Em noite de reencontros, Fortaleza e Chapecoense miram reação no Brasileiro 
Ceni regressou ao Fortaleza com o objetivo de dar sequência ao trabalho e assegurar permanência do clube na Série A do Brasileiro (Foto: Divulgação/Fortaleza E.C.)

Em noite de reencontros, Fortaleza e Chapecoense miram reação no Brasileiro 

Leão obteve uma vitória nos últimos seis jogos e visa engrenar nos confrontos diretos no mês de outubro. Equipe catarinense não vence há oito partidas e ocupa a lanterna da competição 

paulo-ayrton
Paulo Ayrton de Menezes

Em duelo fundamental para manutenção na Série A, Fortaleza e Chapecoense medem forças nesta quarta-feira (09), a partir das 20h30, na Arena Castelão, em compromisso válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor de Aço ocupa a 14ª posição, com 25 pontos, três de frente para a zona do rebaixamento, e objetiva melhorar seu aproveitamento como mandante, que, atualmente, é de 48% (5 vitórias / 1 empate / 5 derrotas). Os catarinenses, por sua vez, na 20ª posição, com 15 pontos e oito de distância para o primeiro time fora da zona da degola, ainda têm missão mais difícil, tendo em vista o aproveitamento de 18% como visitantes. No certame, longe da Arena Condá, são sete derrotas, três empates e somente uma vitória.  

No segundo turno, as equipes não começaram nada bem. Enquanto o Leão do Pici venceu apenas o Botafogo e foi superado por Palmeiras, Athlético-PR e São Paulo, o time catarinense conquistou um pontinho, no empate diante do Athlético-PR e foi derrotado por Internacional, Corinthians e Flamengo

Logo após a derrota por 2 a 1 diante do São Paulo, ainda em coletiva no estádio Pacaembu, o técnico Rogério Ceni direcionou atenções para os duelos diretos ao longo do mês de outubro que sua equipe terá pela frente. Além da Chapecoense, o Tricolor de Aço terá, até o final deste mês, jogos fundamentais frente Vasco, Cruzeiro e Avaí. Todos estes três jogos serão fora de casa. 

"Nossa realidade é brigar com a segunda metade da tabela. Quem sabe, quando conseguirmos vencer uma equipe do G-6, consigamos fazer a diferença. Contra a Chapecoense, confronto direto, temos que vencer em casa pra manter acesa a chama de uma pontuação fora de casa que vai nos ajudar no Campeonato", pontuou o comandante leonino.

Além da notória importância do jogo no Castelão em termos de pontuação e reação no campeonato, o duelo marcará os reencontros do goleiro Marcelo Boeck e do atacante Wellington Paulista com a Chapecoense, e do treinador Marquinhos Santos com o Fortaleza.

Boeck atuou na equipe catarinense em 2016 por empréstimo do Sporting, de Portugal. O arqueiro integrava o elenco campeão da Sul-Americana que sofreu o acidente aéreo no qual o avião do time caiu no dia 29 de novembro de 2016 poucos dias antes da final da competição continental daquele ano. O gaúcho era o 3° goleiro e não embarcou no fatídico voo. Ele falou sobre a gratidão mas assegurou foco total na vitória. 

"Vai ser especial. Algo que ficou marcado na minha vida, na minha profissão. Total respeito e admiração eterna ao clube, mas também sabendo que hoje nós estamos em uma equipe que tem seus objetivos, seus sonhos e tem um projeto que está sendo feito. Até então, tem sido um projeto de sucesso e espero que continue assim. Por mais que tenha aquele gostinho de poder novamente enfrentar e estar no mesmo campo que a Chapecoense, quando começa o jogo a gente só pensa na vitória", afirmou o arqueiro leonino.

Boeck se transformou em um dos ídolos da torcida do Fortaleza (Foto: Divulgação/Fortaleza E.C.)
Boeck se transformou em um dos ídolos da torcida do Tricolor de Aço (Foto: Divulgação/Fortaleza E.C.)

Tendo chegado ao clube em janeiro de 2017, Boeck foi peça fundamental para a equipe sair da Série C e retornar à elite do futebol nacional. Em três temporadas no Leão, o goleiro já acumula a marca de terceiro jogador da posição com mais números de jogos desde 2000, ficando atrás apenas de Maizena e Jefferson. Com 111 jogos, o goleiro, gaúcho de Vera Cruz, está próximo de se tornar o segundo com mais jogos, posto ocupado por Jefferson, que tem 113. Maizena lidera com 175 partidas disputadas pelo Fortaleza. 

Titular na inédita conquista da Copa do Nordeste 2019, Boeck foi perdendo espaço para o goleiro Felipe Alves. Com a lesão do arqueiro vindo do Athlético-PR, Boeck voltou a atuar e enxerga tudo como fruto das oportunidades que aparecem. 

"A gente sabe que futebol é momento, uma hora estamos lá em cima e na outra hora não estamos mais. Fico triste com essa lesão do Felipe Alves, mas futebol é oportunidade e, nesses momentos, temos que estar preparados. Em nenhum momento eu deixei de treinar", discorreu.

O meio-campista Juninho, um dos destaques do Fortaleza no Campeonato Brasileiro, observou a dificuldade inerente e o caráter decisivo da partida de quarta-feira. 

"(A Chapecoense) é a última colocada hoje, assim como o CSA até um tempo atrás era e hoje está fazendo uma recuperação que ninguém acreditava. Isso é mais uma prova que o Campeonato Brasileiro não tem jogo fácil. O que fará o jogo se tornar fácil é a nossa postura, o que produzirmos dentro de campo. Na quarta-feira teremos um adversário muito difícil. Temos que estar muito concentrados porque eles vão encarar como uma final e temos que encarar da mesma maneira", comentou o atleta tricolor.

"Contra a Chape é um jogo de seis pontos porque é um adversário que está atrás da gente. Então, vencendo, a gente coloca eles mais para trás ainda. É foco total. Temos que sempre estar buscando pontuar e, um jogo como esse, os três pontos são de suma importância", finalizou Juninho.

Sobre os atletas que estão desfalcando o Fortaleza em função de estarem lesionados, ou em recuperação, o quatro atualizado é o seguinte. O meio-campista Nenê Bonilha está liberado pelo departamento médico; já o atacante Éderson se encontra em fase final de transição física. Expectativa de retorno até o fim de outubro. Por fim, o zagueiro Roger Carvalho, que sofreu lesão completa no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e contusão no menisco, realizou procedimento cirúrgico no final de agosto e tem previsão de retorno aos gramados somente para 2020. 

Ainda em fase de recuperação, o goleiro Felipe Alves continua entregue ao departamento médico se recuperando de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda. O zagueiro Jackson não participou do treinamento da última segunda-feira (7) e segue como dúvida. Paulão deve atuar ao lado de Juan Quintero.

Provável escalação do Fortaleza: Marcelo Boeck; Tinga, Quintero, Paulão e Carlinhos; Felipe, Juninho; Edinho, Osvaldo, Romarinho e Wellington Paulista. Técnico: Rogério Ceni. 

O meia argentino Mariano Vázquez e o atacante André Luís também estão cotados para iniciarem o jogo.

+ Em Caxias do Sul e com mistério na escalação, Grêmio recebe Ceará

Do lado catarinense...

A partida promete ser especial para o técnico Marquinhos Santos. Em 2016, pouco antes do mata-mata da Série C, saiu do Fortaleza para assumir o Figueirense, que, na ocasião, lutava pela permanência na primeira divisão. Em 2016, o treinador natural de Santos/SP comandou o Fortaleza em 37 jogos e obteve um total de 19 vitórias. 

Marquinhos chegou ao Tricolor após demissão de Flávio Araújo, abocanhou o bicampeonato estadual, alcançou às quartas da Copa do Nordeste. Contudo, o foco mesmo estava em conseguir o tão sonhado acesso à Série B do Brasileiro. A frente do Leão em quase toda a competição, de campanha incontestável na primeira fase, o treinador acabou caindo em desgraça sob o olhar do torcedor ao "abandonar o barco" e trocar, na reta final, o Tricolor pelo Figueira. Todo o processo se desenrolou em uma madrugada. Marquinhos chegou a regressar ao Fortaleza em 2017, mas foi demitido após 10 jogos e apenas quatro vitórias. 

Em 2019, antes de assumir a Chapecoense, o treinador de 40 anos conseguiu o acesso à Série B comandando o Juventude/RS. Tendo estreado diante do Internacional, na derrota por 1 a 0 no Beira-Rio, na 20ª rodada, o técnico Marquinhos Santos ressaltou as dificuldades dos jogos disputados e vislumbra maior poder de fogo em jogos da mesma faixa de tabela. A Chape não vence há oito partidas e precisa reagir o quanto antes na competição. 

Atacante Everaldo é uma das principais armas do técnico Marquinhos Santos para surpreender o Fortaleza (Foto: Reprodução/Chapecoense)
Atacante Everaldo é uma das principais armas do técnico Marquinhos Santos para surpreender o Fortaleza (Foto: Reprodução/Chapecoense)

"Tivemos quatro jogos muito difíceis mas a gente continua acreditando, agora que passaram esses jogos vamos buscar começar a fazer mais gols, pontuar e buscar algo diferente na competição. Vamos buscar a vitória fora de casa, ou no mínimo um ponto, mas tentar os três para que possamos nos aproximar dos primeiros times fora da zona (de rebaixamento)", disse.

O experiente meia Camilo endossou o discurso do seu treinador e atentou para o caráter decisivo das partidas de agora em diante.

"Enfrentamos Corinthians e Flamengo em casa, a gente precisava pontuar, mas vamos dar o máximo para sair dessa situação. A gente precisa de vitória para ganhar confiança. Teremos jogos decisivos contra adversários diretos e temos que buscar uma sequência de vitórias para sair dessa situação", justificou. 

Embora ostente a pior defesa do campeonato ao lado do rival Avaí, ambos com 36 gols sofridos, Marquinhos Santos pretende fazer sua equipe melhorar é o setor ofensivo; desde que assumiu, seu time fez apenas um gol - justamente no único ponto somado pelo técnico, contra o Athlético-PR.

"Temos que manter a evolução e um padrão melhor ofensivamente. Ajustamos defensivamente, estamos jogando de maneira compacta, mas ofensivamente é o que tem me tirado o sono para ser mais agressivo, ter coragem, se não entrar no último terço e não finalizamos a gol não vamos ter vitórias", avaliou. 

A equipe catarinense possui o terceiro ataque menos eficiente do Brasileiro, ao lado do Cruzeiro, com 18 gols marcados. Metade desses tentos tiveram participação direta do atacante Everaldo, artilheiro da equipe com oito gols e uma assistência. Porém, o avante atravessa uma seca de gols. Já são oito partidas sem balançar o barbante adversário. Inclusive, o último tento assinalado coincide com a última vitória da Chapecoense, diante do Avaí, na 15ª rodada. Marquinhos Santos acredita que o caminho é criar alternativas e não depender apenas do camisa 77.

"Movimentação, posicionamento, achar o jogo entre linhas, passar a confiança aos atletas, mas treinamento. São números baixos, não só agora, mas no ano. Colocada no Everaldo a expectativa ofensiva, mas ele está passando por uma seca e ele se cobra demais, trabalha muito. Entender que não passa pelo Everaldo apenas. Até mesmo a bola parada, de criar, qualificar para que outros atletas sejam decisivos", concluiu. 

Para o duelo diante do Leão, a Chape terá o desfalque do lateral-direito Eduardo. Liberado de suspensão, o atleta não viajou com a delegação em virtude de uma inflamação na tíbia esquerda, local onde recentemente passou por uma retirada de tumor benigno.

Outros dois jogadores já estiveram ausentes da partida contra o Flamengo, no último domingo. O zagueiro Gum, com estiramento na musculatura das costas, e o polivalente Renato, com lesão de grau um no adutor da coxa direita.

Quem regressa ao time titular é o lateral-esquerdo Bruno Pacheco, após cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. 

A lista dos atletas entregues ao departamento médico da Chapecoense é a seguinte: Gum (se recupera de um estiramento na musculatura das costas); Eduardo (inflamação tibial na perna esquerda); Renato (se recupera de lesão de grau um no músculo adutor da perna direita) ; Thiago Santos (está em fase de transição após uma cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior no joelho esquerdo); Yann (ainda se recupera de cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior no joelho esquerdo) ; Vagner (se recupera de cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior no joelho direito); Dalberto (se recupera de lesão parcial do ligamento deltoide do tornozelo direito) e Henrique Almeida (se recupera de lesão de grau dois no músculo anterior da coxa direita).

Provável escalação da Chapecoense: Tiepo; Bryan, Douglas, Rafael Pereira e Bruno Pacheco; Elicarlos, Márcio Araújo, Campanharo (Vini Locatelli) e Camilo; Régis e Everaldo. Técnico: Marquinhos Santos. 

A Chape finalizou a preparação para o jogo contra o Fortaleza na tarde da última terça-feira (8), no CT do Ceará. 

Como foi no primeiro turno?

Em partida realizada na Arena Condá, no dia 19 de maio, válida pela 5ª rodada do Brasileirão, o nome do jogo foi o atacante Marcinho, que não pertence mais ao elenco leonino. Naquela tarde, aos 12´ da etapa inicial, Rildo aproveitou cruzamento de Everaldo e abriu o placar para os catarinenses. A equipe cearense empatou aos 37´, quando Wellington Paulista serviu e Marcinho estufou o barbante do goleiro Tiepo. A virada veio aos 17´ da etapa complementar. Marcinho aproveitou ótimo lançamento de Juninho e tocou por cobertura para fazer um golaço. Dois minutos mais tarde, foi a vez de o artilheiro da jornada assumir o papel de garçom e servir Osvaldo que deu números finais ao marcador em 3 a 1 para os visitantes.

Arbitragem

O árbitro de campo será Rodrigo Carvalhaes de Miranda e será auxiliado por Michael Correia e Luiz Claudio Regazone. Na famigerada "salinha do VAR", o árbitro de vídeo será Grazianni Maciel Rocha. Todos oriundos do Rio de Janeiro, o que gerou reclamação por parte do presidente Marcelo Paz, do Fortaleza. O mandatário havia solicitado junto a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) a não escalação de árbitros provenientes de Goiás e Rio de Janeiro, estados de clubes envolvidos com os cearenses na disputa pela permanência na primeira divisão. 

MEDIA: 5VOTES: 6
VAVEL Logo
CHAT