Expulsões, provocação e chances perdidas: Botafogo pressiona mas fica no empate contra o Juventude
Foto: Divulgação\Botafogo

Expulsões, provocação e chances perdidas: Botafogo pressiona mas fica no empate contra o Juventude

Botafogo fica só no empate em 1 a 1 com o Juventude em partida marcada por chances perdidas e expulsões 

marco-aurelio
Marco Aurélio Ferreira de Alencar

Em um jogo marcado por expulsões e chance inacreditável perdida por Kieza, o Botafogo ficou só no empate contra o Juventude no Nilton Santos. A partida desta quinta-feira, válida pelo primeiro confronto da terceira fase da Copa do Brasil acabou empatada por 1 a 1 e deixou tudo em aberto para o combate da volta. Dentro de campo, o Alvinegro foi superior – principalmente na segunda etapa -, porém parou na retranca e na excelente atuação do goleiro adversário.

Os quase 20 mil torcedores presentes no estádio assistiram a equipe sair atrás no placar ainda nos 45 minutos iniciais. O gol do Juve foi marcado pelo atacante Paulo Sérgio. Porém, o Glorioso chegou ao empate logo na volta do vestiário, com Erik, de pênalti, e tomou conta da metade final do jogo.

Os visitantes foram os primeiros a chegar ao ataque na partida. Logo nos momentos iniciais, o zagueiro Genílson teve a oportunidade de abrir o placar após cobrança de falta, porém a cabeçada não foi boa e Gatito Fernández defendeu com tranquilidade. O primeiro cartão amarelo do confronto saiu aos nove minutos quando Jonathan entrou de forma imprudente no meia John Lennon e foi punido pela arbitragem.

Na sequência, foi a vez do Botafogo assustar o clube de Caxias do Sul com uma pancada de fora da área do lateral-direito Marcinho. Depois de jogada trabalhada pelo lado esquerdo, Cícero ficou com a sobra e rolou para o jovem jogador encher o pé, porém o goleiro Marcelo Carné estava ligado e fez uma grande defesa para impedir o gol dos donos da casa.

O Glorioso tentava se impor na partida, mas quem tirou o zero do placar foi o Juventude. Paulo Sérgio aproveitou a falha de marcação da defesa, e após cobrança de escanteio, apareceu livre no meio da área para pegar de primeira e colocar a equipe em vantagem. Na comemoração, o camisa 9 repetiu o polêmico gesto do “chororô” como forma de provocação aos adversários.

Apesar de não conseguir criar muitas chances reais de gol, o time de Zé Ricardo estava melhor no jogo. Aos 28, a zaga afastou mal o cruzamento de Marcinho e João Paulo chegou batendo da entrada da área, porém Carné novamente salvou a equipe visitante.

Aos 35, João Paulo e Paulo Sérgio foram expulsos de campo. A confusão aconteceu depois de Rafael Jataí matar um contra-ataque alvinegro puxado por Erik. Os anfitriões tentaram recolocar a bola em jogo rapidamente, porém foram retardados pelos adversários, o que causou estresse entre os jogadores. No meio da agitação, o camisa 10 do Botafogo foi agredido por Paulo Sérgio, e por sua vez, deu um tapa na cara do meia Denner.

O último lance de perigo da primeira etapa veio aos 41 de jogo. Em bola levantada na grande área por Cícero, Gabriel ficou com a sobra e mais uma vez o goleiro interviu bem para impedir o empate.

O empate do Alvinegro chegou logo após a volta do intervalo, aos cinco minutos do segundo tempo. Após escapar com velocidade, Erik foi derrubado pelo arqueiro e o juiz assinalou o pênalti para time. Na cobrança, o camisa 11 bateu com categoria e deixou tudo igual no placar.

A equipe visitante cometeu muitos erros na metade final do embate, o que gerou algumas oportunidades de gol para o Glorioso tentar inverter o resultado. Aos 23, Genílson saiu jogando errado e a sobra ficou de presente nos pés de Diego Souza, que trabalhou com Erik até a bola sobrar na cara do gol com Cícero, que desperdiçou a brecha.

A blitz dos donos da casa continuou, e aos 34 Diego Souza obrigou Carné – que estava em noite iluminada – a fazer outra grande defesa. Jonathan fez o cruzamento e encontrou o camisa 7 que testou firme no cantinho para outro milagre do número 1.

Entretanto, Kieza – que entrou em campo aos 28 minutos no lugar de Rodrigo Pimpão – perdeu um gol inacreditável nos minutos finais e sacramentou o empate por 1 a 1 no Rio de Janeiro. Após boa tabela com Diego Souza, Luiz Fernando – que também entrou em campo na segunda etapa – deixou o atacante sozinho, sem goleiro, e Kieza jogou pra fora, irritando muito os torcedores presentes no estádio.

Os dois times se enfrentam novamente na próxima quinta-feira, no Estádio Alfredo Jaconi, às 19h15 (Brasília), para decidir quem avança para a próxima fase da competição. Como não há mais o critério do gol qualificado, que vencer o próximo confronto vai conquistar a classificação. Em caso de um novo empate por qualquer placar, a vaga será definida nos pênaltis.

 

VAVEL Logo