Técnico do Arsenal Feminino, Jonas Eidevall planeja fazer treinos com Sub-16 do masculino
Foto: Divulgação/Arsenal

O Arsenal Feminino teve ótima campanha, conquistando 17 vitórias, quatro empate e apenas uma derrota na Women's Super League, além de ter sido o time que mais marcou gols na competição: 65. Nada disso foi o suficiente para assegurar o título. Por um ponto de diferença, 56 contra 55, o Chelsea ergueu a taça. 

As Gunners até tiveram uma na taça. As Blues perdiam de 2 a 1 para o Manchester United, mas conseguiram reagir depois do intervalo com Sam Kerr. O técnico Jonas Eidevall está orgulhoso de suas comandadas, mas não escondeu o vazio de chegar tão perto. 

"Uma parte de mim está muito orgulhoso do que conquistamos, somar 55 pontos e realmente lutar pelo título. Quero dizer, estávamos muito perto de ficar invictos durante toda a temporada. E outra parte parece vazia porque não conseguimos levantar o troféu por todo esse trabalho duro. Acho que as jogadores mereciam muito isso. Mas essa é a coisa na vida - às vezes você precisa trabalhar mais para as coisas, e isso é um teste para nós", pontuou.

Visando a preparação para a temporada 2022-23, Eidevall planeja que suas jogadoras enfrentem o Sub-16 masculino na tentativa de prepará-las para os times que irão duelar na Women's Champions League.

“Temos que ter uma boa cooperação com a academia de nossos meninos para envolvê-los em treinos e jogos internos, para que possamos jogar contra algo mais físico e mais rápido do que jamais jogaríamos Champions League, a fim de definir o ponto de referência”, citou ao The Athletic.

O sueco analisa que a dificuldade gerada durante os treinos poderá ser bem-sucedida durante os jogos oficiais. 

“Essa é uma oportunidade surpreendente que a maioria dos times de futebol do mundo poderia fazer. Isso significa que se tivermos sucesso nos treinos, com certeza teremos sucesso nos jogos também. Teremos um pouco mais de tempo e será um pouco mais fácil”, realçou.

Eidevall explicou que os garotos do Sub-15 ou Sub-16 não passaram por todas as transformações físicas, contudo, têm algumas características diferentes das atletas.

“Isso é mais algo para falar com Per Mertesacker (gerente da academia do masculino do Arsenal). O Sub-15 ou Sub-16 geralmente é uma boa faixa etária onde a parte física não mudou tanto em todos os jogadores. Eles são um pouco mais rápidos que nossas jogadoras, mas não é impossível jogar contra eles”, concluiu.

VAVEL Logo