Cuéllar admite insatisfação com fase conturbada do Flamengo: "Me sinto em falta com a torcida"
(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

"Óbvio que a gente fica frustrado". Essas foram as palavras de Cuéllar quando perguntado sobre o momento conturbado que vive o Flamengo - sem vencer há quatro jogos, o Rubro-Negro figura na sétima colocação do Campeonato Brasileiro, com 40 pontos. A última vitória do Rubro-Negro foi há quase um mês, no dia 17 de setembro; na ocasião, os cariocas derrotaram o Sport por 2 a 0. 

Em entrevista pós-treino na última sexta (13), Cuéllar não escondeu sua insatisfação com o atual panorama do clube carioca; o volante ainda destacou os altos investimentos feitos pela diretoria do Flamengo e o apoio assíduo da torcida rubro-negra. 

"A diretoria faz tudo certo. Dá as ferramentas de trabalho, mas infelizmente os resultados não vêm. Me sinto em falta com a torcida, porque eles sempre nos apoiam. Nos sentimos frustrados pela torcida e pela diretoria", afirmou.

Integrante da Seleção Colombiana que conquistou a vaga na Copa do Mundo, Cuéllar sofreu com o atraso de seu voo de volta ao Rio; o cansaço também foi fator determinante para deixar o jogador entre os reservas no Fla-Flu de quinta (12).  Apesar dos contratempos, o volante celebrou a alegria de levar seu país a um Mundial e destacou a visibilidade trazida pelo Rubro-Negro.

Cuéllar e Diego participaram normalmente de treino nesta sexta (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Cuéllar e Diego participaram normalmente de treino na sexta-feira (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

"Como falei no início do ano, quem joga no Flamengo tem todas as chances de representar seu país, por toda a cobrança que se tem de jogar no Flamengo. Quem jogar com certeza vai ter os olhos do treinador em cima. Não tem explicação a alegria de ir à Copa. Graças a Deus vivi esse momento com a minha seleção. Para me manter na seleção, tenho que jogar bem no Flamengo. Tentar fazer o melhor para me manter no Flamengo primeiro e depois na seleção", completou.

Já pensando na Chapecoense, próxima adversária do Flamengo, o colombiano deixou claro que o Rubro-Negro irá propor o jogo mesmo atuando fora de casa - para Cuéllar, é necessário virar a chave e manter o foco para garantir uma vaga na Libertadores.

"Flamengo propõe o jogo onde for jogar, não vai ser diferente em Chapecó. Temos que tentar os três pontos, para se aproximar da vaga da Libertadores, é um objetivo nosso. Não vai ser fácil, mas o time do Flamengo tem que procurar seu objetivo. (...) A Chapecoense é muito forte na bola parada, tem jogadores de qualidades que podem resolver. A gente tem que procurar o resultado e se aproximar mais da vaga da Libertadores", concluiu.

Confira outros trechos da coletiva de Cuéllar:

Protestos da torcida: "A torcida tem direito de cobrar, mas o elenco é muito bom. Não acho tão ruim o ano, porque ainda não acabou. Está vivo na Sul-Americana e estamos procurando ficar entre os quatro primeiros na Libertadores. Ficamos frustrados sim pelos resultados, mas isso tem que servir de ensinamento. Temos que dar 100% para procurar mais resultados, mas a consciência dos jogadores está limpa, porque trabalham".

Atraso no voo"Meu voo estava programado para sair às 22h da Colômbia, mas atrasou cinco horas e tive que sair 3h30. Cheguei, minha mulher foi me buscar no aeroporto e vim para a concentração. Eu estava à disposição do professor se ele precisasse. Claro que um pouco cansado, mas à disposição".

Jogadores rubro-negros na Copa: "A Colômbia garantiu a vaga, eu ainda não (risos). Paolo (Guerrero) faz o melhor pelo Flamengo e pela seleção peruana, ele é muito competitivo. A gente torce pelos companheiros. Também queremos que o Peru vá. Foi muito difícil para mim e minha família, mas eles me fizeram muito fortes. Todos os jogadores passam por momentos difíceis. Trabalho para aguardar a chance. Vou tentar seguir fazendo isso".

Sul-Americana"Eu acho que tudo passa pela cabeça do jogador. Tudo está sendo bem feito pela diretoria e pela torcida. A cobrança tem que ser feita sobre nós. Perguntar individualmente para cada um. E todos têm que falar para ajudar todo o grupo. A final da Copa do Brasil foi muito difícil. Era um sonho para botar outra taça na história do Flamengo. Faz muita falta no final. Agora fica a Sul-Americana".

2017 frustrado"A torcida tem direito de cobrar, mas o elenco é muito bom. Não acho tão ruim o ano, porque ainda não acabou. Está vivo na Sul-Americana e estamos procurando ficar entre os quatro primeiros na Libertadores. Ficamos frustrados sim pelos resultados, mas isso tem que servir de ensinamento. Temos que dar 100% para procurar mais resultados, mas a consciência dos jogadores está limpa, porque trabalham".

VAVEL Logo