Botafogo vence e afunda Atlético-PR na zona de rebaixamento
(Foto: Luciano Belford/SS Press/Botafogo)

Botafogo vence e afunda Atlético-PR na zona de rebaixamento

Time carioca anula Furacão que esbarrou na boa marcação alvinegra e na própria ineficiência para chegar ao gol adversário

marcus-carvalho
Marcus Carvalho
Botafogo JEFFERSON, LUÍS RICARDO, YAGO, IGOR RABELLO E MOISÉS; RODRIGO LINDOSO, MATHEUS FERNANDES, LUIZ FERNANDO (RENATINHO, MIN. 62) E LEONARDO VALENCIA (DUDU CEARENSE, MIN. 89); RODRIGO PIMPÃO (EZEQUIEL, MIN. 83) E KIEZA.
Atlético-PR SANTOS; ZÉ IVALDO, THIAGO HELENO; BRUNO (RENAN, MIN. 46), MARCINHO, CAMACHO, CARLETO; RAPHAEL VEIGA, GUILHERME (PABLO, MIN. 51), NIKÃO E BERGSON (ÉDERSON, MIN. 77).
Placar1-0, MIN. 33, RODRIGO LINDOSO. 2-0, MIN. 72, RENAN LODI (GC).
ÁRBITRORODRIGO BATISTA RAPOSO (DF). CARTÕES AMARELOS: ZÉ IVALDO (MIN. 33), RAPHAEL VEIGA (MIN, 46).
INCIDENCIASPARTIDA VÁLIDA PELA 12ª RODADA CO CAMPEONATO BRASILEIRO 2018 ENTRE BOTAFOGO E ATLÉTICO-PR, ÀS 21H, NO NILTON SANTOS.

Em confronto válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Glorioso fez uma boa partida contra o Atlético-PR e voltou a vencer em casa após um mês e meio. O placar foi de 2 a 0, com gol de Rodrigo Lindoso e Renan Lodi (contra). A última vitória no estádio Nilton Santos tinha sido contra o Grêmio (2 a 1) pela segunda rodada no dia 28 de abril. 


O Botafogo veio para o jogo escalado em um 4-2-3-1. Já o Atlético chegou com 3 zagueiros, uma linha de 4 no meio campo, dois jogadores mais a frente e Bergson fazendo as vezes do camisa 9.

O jogo começou com muita intensidade, com o Alvinegro tendo as melhores chances. O duelo começou tão intenso que Luiz Ricardo, de volta ao time titular depois de muito tempo, não esperou muito para ser acionado e mandar um perigoso cruzamento para a área do Furacão. O visitante quando defendia chegava a formar uma linha com cinco jogadores na defesa, dificultando a entrada do time da casa na área.

O caminho era pelas pontas, ou na pressão exercida sobre a troca de passes do time curitibano na defesa. E de certo modo o Botafogo conseguiu chegar com perigo.
Kieza perdeu duas chances incríveis, Luis Fernando outra. Os paranaenses até tiveram um número considerável nas finalizações, porém apenas duas ao gol de Jefferson. O time se encolhia totalmente e avançava com rapidez para ocupar o campo adversário. Apesar disso, Fernando Diniz não obteve êxito com seu time.

O gol saiu após uma grande defesa de Santos, no prosseguimento Zé Ivaldo pôs a mão na bola e árbitro apontou a marca da cal. Pênalti convertido por Lindoso garantindo a vantagem mínima no primeiro tempo.

Na volta para segunda etapa, boa parte dos primeiros 25 minutos foram de pressão do Furacão, que dominou maior parte a da segunda etapa, rondou a área alvinegra e finalizou mais que nos 45 minutos iniciais. A ineficiência nas finalizações persistiu e a maior posse de bola não se traduziu em gols. Botafogo saía em alguns contragolpes, aproveitava a velocidade de Luis Fernando e Pimpão para incomodar o adversário, mas sem sucesso.

Luiz Fernando saiu machucado e deu lugar a Renatinho. O meia entrou bem e fez boas jogadas no primeiro tempo, entregando bons passes e dando velocidade pelo meio. Em um escanteio orgininado em uma dessas jogadas, Renan Lodi fez contra após jogada confusa e o Glorioso ampliou. Após o gol, Atlético tentou chegar por algumas vezes. Ederson foi a última cartada de Fernando Diniz no jogo que em nada mudou a história da partida. 

O Botafogo perdeu algumas chances claras, sobretudo com Kieza que não estava com os pés calibrados. Ezequiel ainda entrou na vaga de Pimpão e manteve a velocidade pela esquerda do ataque alvinegro. Dudu Cearense entrou na vaga do aplaudido Valencia apenas para compor o meio de campo em uma partida já dominada.

VAVEL Logo

Botafogo de Futebol e Regatas Notícias

há 5 dias
há 5 dias
há 5 dias
há 6 dias
há 8 dias
há 9 dias
há 10 dias
há 11 dias
há 11 dias
há 11 dias
há 13 dias