Rivalidade histórica e política: relembre as polêmicas e atritos de Vasco e Fluminense em 2015
Relembre as confusões e atritos de Vasco e Fluminense em 2015 (Foto: Marcello Neves/VAVEL)

Eis que o destino coloca Fluminense e Vasco no mesmo caminho mais uma vez. Após um 2015 repleto de polêmicas, atritos e crises políticas, os dois clubes estarão diretamente ligados na 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. A conta é simples: se o Tricolor for derrotado pelo Figueirense, o Cruzmaltino estará rebaixado.

MATEMÁTICA: os resultados que Vasco, Coritiba, Goiás, Figueirense e Avaí precisam para escapar da Série B.

Fluminense entregaria para rebaixar o Vasco? Não sabemos e não cabe a nós cogitar. Mas o histórico recente mostra que a rivalidade entre os clubes está à flor da pele. Aliciamento de jogadores da base, brigas pelo lado direito do Maracanã e provocações de Eurico quanto a freguesia em clássicos colocam ainda mais pimenta na discussão.

Neste especial, a VAVEL Brasil tratou de fazer um compilado com todas as polêmicas envolvendo Fluminense e Vasco no ano de 2015. Relembre todos os conflitos que tornaram a rivalidade uma das mais emblemáticas dos dias atuais.

Preço dos ingressos do carioca, meia entrada universal e prejuízo para sócios de Flamengo e Fluminense

A primeira polêmica do ano ficou por conta do preço dos ingressos do Campeonato Carioca. A proposta apresentada por Eurico Miranda e aprovada pela FERJ definiu que o Estadual teria preços promocionais para todas as partidas, fato que influenciaria diretamente nos programas de Sócio Torcedor de Flamengo e Fluminense.

Segundo o acordo, não haveria venda de ingressos com valor inteiro. Foram comercializados apenas bilhetes meia-entrada, com valores variando entre R$ 5 e R$ 50. No fim, quem detinha de planos de sócio torcedor acabava gastando mais mensalmente que um torcedor comum. A FERJ não voltou atrás e os clubes mantiveram seus programas de sócios, mesmo com prejuízos.

Fluminense notifica sumiço de promessa da base na FERJ e CBF; Vasco é acusado de aliciamento

A briga em questão tem nome e idade: Paulo Vitor, de 15 anos. Destaque das categorias de base do Fluminense, o jogador não se reapresentou ao clube para se transferir ao Vasco. O Tricolor notificou junto a FERJ e CBF o sumiço do menino e acusou o Cruzmaltino de aliciamento.

O Vasco correu o risco de ficar até dois anos sem disputar competições nas categorias de base, mas o processo não seguiu em frente. Paulo Vitor seguiu para São Januário e o Fluminense foi indenizado em R$ 1,5 milhão pela saída do atleta, conforme manda a Lei Pelé. 

Briga pelo lado direito do Maracanã e clássico é transferido para o Engenhão

A polêmica começou quando Eurico Miranda foi reeleito como presidente e garantiu que a torcida do Vasco voltaria a ficar à direita das tribunas de honra do Maracanã. Tal ação ganhou o apoio da FERJ, mas o Fluminense detinha de um contrato com o Consórcio que administra o estádio preservando seus direitos.

Depois de uma longa discussão, que envolveu dirigentes e até mesmo jogadores, a Federação do Rio de Janeiro decidiu que a partida seria em outro local. O Engenhão, ainda em fase final de obras, recebeu o clássico com menos de 50% de sua capacidade de público total. O Vasco venceu por 1 a 0, com gol marcado por Luan.

TJD-RJ: Fred é suspenso e perde semifinal do Carioca; Guiñazu e Bernardo tem julgamento atrasado

Guinãzu e Bernardo foram expulsos no clássico contra o Flamengo, ainda na primeira fase do Campeonato Carioca, após brigarem com Paulinho e Anderson Pico. O julgamento dos atletas seria no dia 14 de abril, mas o TJD decidiu por adiar. Foi adiado por tanto tempo que os dois estiveram em campo na final contra o Botafogo, no dia 3 de maio, antes de qualquer decisão do tribunal.

No entanto, Fred também foi expulso contra o mesmo Flamengo, também na primeira fase do Cariocão, mas seu julgamento não foi adiado. O atacante pegou um jogo de suspensão, e ficou de fora da semifinal contra o também Botafogo, no dia 11 de abril. O Fluminense acabou eliminado nos pênaltis e a diretoria Tricolor reclamou do Tribunal de Justiça Desportiva por tratar os dois casos como "dois pesos e duas medidas".

Vasco solicita que Flu mostre o documento sobre lado direito do Maracanã; Tricolor divulga anexo

O clássico entre Vasco e Fluminense no primeiro turno do Brasileirão 2015 se aproximava e os ânimos voltaram a se exaltar. Jackson Vasconcellos, ex-diretor executivo tricolor revelou que, desde a assinatura do acordo até sua saída do clube, não havia nada no contrato com o Consórcio Maracanã sobre privilégios quanto ao lado direito do estádio.

Sabendo disso, o Vasco entrou com uma ação na 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ/RJ) de busca e apreensão do contrato entre o Fluminense e o Consórcio Maracanã. O clube queria ver se realmente existe a cláusula no compromisso firmado entre Flu e o Maracanã para que a torcida tricolor ocupe de forma fixa o lado direito, que historicamente sempre foi dos vascaínos. 

Em resposta, o Fluminense revelou ao GloboEsporte.com o anexo que garante todos os direitos requeridos. Peter Siemsen, presidente do clube, afirmou que estava tranquilo quanto ao assunto e deu o caso como encerrado.

90% + 10: Ronaldinho Gaúcho é 100% do Fluminense

Em julho, o Fluminense anunciou a contratação de Ronaldinho Gáucho. Com a proximidade do clássico, o clube tratou de lembrar-se da declaração do presidente  Eurico Miranda, que chegou a dizer que "o meia estava 90% fechado com o Vasco" e provocou o rival em sua apresentação.

No vídeo divulgado por meio das redes sociais do clube, a camisa 10 de Ronaldinho aparecia ao lado de um 90%, fazendo ilusão à declaração do mandatário Cruzmaltino, formando a frase: 100% Tricolor. 

Vascaínos respondem provocação com faixa no clássico: "100% Libertadores"

Após a provocação do Fluminense devido ao chapéu por Ronaldinho Gaúcho, os torcedores vascaínos decidiram responder da mesma maneira. A Comissão de Festas do Vasco preparou uma faixa lembrando a conquista do Vasco em 1998 da Taça Libertadores e da queda do time tricolor para a terceira divisão do futebol brasileiro no mesmo ano.

Rodrigo provoca Fred com paródia e afirma: "Não sabe jogar contra um defensor como eu"

Fred e Rodrigo trocaram farpas durante os 90 minutos do clássico, mas os problemas seguiram mesmo após o apito final. O zagueiro vascaíno foi flagrado cantando uma paródia do grito ''O Fred vai te pegar'' e o áudio vazou em TV Aberta. Após ser questionado em entrevista, não poupou ataques diretos ao camisa 9 do Fluminense.

"O Fred, na hora que (o Fluminense) fez o gol... Não vou falar a palavra que ele usou, mas está aí um presentinho para ele. Um cara que se sente incomodado, não sabe jogar contra um defensor como eu, que marca em cima, marca forte. Aí ele se perde.", afirmou Rodrigo.

Vasco provoca Fluminense após vitória: 'O destino é sempre o mesmo'.

Após a vitória no clássico, o Vasco usou o Twitter para provocar o Fluminense com três publicações. A primeira e mais reproduzida continha uma foto com os dizeres: "Independente do lado, dentro de campo o destino é sempre o mesmo". O tweet foi compartilhado mais de 2 mil vezes em pouco menos de uma hora. 

A segunda publicação trazia a foto de Eurico Miranda com a mensagem escrita: "Eterno Freguês" Ass: Presidente Eurico Miranda". A terceira fazia referência ao Vasco não ser derrotado pelo Flu há 10 partidas: "Vasco não perde para o Fluminense há dez jogos! Em 2015, o aproveitamento é 100%! O Destino é sempre o mesmo, não tem jeito!".

Eurico volta a atacar o Fluminense: "Ganhamos no asfalto e em qualquer lugar"

Eurico Miranda não poupou sua lábia para alfinetar o Fluminense após a vitória no clássico. Em entrevista coletiva concedida em São Januário, o presidente voltou a provocar e afirmou que o Tricolor estava 'borrado' e perderia até no asfalto.

"É um jogo que não precisa ser analisado. Entraram dois times de 11 e um estava cheio de medo, borrado. Disse e repito: O Vasco ganha do Fluminense no asfalto, em qualquer lugar. Fluminense é freguês que paga em dia", declarou.

Entre risos e gargalhadas, o mandatário também não poupou Ronaldinho Gaúcho. Comparando com Andrézinho, tratou de tripudiar do então novo reforço Tricolor.

"O futebol não é uma ciência exata em algumas coisas. Eu disse que o Ronaldinho ia fazer uma boa companhia ao Andrezinho. E, no dia em que ele foi apresentado, o Andrezinho fez o gol no Fluminense.".

Eurico Miranda sobre Fluminense: "Sempre gostei de ajudar os fracos e necessitados"

Eurico Miranda também resgatou um assunto antigo em pautas futebolísticas. Em meio às provocações do clássico, o mandatário cobrou respeito àquele que 'supostamente' teria ajudado a puxar o Fluminense, campeão da Série C, em 1999, à primeira divisão, em 2000.

"Ajudei. E faria de novo. Sempre gostei de ajudar os mais fracos e necessitados.", esnobou Eurico, lembrando o famoso caso Sandro Hiroshi, jogador do São Paulo desmascarado por ter adulterado a idade, gerando uma série de contestações, perda de pontos e a substituição, no ano 2000, do Brasileiro pela Copa João Havelange.

CBF confirma novo clássico entre Vasco e Fluminense novamente no Engenhão

O clássico entre Vasco e Fluminense, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro foi transferido novamente para o Engenhão. O jogo, marcado para o dia 1º novembro, aconteceria no Maracanã originalmente, mas a CBF mudou o local atendendo a um pedido do Cruzmaltino, mandante na ocasião.

Fluminense vence clássico e devolve provocação contra Eurico: 'O charuto apagou. Ponto'

Se Eurico Miranda gosta de provocar quando ganha clássicos, o Fluminense tratou de responder na mesma moeda. Após o triunfo por 1 a 0 sobre o Cruzmaltino, no clássico do segundo turno, o Tricolor não perdeu a oportunidade de ironizar o rival. O clube fez duas postagens com referências ao dirigente vascaíno: o charuto e a frase #EuEscolhiAcreditar.

"O charuto apagou. Ponto." escreveu o Fluminense em sua postagem no Instagram. Junto a isso, foi utilizada a hashtag #EuEscolhiApagar, fazendo referência ao movimento da torcida vascaína de apoio ao time na luta contra o rebaixamento.

Zagueiro do Fluminense, Marlon comete gafe e afirma que Vasco já está rebaixado

Após a vitória no clássico, o jovem zagueiro Marlon, do Fluminense, cometeu gafe durante entrevista e 'rebaixou' o rival Cruzmaltino. Segundo o defensor, a 'queda' era uma pena para o futebol carioca que terá mais um time na segunda divisão.

"Não é porque é rival. É uma pena para o futebol carioca. Mais um time na Série B, mas foi assim o Campeonato Brasileiro inteiro. Eles infelizmente estão caindo e eu não fico feliz, não fico triste ou tranquilo", disse Marlon à Band. 

Ao saber da declaração, Jorginho, técnico do Vasco, respondeu de maneira ríspida e direta ao zagueiro, lembrando-se da própria arrancada do Fluminense, em 2009.

"Ele está equivocado, porque isso já aconteceu até com o Fluminense. Apesar dele ser jovem, num passado recente o Fluminense conseguiu engatar vitórias e se livrou do rebaixamento (2009). Não tem nada perdido. Ele é um jovem, tem muito o que aprender. É um bom jogador, por sinal. Matematicamente todos sabem que é difícil, mas não é possível. Engatando duas, três vitórias, conseguimos sair . Acho que ele se equivocou e, provavelmente, está se entregando. Provavelmente se ele estivesse na nossa situação, ele estaria entregue", avaliou. 

Vinícius: "Time e torcida ficarão felizes se Flu ajudar a rebaixar o Vasco"

A última grande polêmica ficou sob autoria de Vinícius. Durante entrevista coletiva em Laranjeiras, o meia foi perguntado sobre a rivalidade exacerbada entre Fluminense e Vasco. A resposta foi surpreendente. O jogador afirmou que, em caso de derrota, teria a felicidade de prejudicar o rival de São Januário.

"Penso no Fluminense, sinceramente. Fechamos uma meta de vencer todos os jogos. Vamos procurar vencer. É claro que a gente sabe que o Vasco está nessa situação. Se por acaso a gente perder e prejudicar o Vasco, acho, que não só a gente, como toda a torcida tricolor, ficará feliz", disse Vinícius.   

VAVEL Logo