Marco Rose lamenta eliminação para o Man City: "Tínhamos outros desejos para os dois jogos"
Foto: Divulgação / Borussia Mönchengladbach

Não deu para os potros! Nesta terça-feira (17), Borussia MönchengladbachManchester City  fizeram o  jogo de volta das oitavas de final da UEFA Champions League na Púskas Arena. Como os ingleses venceram o primeiro jogo por 2 a 0 no mesmo estádio, os alemães precisavam correr atrás do resultado. Apesar de ser uma das grandes surpresas da fase de grupos, os alemães não tiveram chance e perderam mais um jogo em Budapeste por 2 a 0, com gols de Kevin De Bruyne e Gündogan.

Sobre os dois confrontos de oitavas de final, Marco Rose admite que o time de Pep Guardiola foi superior. "Nós obviamente tínhamos outros desejos para os dois jogos, mas você tem que aceitar que o Manchester City em forma é um oponente mais forte e um que qualquer lado tem dificuldades contra. O primeiro chute deles entrou e o segundo não foi longe".

O técnico viu a reação dos potros, principalmente no segundo tempo, com bobs olhos. Porém, segundo Rose, o time não tinha mais fé que poderia reverter o resultado. "Colocaram boa resistência e mostramos que podemos dar uma vida difícil a um oponente de qualidade. Tivemos alguns momentos promissores com a bola e produzimos mais chutes do que no primeiro jogo, mas, no geral, não foi o suficiente", admite o comandante. 

Para Yan Sommer, era o momento para mostrar o alto nível de futebol, principalmente contra um adversário como o Manchester City. "Times como o City não te dão muito espaço para jogar e quando você acha, você tem que fazer o melhor disso. Estamos em um período difícil no momento. Trabalhamos duro para ficar entre os 16 e queríamos fazer algo para mostrar isso. Estamos extremamente desapontados agora, mas acredito que alcançamos algo incrível na Champions League nesta temporada. Agora é olhar para frente", desabafa  o goleiro. 

Para o capitão dos potros, Lars Stindl, os dois gols logo no início quebraram as intenções que os alemães tinham de reverter o 2 a 0 do primeiro jogo. "Tentamos algo e tivemos duas ou três chances, mas é muito difícil contra o City porque você tem uma janela curta de oportunidade onde você joga a bola atrás. Se você passa só um pouco a mais com a bola, a pressão deles acaba com qualquer chance que você tem. Foi por isso que entramos em áreas perigosas  tão dificilmente. Nós procuramos a bola intensivamente, mas o City trabalhou da maneira deles: com pressão e bom futebol", lamentou o camisa 13.

VAVEL Logo