Como fica o ataque da Juventus com a chegada de Cristiano Ronaldo

Alguns jogadores podem perder seu espaço já que o atual melhor do mundo consegue atuar em variáveis posições no ataque

Como fica o ataque da Juventus com a chegada de Cristiano Ronaldo
Atacante chega para mudar o patamar da Juventus no futebol mundial (Foto: Divulgação/Juventus FC)

Cristiano Ronaldo foi oficialmente apresentado nesta segunda-feira (16) na Juventus. É inegável que tal reforço balançou tanto imprensa, quanto no mercado de transferências. 

Além do prestígio pela imagem de craque, o atacante traz o futebol italiano de volta ao patamar que viveu há uma década atrás, quando Káka era nomeado o melhor jogador do mundo atuando pelo Milan, sendo o último com tal título a atuar na Serie A.

O que Cristiano Ronaldo traz ao ataque da Juventus?

Visto que o nível do futebol italiano como um todo melhora com a chegada de CR7, a Juventus que já segue hegemônica na Itália, vencendo os últimos sete campeonatos nacionais, terá de se adaptar ao estilo de jogo de Cristiano e vice-versa.

Aos 33 anos, Cristiano já não é mais um garoto que impunha dribles em velocidade contra os adversários em Manchester. Agora, com maior experiência, o camisa 7 deve atuar mais centralizado, e flutuando frente à área para abrir espaço para seus novos companheiros como Mandzukic, Cuadrado e Douglas Costa.

Quem perde com a sua chegada é o camisa 9, Higuaín. Vindo do Napoli em 2016, o argentino marcou cerca de 36 gols na Serie A, sendo o recorde na competição para o único jogador. Entretanto, o atacante vem diminuindo seu número de gols e na última temporada marcou apenas 16 em 36 partidas.

(Foto: Divulgação/Juventus FC)

Cristiano em 2015/16 marcou 35 gols, um a menos do que o argentino. Contudo, o gajo manteve seu ritmo, diminuiu, mas sempre se manteve acima dos 20 gols. Na última temporada, em que demorou para engatar na La liga, CR7 fez 26 gols em 27 partidas que atuou.

Em caso do técnico Massimiliano Allegri optar em manter o novo reforço de €100 milhões em sua posição de origem, pela ponta esquerda, Alex Sandro e o compatriota recém-chegado, João Cancelo  que são laterais ofensivos por característica, passam a apoiar ainda mais pela lateral, algo parecido com o que Marcelo fazia no Real Madrid quando tinha Cristiano. Nesta cenário, quem sairá perdendo é Mandzukic, que mesmo que seja atacante central de origem, joga pela ponta na Juventus, deixando Higuaín centralizado.

(Foto: Divulgação/Juventus FC)

O croata atou em 32 partias e marcou apenas cinco gols na Serie A, o que prova que os pontas na Itália, pela característica cultural do esporte no país, não têm tanto espaço para o arremate à área e cumprem uma função mais tática. Tal missão, caso seja exigida de Cristiano, pode vir a frustrar os torcedores que esperam gols do camisa 7 e atuando como ponta, dificulta na proximidade ao gol em algumas oportunidades.

Em suma, para extrair o máximo de Cristiano Ronaldo e considerando sua idade já avançada, o atacante pode atuar centralizado e caindo pelas pontas ou até mesmo vindo buscar a bola fora da área para abrir espaço para a infiltração tanto para Mandzukic pela esquerda quanto para Cuadrado ou Douglas Costa pela direita. O estilo do futebol italiano pode fazer com que CR7 se adapte melhor fora da área e esteja preparado para decidir dentro dela.