Guia VAVEL da Copa do Mundo 2018: Costa Rica

Seleção que foi surpresa em 2014, desbancando campeãs mundiais, vive a expectativa de repetir a dose na Rússia em sua quinta participação em Copas do Mundo

Guia VAVEL da Copa do Mundo 2018: Costa Rica
Foto: Editoria de Arte/VAVEL

A poucos dias da competição que para o mundo todo, seleções de diversos países se concentram para se entregarem dentro de campo em busca da taça mais cobiçada de quatro em quatro anos, a da Copa do Mundo.

Com a seleção da Costa Rica, isto não poderia ser diferente. A equipe comandada que agora é comandada por Óscar Ramírez, foi surpresa em 2014 e quatro anos depois, carrega o peso de uma campanha que excedeu expectativas na última Copa.

O peso da campanha de 2014

Em 2014, quando a equipe era comandada por Jorge Luis Pinto, a Costa Rica surpreendeu e se sobressaiu no considerado 'grupo da morte', com Uruguai, Itália e Inglaterra, três campeãs mundiais. Naquela ocasião, os costarriquenhos venceram o Uruguai na estreia por 3 a 1, em seguida superaram a Itália por 1 a 0 e empataram contra a Inglaterra, tendo a melhor campanha da seleção da história.

Nas fases seguintes, a Costa Rica seguiu surpreendendo e venceu a Grécia nas oitavas de final, e só foi parar contra a Holanda, nas quartas após empate sem gols na etapa regulamentar e sendo eliminada nos pênaltis.

(Foto: Michael Steele/Getty Images)
(Foto: Michael Steele/Getty Images)

Agora, em 2018, a tarefa no grupo não é tão complicada quanto na última Copa do Mundo. Entretanto, o maior adversário está na missão de surpreender novamente no que será a sua quinta participação da história em mundiais, a segunda participação consecutiva.

No grupo E do mundial, a Costa Rica fará frente contra Brasil, Suíça e Sérvia. Equipes que, com exceção do Brasil, são inferiores em nível técnico no continente do qual pertence.

A imprensa, juntamente com costarriquenha, por terem presenciado o retrospecto recente, enxergam com bons olhos a fase de grupos e apontam a Costa Rica como um possível segundo colocado, visto que não negam que o Brasil é favorito na disputa.

Os costarriquenhos, ainda deixaram uma impressão positiva antes de embarcarem para a Europa. Em amistoso contra a seleção da Irlanda do Norte, que fora eliminada na repescagem das eliminatórias da Copa para a Suíça, a equipe de Óscar Ramírez goleou por 3 a 0, sem enfrentar dificuldades dentro de campo, apresentando um futebol dinâmico e ofensivo.

OS 23 de Óscar Ramírez

Dentre os 23 selecionados do técnico Ramírez, 12 deles estiveram na Copa do Mundo na campanha de 2014 sendo eles: Keylor Navas, Patrick Pemberton, Cristian Gamboa, Oscar Duarte, Giancarlo Gonzalez, Johnny Acosta, Yeltsin Tejeda, Celso Borges, Bryan Ruiz, Christian Bolaño, Joel Campbell e Marco Urena.

Além de nomes já conhecidos da torcida, Óscar Ramírez também surpreendeu a convocar o lateral-direito, Iam Smith de apenas 20 anos, que atua no IFK Norrköping e vai para a sua primeira Copa do Mundo entrando na lista dos 10 jogadores mais jovens do mundial na Rússia.

Com jogadores conhecidos e a jovem surpresa, Óscar Ramírez relacionou os 23 nomes com:

Foto: Divulgação/Fedefutbol)

Destaque: Bryan Ruiz

Capitão e camisa 10 da Costa Rica, Bryan Ruiz viveu altos e baixos na última temporada. Meio-campista do Sporting, Ruiz foi afastado por Jorge Jesus e chegou a treinar com a equipe de base do clube português por não ter espaço na equipe titular. Entretanto, o costarriquenho deu a volta por cima e assumiu a condição de titular chegando a tempo e em forma para a Copa da Rússia.

(Foto: Ian MacNicol/Gatty Images)

Em 2014, Ruiz foi quem comandou a equipe ao triunfo, marcando dois gols em cinco jogos durante a Copa no Brasil. Aos 32 anos, esta pode ser a última Copa do camisa 10, que é dono de uma visão de jogo e de um forte chute de fora da área que podem mais uma vez surpreender na Copa.

Fique de olho: Keylor Navas e Joel Campbell

É inegável que após 2014 muitos nomes da seleção costarriquenha ficaram mais visados no futebol. Dentre eles, o atleta que disseminou não só o esporte mas a cultura do país, foi Keylor Navas. 

O goleiro da Costa Rica, é símbolo no seu país, além de fazer parte da equipe de maior evidência do futebol mundial, o Real Madrid. Recém-campeão da última edição da Uefa Champions League, Navas tem até filme biográfico contando o caminho que percorreu até atingir o ápice de sua carreira ao chegar no clube merengue.

Foto: Michael Steele/Getty Images)

Na Copa de 2014, Navas sofreu apenas dois gols durante toda a campanha até as quartas de final e se tornou. 

Além de Navas, outro nome que merece a atenção é do atacante Joel Campbell. Com apenas 25 anos, o jovem atacante foi outro destaque em 2014, o que lhe rendeu interesse de grandes clubes europeus. Entretanto, lesões atrapalharam a sua carreira e atualmente Campbell atua pelo Real Betis, onde voltou de lesão no joelho no final temporada.

(Foto: Omar Vega/Getty Images)
(Foto: Omar Vega/Getty Images)

Nos últimos amistosos, Campbell foi o principal nome no ataque, abusando da velocidade e drible. Contra a Irlanda do Norte, o atacante concedeu uma assistência e marcou um gol na goleada, sem o melhor nome do jogo.

Óscar Ramírez

O comandante assumiu a seleção costarriquenha após a Copa de 2014, quando Jorge Luis Pinto pediu demissão do cargo. Desde então, Ramírez vem fazendo um trabalho de revelar nomes que estão no próprio plantel da Costa Rica. Dos 23 convocados pelo técnico, cinco atuam pela liga nacional do país.

Foto: Manuel Arnoldo Robert Batalla/Getty Images)

Durante a campanha nas eliminatórias da CONCACAF, no comando de Ramírez, a Costa Rica acumulou quatro vitória, quatro empates e apenas duas derrotas, com destaque para a vitória de 4 a 0 sobre os Estados Unidos, favoritos para irem à Copa. A campanha com Ramírez, rendeu classificação em do Hexagonal Final, com 16 pontos.

Agora, Ramírez e seus comandados estreiam contra a Sérvia no próximo domingo (17), às 9h00 da manhã.