procuraram opções de como garantir os três pontos, no entanto não foram efetivos na conclusão. No último lance, Messi deu belo passe na pequena área para Pastore, que ficou à frente de Fariñez. O jovem goleiro, por outro lado, saiu bem e impediu que a vitória ficasse em favor dos mandantes.

VAVEL Logo