Uruguai enfrenta Arábia Saudita para confirmar favoritismo e vaga ao mata-mata

Celeste pode cravar sua classificação para as oitavas de final do torneio de seleções contra os sauditas, que não devem dificultar a festa dos uruguaios

Uruguai enfrenta Arábia Saudita para confirmar favoritismo e vaga ao mata-mata
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil
Uruguai
Arábia Saudita
Uruguai: Fernando Muslera; Guillermo Varela, Jose Maria Gimenez, Diego Godin, Martin Caceres; Nahitan Nandez, Matias Vecino, Rodrigo Bentancur, Cristian Rodriguez; Luis Suárez e Edinson Cavani. Técnico: Óscar Tabárez
Arábia Saudita: Mohammed Alowais; Mohammed Alburayk, Osama Hawsawi, Ali Albulayhi, Yasser Alshahrani; Salem Aldawsari, Abdullah Otayf, Salman Alfaraj, Taiseer Aljassam, Yahia Alshehri e Fahad Almuwallad. Técnico: Juan Antonio Pizzi
ÁRBITRO: Clement Turpin (FRA), auxiliado por Nicolas Danos (FRA) e Cyril Gringore (FRA).
INCIDENCIAS: Jogo válido pela segunda rodada do grupo A da Copa do Mundo Rússia 2018.

Fechando a rodada do grupo A da Copa do Mundo 2018, que acontece na Rússia, Uruguai e Arábia Saudita se enfrentam nesta quarta-feira (20), às 12 horas, horário de Brasília, no Estádio de Rostov. O jogo pode cravar a classificação da celeste, que é favorita, à preencher a vaga que ainda resta no grupo, para as oitavas de final do torneio. Como também pode acontecer, dos sauditas arrumarem uma vitória pra cima da seleção de Óscar Tabárez e deixar a decisão da última vaga, para a terceira e finalíssima rodada.

O último encontro entre as seleções, não foi de bom grado para a seleção uruguaia, que somente empatou com os sauditas por um a um, em 2014, no Estádio Rei Abdullah, na cidade de Jeddah, na Arábia Saudita. E se depender da celeste, essa vaga estará mais do que garantida, para a torcida fazer a festa e comemorar a classificação uruguaia, de forma antecipada.

Suárez quer apagar estreia ruim em seu jogo 100 com a Celeste

Outro grande ingrediente que pode apimentar ainda mais a situação árabe, é o fato de que Luís Suárez irá comemorar seu centésimo jogo pela seleção do Uruguai. Até o momento, são 99 jogos e 51 gols. Se na estreia, 'Luisito' perdeu várias chances contra o Egito, tenta agora superar a atuação ruim para embalar no Mundial.

Dono de uma das melhores duplas de ataque do mundo, Suárez e Cavani tem a função de empurrar a bola nas redes dos sauditas, para garantir a classificação na penúltima rodada, de forma tranquila, sem precisar de outros resultados, trabalhando com suas próprias forças.

"Como o tempo passa, 100 jogos... É um número muito importante para a trajetória dos jogadores em suas seleções nacionais. Não é só um número. Significa muitíssima coisa. E nesses 100 jogos, Suárez foi um jogador determinante nas poucas coisas que conseguimos. Proveniente da sub-20, foi para a seleção principal, fez muitos gols importantes e deu muitas assistências. É um atacante que dá muitas assistências. Não fez um grande jogo, mas seu potencial está intacto", destacou o técnico Óscar Tábarez, em uma emocional coletiva pré-jogo.

O treinador uruguaio também comentou e se emocionou com o vídeo de crianças em uma escola comemorando o gol da vitória uruguaia sobre o Egito na estreia.

"As crianças veem que o Uruguai ganha com um gol em cima da hora, que é uma maneira que todo mundo gosta de ganhar, e saíram todos correndo para o recreio. E eu pensei que estas crianças não vão mais esquecer disso e vão falar isso para seus filhos ou netos. E isso é o que retomamos. O Uruguai está todo celeste, pintado celeste, com bandeiras nas ruas. Não sei se é um caso exclusivo, porque não conheço outros casos do mundo, mas para o Uruguai é uma maravilha, pelo que fizemos antes do Mundial e fizemos neste jogo. Nunca falei publicamente, mas quando estamos sozinhos, ficamos orgulhosos desse sentimento que há no futebol", confessou.

Pizzi destaca que vencer é um detalhe para Arábia Saudita

O técnico da Arábia Saudita, Juan Antonio Pizzi garantiu que a seleção esta longe de entregar os pontos, depois da derrota por cinco a zero, diante da anfitriã Rússia, em jogo válido pela primeira rodada da Copa do Mundo. Na verdade, o comandante quer mostrar que seus jogadores podem ser mais competitivos e, com isso, ganhar mais motivação para fazer história já na fase de grupos. De acordo com o treinador, o resultado é mera consequência.

"Nós temos outras prioridades além de ganhar. Temos que recuperar, mostrar nossa capacidade competitiva", afirmou Pizzi.