Chorando, Buffon anuncia aposentadoria da Seleção Italiana e elogia possíveis sucessores

Após não conseguir vaga para a Copa do Mundo, goleiro diz que Itália estará em boas mãos com Donnarumma e Perin

Chorando, Buffon anuncia aposentadoria da Seleção Italiana e elogia possíveis sucessores
Buffon se derramou em lágrimas depois do apito final, no San Siro (Foto: Marco Luzzani/Getty Images)

Gianluigi Buffon, lendário goleiro italiano, anunciou aposentadoria da Seleção Italiana depois do vexame azzurro nesta segunda-feira (13). O time de Giampiero Ventura não conseguiu se qualificar para a Copa do Mundo de 2018. Depois de apenas empatar sem gols com a Suécia, em um San Siro lotado, o experiente arqueiro lamentou a não classificação da Itália, mas também reconheceu que existem jogadores que poderão substituí-lo à altura.

+ Buffon revela única condição para não se aposentar ao final da temporada: "Ganhar a UCL"

"Fico triste não por mim, mas pelo futebol italiano no geral. Falhamos em algo que socialmente poderia ser muito importante, lamento apenas isso. Me deixa triste que a minha última partida tenha sido uma não classificação para o Mundial, mas o tempo é assim, mesmo que ás vezes seja um tanto cruel. Deixo a seleção em ótimas mãos e [o goleiro do Milan Gianluigi] Donnarumma e [o goleiro do Genoa Mattia] Perin poderão me substituir perfeitamente bem", disse o atleta, de 39 anos, muito emocionado durante entrevista ao canal Rai.

O goleiro também falou sobre a tese da Itália ter subestimado a Suécia, mas discordou disso. Ele também dividiu a culpa igualmente a todos pelo fracasso italiano, e confia na nova geração de jogadores para levar a seleção e volta ao caminho das glórias.

"Não subestimamos a Suécia e nem essa partida, mas nos faltou energia e lucidez para fazer gols. Esse playoff foi decidido em episódios, mas penso que os episódios te premiam quando você merece e vice-versa. Futuro da seleção? Certamente teremos um futuro, somos orgulhosos, fortes e sempre nos levantamos depois das quedas. Ventura? Ele tem culpa como temos todos nós que participamos dessa situação, porque esse esporte ensina que se vence e se perde em grupo", completou. 

Com a camisa da Itália, Buffon disputou 175 partidas e poderia ter conseguido um novo recorde em sua carreira, já que disputou cinco Copas do Mundo e teria a chance de jogar a sexta, fato que ninguém conseguiu na história. Recentemente, ele foi escolhido o melhor goleiro do mundo pela Fifa.

Buffon desolado no gramado do San Siro (Foto: Claudio Villa/Getty Images)
Buffon desolado no gramado do San Siro (Foto: Claudio Villa/Getty Images)