Marlon comenta disputa na lateral com Ayrton: "Quem tem a ganhar é o Fluminense"

Lateral perdeu posição de titular no começo do ano e após a lesão do companheiro quer mostrar novamente o motivo de ter sido contratado em 2017.

Marlon comenta disputa na lateral com Ayrton: "Quem tem a ganhar é o Fluminense"
Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Na tarde desta quarta-feira (23), no Centro de Treinamento Pedro Antônio, o lateral esquerdo Marlon concedeu entrevista após o treinamento. Entre os assuntos abordados, o tabu contra a Chapecoense foi o mais citado pelos jornalistas.

Marlon mostrou serenidade ao afirmar que não existe incomodo no vestiário do Fluminense por nunca ter vencido seu próximo adversário.

"Após o término da última partida do final de semana, começou o assunto de nunca termos vencido a Chapecoense. Estamos tranquilos, estamos fazendo um bom trabalho, acho que não temos que pensar no tabu e sim em pensar na parte superior da tabela, pensar jogo a jogo, temos que esquecer o tabu”, destacou.

O lateral elogiou o alto rendimento de Ayrton Lucas, titular da posição na temporada e diz que a disputa pela vaga no time é sádia.

“Ele vem fazendo uma temporada brilhante e na minha opinião foi o destaque do campeonato carioca. Para o Fluminense foi uma lástima a lesão dele, mas sempre estive trabalhando, apto para jogar e sempre ressaltei o compromisso comigo de manter o mesmo nível das atuações dele. Minha oportunidade chegou", afirmou.

Questionado por não ter as mesmas atuações de 2017, Marlon foi sincero e disse que o fato de não ter uma "sombra" no final do ano passado contribuiu para que ele entrasse em uma zona de conforto e perdesse a vaga no time.

"Abel veio falar comigo no começo do ano e disse a ele que seria injusto o Ayrton não ser titular pelos treinos que fez. Ayrton aproveitou a chance dele e é um dos destaques do futebol nacional. Revi novos conceitos, respeitei o momento dele, somos amigos, conversamos, nos damos bem. Quem tem a ganhar é o Fluminense. Entrei numa zona de conforto e a ascensão dele me fez trabalhar mais forte. Não queria voltar ao time em uma lesão dele, mas é uma nova oportunidade", disse.

O jogador também falou das desconfianças que giravam em torno da equipe no começo do ano e como os jogadores usaram o momento adverso para evoluir na temporada.

“No começo do Brasileiro, o Fluminense estava listado por grande parte da imprensa e de outras equipes para ser um dos piores times da competição. Um dos aspectos para evoluir foi a mescla de um elenco jovem, que sabe das suas limitações, que tem um coletivo muito forte e que tem pessoas experientes no futebol do lado de fora para conduzir os jogadores", finalizou.

Com 10 pontos na tabela, o Flu volta a campo no próximo sábado (26), contra a Chapecoense, no Maracanã, às 16h. Uma vitória pode colocar a equipe entre os líderes da competição, três pontos separam o Tricolor do Atlético-MG.