Técnico do Granada, Diego Martínez fala em "vitória épica" após virada sobre Barcelona no Camp Nou
Miguel Ruiz/FC Barcelona

Faltam cinco rodadas para o final da temporada 2020-21 de LaLiga e a disputa pelo título segue indefinida. O Barcelona teve a chance de assumir a liderança na 33ª rodada, mas perdeu para o Granada de virada por 2 a 1 em pleno Camp Nou e segue atrás de Atlético de Madrid e Real Madrid.

"Foi uma partida épica. Quando a equipe consegue fazer algo diante de um time tão forte como o Barcelona só tenho que agradecer a confiança dos jogadores e de todos que ao longo desses anos lutaram por essa camisa e preservaram os valores do clube ajudando o Granada a continuar na elite do futebol espanhol", comemorou Diego Martínez, que comanda o Granada desde a temporada 2018/19.

Ronald Koeman manteve o esquema com a linha de três zagueiros, com Busquets à frente da zaga, o lateral Jordi Alba jogando mais adiantado, no meio de campo, e a principal novidade foi a escalação de Ilaix Moriba na esquerda.

Busquets participou bastante da construção do jogo, com lançamentos e passes em profundidade, e em duas oportunidades lançou Griezmann, que chutou de canhota e quase abriu o placar. Na segunda tentativa, o francês recebeu e serviu Messi, que bateu cruzado, no canto esquerdo do goleiro, que nada pode fazer.

Enquanto isso, o Granada encontrava dificuldades para chegar ao ataque, jogando fechado com praticamente uma linha de cinco jogadores atrás formada pelo trio defensivo (Diaz, Sánchez e Pérez) e mais os dois laterais (Foulquier e Quini), que pouco subiam ao ataque, Suárez e Machís no meio, e o atacante Soldado isolado na frente.

Moriba também criou chances, sendo a primeira após lançamento de Umtiti que ele explorou um espaço deixado por Foulquier e acionou Griezmann, que bateu de canhota e a bola passou à esquerda do gol. Na sequência, De Jong apareceu na área e cruzou para Sergi Roberto bater de primeira, mas a bola passou por cima do travessão.

O Barcelona dominava a partida até o início do segundo tempo, mas como está na luta por vaga na Europa League, o Granada começou a sair mais para o jogo, e o técnico Diego Martínez mexeu no time, colocando Gonalons e o veterano Jorge Molina, de 39 anos.

A estratégia deu certo: dois minutos depois, Suárez lançou Machís na ponta direita, Mingueza tentou cortar, mas apenas resvalou na bola e ela caiu no pé esquerdo do camisa 11, que empatou. Na sequência, o técnico Ronald Koeman contestou decisão da arbitragem e foi expulso. O Granada se animou, e em mais uma jogada de Suárez, desta vez pela esquerda, ele tocou para Marín e ele encontrou Molina dentro da área, que se posicionou entre Piqué e Umtiti, infiltrado no meio da zaga, e cabeceou no canto direito, tirando de Ter Stegen.

Como só a vitória era suficiente para atingir a liderança, o Barcelona foi para o tudo ou nada, desfez o esquema com três zagueiros, colocou três atacantes em campo (Dembélé, Pedri e Trincão), sendo o primeiro na vaga de Mingueza e o último no lugar de Busquets, mas nada adiantou. O árbitro deu cinco minutos de acréscimos, Ter Stegen foi para a área tentar o cabeceio em falta lateral cobrada por Messi na ponta esquerda, mas não conseguiu evitar a derrota.

Classificação e próximos jogos

Com este resultado, o Barcelona segue com a mesma pontuação do atual campeão Real Madrid e a dois do líder Atlético de Madrid. Já o Granada mantém vivo o sonho de disputar a próxima temporada da UEFA Europa League, chegou aos 45 pontos e está a cinco do Betis, sexto colocado.

No final de semana, o Barça visita o Valencia e o Granada recebe o Cádiz, que neste brigam no meio da tabela.

VAVEL Logo